Dicas de narrativas visuais para chargistas

Jul 22, 2021 em Temas especializados
Drawing

Muitos repórteres têm sofrido com o burnout devido ao estresse da cobertura da COVID-19 que inclui estatísticas avassaladoras a manchetes devastadoras. Dentre os muitos formatos de mídia produzidos durante a pandemia, um deles surge como uma fonte de alívio e, às vezes, até de humor: as charges.

O diretor de comunidade do Fórum do ICFJ sobre Reportagem para a Crise de Saúde Global, Paul Adepoju, conversou com Mike Asukwo, premiado chargista da Nigéria e gerente gráfico no Business Day, sobre o papel das charges na narrativa e cobertura da pandemia. Asukwo é conhecido pelo trabalho instigante e bem-humorado, frequentemente focado em questões sócio-políticas e narrativas sobre o governo nigeriano.

"Uma charge é uma fonte de informação muito forte", diz Asukwo. "Nós temos a tendência de esquecer muitas coisas que acontecem ao nosso redor, mas uma vez [desenhado] em uma charge, aquilo fica na nossa memória graças às imagens escolhidas, os elementos utilizados e o meio usado para apresentar as charges."

De acordo com Asukwo, os desenhos podem ser interpretativos, analíticos, divertidos e até proféticos, dependendo dos assuntos retratados. Confira algumas dicas para futuros chargistas:

Modele o seu processo criativo

(1) Defina o assunto

Antes de começar o processo de criação de uma imagem, decida o foco que o seu desenho vai ter.

"A primeira coisa que eu pergunto a mim mesmo é 'sobre o que vou falar hoje?', diz Asukwo. "Quais são as questões — não o que é popular — mas quais as questões que mais me afetam ou o público?"

(2) Escolha uma perspectiva

Assim que escolhe o assunto, Asukwo determina o ponto de vista do desenho. Ao decidir isso, considere como as pessoas estão se sentido sobre o seu tema e sua futura significância.

Não há garantia de que as pessoas vão interpretar uma charge da maneira como o artista a concebeu. Porém, o artista decide quais imagens ele põe no mundo e como. Da mesma maneira como fotojornalistas escolhem ângulos específicos, iluminação e profundidade de seu trabalho, os chargistas devem escolher o ângulo que vão usar para seu desenho e como ele vai ser traduzido.

(3) Pegue um lápis

Com o tema e a perspectiva em mente, foque na imagem física e explore as diferentes maneiras que você pode criar seu trabalho. É mais fácil criar um produto final se há muitos esboços a partir dos quais você pode escolher.

 

[Leia mais: Como os jornalistas encontram suas ideias de pautas?]

 

Como estruturar uma charge

Não importa o quão popular uma ideia ou questão possa ser, é importante que o chargista faça sua própria pesquisa para encontrar o "o quê" e "como" por trás de uma fonte de informação. Eles devem então estruturar sua mensagem de acordo.

Chargistas têm a responsabilidade de expressar informação ao seu público por meio de suas imagens e evitar disseminar desinformação. Charges podem ser trabalhos isolados ou estarem ligados a reportagens maiores; é importante considerar o contexto dessas matérias e fazer a checagem de fatos.

"Às vezes você pode cometer um erro porque há muita desinformação. Há tantas notícias falsas por aí e algumas delas parecem muito verdadeiras... Então tenha cuidado", diz Asukwo.

Esteja ciente da parcialidade

O simples ato de escolher um assunto como um artista ou repórter significa escolher um lado. "Uma charge nasce da opinião de um artista", diz Asukwo. "Você precisa partir de um ângulo particular. Esse ângulo que você escolhe deve te deixar confortável. Você fez sua pesquisa, sabe como afetou a audiência, como afeta o seu leitor. Você tomou a decisão, então você já está enviesado de alguma forma.

A imagem que um chargista cria também deve estar alinhada com a mensagem que ele quer expressar. Se uma imagem retrata uma mensagem negativa, o artista pode abrir mão de elementos como cores mais vivas e diálogos animados para evitar ambiguidade.

Charges podem ser usadas como uma ferramenta para defender ideias e um bom chargista vai saber quando usar isso. Não há como eliminar totalmente a parcialidade, mas a melhor abordagem para criar qualquer charge é permanecer bem informado antes de ilustrar qualquer informação para o público.  

 

[Leia mais: 7 aplicativos para editar fotografias]

 

Ferramentas para desenhar

Os três elementos principais de um chargista de sucesso são paixão, habilidade artística e habilidade técnica, diz Asukwo.

Charges podem ser desenhadas totalmente à mão ou com ajuda de um tablet. Asukwo estima que seu trabalho é normalmente 30% manual e 70% digital, frequentemente começando como esboços que depois são escaneados e carregados em um computador e editados com um software.

iPhones permitem que usuários escaneem imagens com o aplicativo de notas e as transformem em arquivos digitais. Programas como Adobe Photoshop ou Adobe Illustrator oferecem ferramentas para manipular imagens. O Illustrator manipula imagens vetoriais, que normalmente criam as linhas mais limpas que Asukwo prefere, enquanto o Photoshop trabalha com imagens do tipo raster, manipulando cada pixel individualmente.

Não há uma combinação mágica que todos os chargistas deveriam seguir. A ferramenta mais fácil de usar sempre será um lápis e a melhor prática é criar linhas limpas que transmitam uma mensagem clara.


Janet Batra é estagiária de comunicação no ICFJ e membro da turma de 2021 do Dow Jones News Fund Digital Media.

Veja o webinar aqui.

Foto por Irene Strong no Unsplash