Dicas para gerenciar projetos de jornalismo interativo

por Jessica Weiss
Apr 22, 2014 em Diversos

Um infográfico bacana e informativo pode ser o resultado final satisfatório para o trabalho duro de uma equipe digital. Mas Mariana Santos, ex-designer de interativos do jornal Guardian, diz que o processo de chegar lá é tão importante quanto o próprio resultado.

"Para uma equipe, é tanto sobre a jornada como sobre a chegada", diz Santos, bolsista do Knight International Journalism Fellowship do Centro Internacional para Jornalistas. Ela é fundadora da Chicas Poderosas, um movimento para treinar mulheres para participar de tecnologia em redações na América Latina.

Santos, recentemente liderou uma sessão de treinamento em gerenciamento de projetos para equipes de narração digital interativa, em Santiago, Chile. Ela conversou com a IJNet sobre como conseguir ótimas dinâmicas de grupo e comunicação eficaz, que, segundo ela, ajudam na qualidade geral das redações. Aqui estão suas quatro dicas importantes:

Comunicação é fundamental

No jornalismo, Santos diz, uma ótima comunicação é primordial. Para isso, um gerente de projeto dedicado e focado deve saber cada detalhe de um projeto, e explicar e distribuir tarefas entre todos os membros da equipe (desenvolvedores, jornalistas e designers). Cada membro da equipe deve entender completamente o que, quando e como ele ou ela precisa entregar uma tarefa.

"Cada pessoa da equipe deve se sentir 'parte dela', de modo que os egos individuais sejam substituídos pelo espírito de trabalho em equipe, onde todos estão trabalhando em um objetivo comum e cada pessoa faz parte desse caminho."

Acabe com as hierarquias

A marca de uma equipe de jornalismo digital disfuncional, Santos diz, é quando um editor escreve uma matéria e então se aproxima do designer para encomendar um infográfico pouco antes que da matéria estar pronta para ser publicada. Pior ainda, ela diz, é enviar um e-mail para um desenvolvedor que trabalha na administração em outro prédio, pedindo que um interativo seja criado para acompanhar a matéria. (Ela viu isso muitas vezes.)

"Eu realmente acredito que precisamos sentar lado a lado, diz Santos. "Somos uma família durante toda a fase de resolução de problemas, trabalhando juntos como designers, desenvolvedores e editores para encontrar a melhor maneira de contar a história."

Também útil, Santos diz, é um espaço de trabalho aberto, com muitas oportunidades para "desentendimentos acidentais".

Reflexão é importante

A chave para o sucesso e a estabilidade emocional durante o processo, Santos diz, "é aprender com os erros". Especialmente ambientes de alta tensão, sob a pressão do fechamento, é importante desacelerar e refletir.

"Se há algo que você não gostou que o seu colega fez, fale --imediatamente ou no fim do projeto-- para que todos possam aprender com os erros", diz ela. "A fase de reflexão depois de um projeto, onde compartilhamos o que funcionou e o que não funcionou só pode trazer transparência, confiança e melhoria de futuros projetos e comportamentos."

Aplique uma mentalidade de startup enxuta ao jornalismo

No jornalismo interativo, o fluxo de trabalho é como o de uma startup: "Precisamos falhar rápido para ter sucesso logo. Precisamos ser ágeis. Precisamos ter fluxos de trabalho paralelos, mesmo dentro de uma estrutura de equipe enorme que precisa trabalhar em sincronia com muitas pessoas e tarefas."

A metodologia enxuta permite que toda a equipe saiba em que pé o projeto está, o que precisa ser feito e quando, explica ela. Todo mundo tem uma visão clara do desenvolvimento do projeto, bem como do seu papel na equipe e o que se espera. Isso cria uma sensação de bem-estar, o que é muito importante para minimizar o estresse.

"Se uma equipe está limitada à mesma abordagem a cada vez só porque é segura, nunca vai acontecer inovação."

Para saber mais, visite Chicas Poderosas.

Jessica Weiss é uma jornalista freelancer com base na Colômbia.

Foto cortesia de woodleywonderworks no Flickr sob licença Creative Commons