O que fazer quando propor pautas gera esgotamento

por Cristiana Bedei
May 8, 2021 em Freelance
Pessoa debruçada sobre um computador

Fazer jornalismo freelance pode tomar várias formas, mas geralmente inclui propor muitas ideias de pauta — uma tarefa não remunerada e muitas vezes ingrata que requer foco e trabalho por pouca recompensa.

"Enviar pautas requer uma grande quantidade de energia — desde a pesquisa inicial e a parte criativa do processo para, então, explicar a um editor por que sua matéria é perfeita para os leitores dele", disse Caroline Harrap, uma jornalista freelance em Paris que já escreveu para The Guardian, France Today e Culture Trip, entre outros. "E então, é claro, não há garantia de que o artigo será realmente encomendado!"

Tanto para jornalistas novatos como estabelecidos, a pressão para buscar e apresentar propostas de matérias bem elaboradas pode ser desgastante, muitas vezes causando falta de motivação e inspiração. “É mais difícil porque você [regularmente] espera ter ideias, e não apenas ideias, mas boas ideias e ideias diferentes”, disse a psicóloga ocupacional Angela Carter

A redatora e editora freelance Sian Meades-Williams disse que geralmente percebe o impacto de propor pautas constantemente quando é um pouco tarde demais: "Muitas vezes pensamos: 'Continue no fim de semana, só mais uma pauta, vamos relaxar no mês que vem'. Mas, no momento em que estamos dizendo isso, já estamos sofrendo."

Lidar com rejeições — ou falta de respostas — também torna todo o processo mais difícil. Meades-Williams adora o processo de pesquisa e o considera especialmente gratificante como freelancer, por ter o controle do que apresentar. “O que é mais difícil para mim do que manter o ímpeto é a rejeição regular, que acontece com todos os freelancers, não importa há quanto tempo trabalham para si próprios”, diz ela.

Escrever livros e montar seu boletim informativo sobre estilo de vida, Tigers Are Better Looking, ajudam Meades-Williams a lidar com os dias em que ela sente que não tem resiliência para enviar outra proposta de pauta. Em vez disso, ela pode explorar ideias, temas e criar sem esperar que outra pessoa diga "sim".

Se você está sofrendo com os pontos baixos de enviar pautas — ou se sente que ficou sem ideias ou motivação — reunimos algumas dicas para ajudar a lidar com a situação e mantê-lo em ação.

[Leia mais: Como viver do jornalismo freelance]

Priorize e planeje

Priorize as coisas mais importantes que você precisa fazer e limite o tempo que você gasta se preocupando com pensamentos inúteis, sugere a psicóloga Carter. Por exemplo, não se preocupe com quantas outras pessoas podem estar escrevendo para o mesmo editor que você quando você chega a uma publicação pela primeira vez.

“Conceitos drenantes precisam ser colocados em uma caixa”, disse Carter. “Lide com eles quando for necessário, lide com eles imediatamente para que você não precise se preocupar com eles, mas são coisas que drenam suas energias.”

Em vez disso, tente se concentrar mais nas coisas que estão sob seu controle.

Encontre o seu ritmo

Dê a si mesmo tempo e espaço para ter ideias.

Se você se sentir paralisado, dê uma caminhada, ande de bicicleta ou saia. Faça algo diferente. “Quando você realmente liberar sua mente, ficará surpreso com o que ela pode lembrar ou gerar”, disse Carter. Até mesmo usar uma caneta e um caderno em vez de ficar olhando para a tela do computador normal ou alterar a configuração de onde você está escrevendo pode ser o suficiente para ajudar o fluxo de ideias mais facilmente.

Escolha histórias que geram entusiamo em você

"Tenho certeza de que estou animada com o que estou propondo", disse Meades-Williams. "Isso parece óbvio, mas muitas vezes sugerimos uma pauta que achamos que um editor quer ler."

Trabalhar em uma história que você acha genuinamente interessante e realmente fascinante pode fazer com que a pesquisa pareça menos um trabalho árduo.

[Leia mais: Vai escrever um ensaio pessoal? Leia nossas dicas]

Saboreie as vitórias, mesmo as mais pequenas

De acordo com Carter, comemorar vitórias ou lições aprendidas antes de passar para o próximo passo é útil. “Isso é particularmente importante se você for rejeitado”, diz ela. "Fiz uma boa proposta de pauta? Como posso melhorar a próxima? Posso não ter conseguido esse trabalho, mas posso reembalá-lo de outra maneira."

O tipo de estresse que os jornalistas sofrem é quase como estar sempre na linha de frente de uma guerra, ela explicou: "E para se preparar para estar sempre bem na frente, você tem que voltar para si mesmo e cuidar de si mesmo para depois avançar novamente."

Reservar um tempo para saborear o que você fez ou aprendeu pode parecer uma perda de tempo, mas na verdade você está investindo em si mesmo, observou Carter.

Converse com outras pessoas (mesmo online)

"Às vezes, apenas conversar sobre algo em que você está interessado pode desencadear um novo ângulo ou ajudar a formular sua ideia inicial", disse Meades-Williams.

Também pode ajudar no incentivo e no crescimento. Harrap disse. “Ter uma rede de apoio pode fazer muita diferença, e é por isso que criamos a Sociedade de Jornalistas Freelance”, que é uma comunidade internacional do Slack aberta para qualquer pessoa no mundo participar.

Lembre-se, fica mais fácil

"Com o tempo, você se torna mais resistente e aprende a levar as coisas menos para o lado pessoal", disse Harrap. É importante lembrar que as pautas são rejeitadas por vários motivos; isso não significa necessariamente que a ideia fosse ruim em si mesma.

Ela acrescentou: "Se você pode construir um relacionamento com um editor, isso torna as coisas muito mais fáceis do que enviar uma sugestão de pauta".

Mesmo quando suas ideias são rejeitadas ou ignoradas, a chave é não desistir, Harrap apontou: "Como uma pessoa sábia disse uma vez, a única diferença entre o fracasso e o sucesso está na disposição da pessoa de continuar tentando."


Cristiana Bedei é uma jornalista freelance italiana com experiência internacional.

Foto por Andrea Piacquadio no Pexels