O que saber se você quer ser correspondente internacional

por Madison Temmel
May 18, 2021 em Temas especializados
Mapa do mundo

Para quem está de fora, o mundo da correspondência estrangeira muitas vezes parece uma aventura. Imaginamos repórteres viajando de região a região, com um gravador na mão, prontos para a próxima história para contar ao público em casa. No entanto, esse campo do jornalismo é notoriamente difícil de entrar.

Seguem cinco dicas para quem sonha em fazer reportagens em terras distantes.

Mapeie as últimas tendências no campo

Observe atentamente como o setor está mudando. Isso inclui aprender sobre trabalho freelance, quais países exigem credenciais de imprensa, quem ainda tem escritórios no exterior, o surgimento de escritórios estrangeiros virtuais ou foque em grupos que adotam uma abordagem mais colaborativa para o jornalismo internacional.

Isso o ajudará a entender suas opções, como você pode contribuir para o jornalismo estrangeiro e se este é realmente o setor em que deseja mergulhar.

[Leia mais: Entendendo o papel de um 'fixer']

Entre em contato com correspondentes estrangeiros

O jornalista freelance Charlie Faulkner diz que está constantemente propondo pautas, construindo contatos e economizando dinheiro para seu próximo empreendimento. Pode ser em algum lugar da Turquia seguindo a comunidade LGBT, entre a multidão de manifestantes em Hong Kong ou cobrindo mulheres esquiadoras no Afeganistão.

Ela encoraja todos os aspirantes a correspondentes estrangeiros a entrarem em contato com jornalistas que já estão no campo para ter uma ideia de como é. Pode ser estressante no início, mas lembre-se de que todos os jornalistas já foram novatos e ficam felizes em compartilhar conselhos.

Torne-se especialista em uma região

Se você sonha em se inserir em uma área específica, reserve um tempo para desenvolver uma compreensão mais profunda dessa região. Você pode aprender o idioma, ler sobre a história e aprender sobre as nuances de sua cultura. Embora isso não seja necessário para se tornar um correspondente estrangeiro, pode ajudá-lo a se tornar um repórter mais atencioso no exterior.

Will Grant, correspondente da BBC no México, América Central e Cuba, discutiu como uma boa compreensão de uma região pode melhorar a narrativa das histórias, durante uma palestra na Faculdade de Jornalismo e Comunicação da Universidade de Oregon. Vale a pena ouvir se você é aspirante a correspondente estrangeiro.

[Leia mais: Como viver do jornalismo freelance]

Localize notícias internacionais

Pense em como uma história no exterior pode afetar sua vizinhança, comunidade ou país como um todo.

Isso pode ajudar os leitores a se relacionarem com a história e a despertar o interesse em eventos globais, e também pode dar a você um gostinho da correspondência estrangeira em casa. Se você quiser um pouco de inspiração, dê uma olhada neste ótimo exemplo da Emissora Pública de Oregon focado nos refugiados Rohingya em Portland, no Oregon.

Consuma o máximo de conteúdo que puder

Desenvolva uma ampla compreensão do que está acontecendo em outros países e mantenha-se informado.

Isso pode ir além de ouvir relatos vindos de veículos de comunicação em seu próprio país — encontre meios de comunicação em outros lugares. Isso ajudará a ver as notícias através de uma lente diferente e obter uma compreensão mais profunda das diferentes regiões.


Este artigo foi publicado originalmente pelo Journalism.co.uk e reproduzido na IJNet com permissão.

Madison Temmel é jornalista e estudante da Universidade de Oregon.

Imagem sob licença CC no Unsplash via George Bakos