SEO para jornalistas: Como aplicá-lo na rotina da redação

porRosiana Alda
Nov 23, 2020 em Jornalismo digital
Sigla SEO colorido sob fundo branco

A produção de conteúdo jornalístico para web trouxe o desafio de unir o jornalismo com o marketing digital. Ambas áreas têm técnicas que favorecem a entrega da informação mais assertiva. Neste contexto, o jornalista precisa ficar atento para as técnicas de SEO (Search Engine Optimization — Otimização para resultados de busca), que são úteis em vários formatos.

Entre a criação de pauta e a publicação do conteúdo, há elementos de SEO aplicáveis na rotina da redação. Confira abaixo alguns passos para planejar sua estratégia de SEO.

Defina a persona

Persona é um personagem fictício criado com base em dados reais. Não é o mesmo que público-alvo, pois este é mais amplo. A persona tem um nome, idade, profissão e hábitos, enquanto público-alvo inclui diferentes perfis com um desejo em comum. 

[Leia mais: 5 elementos que organizações de jornalismo sustentáveis têm em comum]

 

Você deve conhecer a fundo para quem vai escrever para saber o que produzir e oferecer um conteúdo mais relevante. No entanto, nem todo conteúdo exige uma persona específica, como é o caso de uma reportagem de fôlego pautada em um assunto de interesse público.

A criação de persona pode fazer parte de um processo de design thinking – uma abordagem que coloca as pessoas no centro da criação do conteúdo em busca de soluções.

Escolha as palavras-chave

É necessário compreender como a pessoa realiza a busca por determinado assunto. Por exemplo: você vai escrever sobre  veganismo. A palavra-chave é muito genérica, mas se pesquisar por “veganismo é saudável”, perceberá que os resultados mostram matérias que abordaram o assunto. 

Nesse sentido, se você vai produzir um conteúdo com SEO, a análise de palavras-chave passa a fazer parte da sua rotina, e é possível fazê-la diretamente na busca do Google ou com ferramentas como o planejador de palavras-chave do Google ADS, SemRush e Ubersuggest.

Analise o comportamento do usuário 

Ao analisar quais resultados aparecem nos mecanismos de busca para uma determinada palavra-chave, você percebe qual tipo de conteúdo o usuário prefere, consequentemente qual vale a pena produzir. 

Não adianta escrever um artigo de 2.000 palavras se o comportamento do usuário indica que um vídeo é a melhor resposta. O mesmo acontece se para aquela determinada palavra-chave os mecanismos de busca indicam imagens, respostas rápidas ou documentos em PDF. Ao analisar essas informações, é possível direcionar a pauta para um conteúdo em texto ou vídeo, e isso ajuda a organizar a rotina da redação e da equipe. 

Entenda o poder da credibilidade do seu conteúdo

A credibilidade na internet vai além do seu currículo ou da empresa em que você atua como jornalista. Atualmente, o Link Building é a prova disso, pois quanto mais sites apontarem para os seus conteúdos, mais autoridade sobre o assunto você passa a ser. No entanto, esses apontamentos precisam ser genuínos. Compra de links gera queda no ranking dos resultados de busca e, principalmente, de credibilidade. 

Saiba como escrever um artigo com SEO

Se você é do tempo da internet discada, talvez tenha a lembrança do quanto pesquisar algo era complicado, pois sites e blogs com conteúdos ruins apareciam sem filtros. Diante desta realidade, em 2003, o Google passou a investir mais nas técnicas de SEO e a definir as regras do jogo. 

[Leia mais: Automação pode liberar jornalistas para se concentrarem mais na reportagem]

 

Uma pesquisa da StatCounter indica que, o Chrome é utilizado por 82,12% dos usuários de internet no Brasil. Logo, compreender como o Google avalia o SEO acarreta em mais visibilidade à produção jornalística. 

Dicas para criação de textos

  • Título e subtítulo: Na linguagem da programação, o título é chamado de H1, e nele deve constar a palavra-chave do texto. Já os subtítulos seguem uma hierarquia: H2, H3, H4 e H5.
  • Links internos e externos: Os links internos levam o usuário para outras páginas do site. Já os externos indicam a fonte utilizada como leis, artigos científicos, etc. 
  • Atributo Alt nas imagens: Você renomeia a foto com a palavra-chave para que o seu conteúdo seja localizado por imagens. 
  • Palavras de transição: Se você conectar uma frase a outra com palavras de transição melhora a pontuação do conteúdo para aparecer no resultado das buscas. 
  • Legibilidade: O uso do H1, H2 e H3, bem como fotos, vídeos e infográficos facilitam a leitura, que também é importante para o SEO. 

A regra é transmitir a mensagem sem ser exaustivo para quem lê. Contar histórias de interesse público sempre terá espaço para manter o jornalismo vivo, independentemente do canal escolhido. Você pode aproveitar as novas técnicas para complementar o compromisso de informar às pessoas. 


Rosiana Alda é jornalista e fundadora da Agência Esther de jornalismo ambiental. Atuou como produtora de TV, redatora com técnicas de SEO e repórter freelancer. Já cobriu eventos como Beauty Fair, NaturalTech, VegFest Brasil e Encontro Vegano JMA. Atualmente, dedica-se a produzir conteúdo digital sobre meio ambiente, alimentação, saúde, bem-estar e marketing digital. 

Imagem sob licença CC no Unsplash por Merakist