Melissa Bell da Vox.com: 'Se quer público, examine o que gosta de si mesmo'

por Ana Prieto
Sep 3, 2015 em Empreendedorismo de mídia

Media Party do Hacks/Hackers Buenos Aires completou o seu quarto ano consecutivo, superando todas as expectativas: oficinas completas, uma feira de mídia de sucesso, um hackathon concorrido, 70 clientes internacionais e 1.600 participantes de quatro continentes, que se reuniram entre 27 e 29 de agosto para pensar sobre os desafios e oportunidades do futuro do jornalismo.

Uma estrela convidada foi Melissa Bel, ex-jornalista do Washington Post e cofundadora da Vox.com, o bem-sucedido veículo digital em expansão desde 2014 que subiu no ranking chegando a 22 milhões de visitantes mensais, tornando-se um dos sites de notícias com maior projeção de crescimento no mundo.

Melissa poderia ter falado sobre várias questões que conhece bem: tráfico na webconteúdo interativo ou jornalismo de dados. Mas, em Buenos Aires, sua oficina, que contou com cerca de 50 pessoas, focou na arte de trabalhar em uma ideia, identificar o que a torna única e lança-la com fé para o mundo.

"Há milhares de ideias flutuando por aí, mas há algo que torna a sua ideia original e é isso que vai atrair o público. Se quer criar algo que comova ou faça uma pessoa pensar e mudar a maneira como faz seu trabalho, você tem que acreditar na sua ideia. E para isso, embora não seja muito confortável, você tem que descobrir o que realmente gosta em você e despejar na marca que oferecer ao seu público. Você vai ver que existem outras pessoas que gostam das mesmas coisas sobre você."

"Como construir uma marca" foi um título um pouco pequeno para a reunião, pois Melissa mostrou aos participantes a importância da autoestima para seus próprios projetos, a necessidade de trabalho colaborativo ("destruir o ego" foi uma frase celebrada em sua palestra) e o processo difícil mas emocionante de escolher uma audiência.

Melissa exemplificou cada um desses conceitos com o processo por trás da famosa entrevista que a Vox.com fez com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, em janeiro de 2015. Aqui oferecemos os pontos principais.

Quem é o seu público?

"Ao tratar-se do presidente dos Estados Unidos, obviamente, o público poderia ser o mundo todo", disse Melissa. Mas sempre é necessário delimitar. Como a intenção da Vox.com era fazer perguntas de interesse especialmente para os americanos, a primeira delimitação foi às audiências norte-americanas. "Mas há muitas pessoas no país que não se importam com o que Obama diz", disse Melissa. "Você tem que continuar a restringir. Toda vez que você acha que chegou ao público-alvo, tente ir um pouco mais". Eventualmente, a equipe da Vox.com identificou seu público usando o exemplo do irmão mais novo de um dos funcionários: um jovem interessado em política, mas não particularmente inclinado a ler todas as entrevistas que fazem com Obama. Esse seria o destinatário da entrevista.

O que o público precisa?

Qualquer coisa que você pode proporcionar. "Para o destinatário da nossa entrevista, o problema é que ele não estava ciente ou entendo muito bem as novas políticas de Obama", disse Melissa. "Queríamos dar uma imagem completa da sua gestão e o que planeja para seus últimos dois anos de governo."

O que está faltando?

Pode ser que o que as pessoas precisam já está disponível, mas não sabem disso. "Olhe ao seu redor e veja como as pessoas são informadas e vá além da mídia", Melissa aconselhou, acrescentando que um dos erros mais comuns é planejar projetos sem identificar a concorrência. Em relação à entrevista com Obama, a Vox.com fez um grande trabalho de campo: "Nós lemos um monte de entrevistas, vimos o que nós gostamos delas e também o que estava faltando. Percebemos que sempre perguntavam a Obama sobre as notícias do momento, mas nunca o seu plano político a médio prazo. Achamos que ele nunca tinha oportunidade e tempo para falar mais amplamente sobre questões maiores."

O que você pode fazer melhor do que os outros?

Há sempre algo que você sabe fazer melhor do que ninguém. O segredo do sucesso do projeto é identificar os pontos fortes e explorá-los. "Na Vox.com sabemos que há algo que fazemos melhor do que outros, que é explicar as notícias e fazer visualizações. Nossas visualizações são informais mas elegantes. E nós tivemos os dois pontos fortes em mente quando pensamos em nossa entrevista com Obama."

Existe uma oportunidade de gerar receita?

Talvez a equipe editorial não seja quem tem as melhores ideias para gerar receita, mas para Melissa é importante que todos na indústria tenham em mente como fazer dinheiro para continuar a apoiar o jornalismo. "A entrevista com Obama não identificou uma oportunidade para a renda imediata, mas percebemos que seria quase como uma declaração de que a Vox é capaz de realizar entrevistas de qualidade, o que no futuro poderia gerar patrocínios."

Para concluir, Melissa compartilhou com os participantes o mantra de ação da Vox, renovado em cada um de seus projetos mais ambiciosos:

  • Orgulhe-se do que faz você estranho
  • Vá além da notícia
  • Adote uma nova abordagem visual
  • Acrescente valor

Você pode ver a apresentação completa de Melissa Bell abaixo (em inglês): 

Imagem principal de Melissa Bell cortesia deHacks/Hackers Buenos Aires. Imagem secundária: captura de tela da entrevista de Barack Obama na Vox.com.