Conselhos, ferramentas e dicas para organizar uma colaboração transfronteiriça

porNatalie Van Hoozer
Oct 15, 2018 em Jornalismo digital

Colaborar entre países e fusos horários é um desafio e requer comunicação clara e eficiente —algo que a equipe do Code For Africa (C4A) conhece bem. Como a maior iniciativa de jornalismo de dados e tecnologia cívica do continente africano, os líderes do C4A, como Jacopo Ottaviani, bolsista Knight do ICFJ, desenvolveram métodos para facilitar o processo.

Ottaviani trabalha como editor de dados pan-africanos no C4A, organizando a produção de matérias e o envolvimento de pesquisadores, designers, desenvolvedores e jornalistas com uma equipe internacional de dados de 30 pessoas. A equipe de dados trabalhou entre fronteiras em projetos como o Gender Gap, um banco de dados interativo e uma calculadora que ajuda usuários a visualizar as disparidades salariais entre os gêneros em toda a África. Eles também usaram sistemas de organização para colaborar no InfoNile, o primeiro projeto de dados abertos de geojornalismo da África sobre questões de segurança hídrica na Bacia do Nilo.

Em um webinário recente apoiado pela Fundação Dow Jones, Ottaviani compartilhou dicas para montar uma equipe e gerenciar a comunicação:

Designe um líder de projeto

Antes de lançar um projeto transfronteiriço, as várias equipes do projeto precisam designar líderes para manter tudo funcionando sem problemas, enfatizou Ottaviani.

"A equipe deve ter uma pessoa responsável pela coordenação, porque esses projetos envolvem muitas partes móveis", disse ele. "Se você simplesmente deixa as coisas andarem sozinhas, pode ser bastante caótico; então ter uma estrutura clara pode ser muito útil."

A equipe do Code For Africa também usa a Agile Methodology, uma abordagem que se originou no mundo do desenvolvimento de software para otimizar a organização de um projeto. Ottaviani disse que a abordagem funciona bem para o Code For Africa porque a equipe “trabalha na interseção entre tecnologia e mídia”. Usando processos de comunicação definidos, essa metodologia enfatiza a importância de poder adaptar os planos da equipe e responder às mudanças de maneira rápida e fácil.

Tenha uma estratégia de comunicação

Como qualquer projeto pode ser composto por oito ou nove pessoas, Ottaviani disse que usa várias estratégias diferentes para coordenar a comunicação e o desenvolvimento de projetos. A primeira abordagem é “standups”, que são reuniões diárias ou semanais, por meio de mensagens ou presenciais, em que os membros da equipe fornecem atualizações curtas sobre seu trabalho ou levantam questões. Se a equipe só quer discutir um desafio específico, eles se reúnem para um "sprint". A rede do Code For Africa também realiza encontros de vídeos ou telefonemas semanais. Para projetos transfronteiriços, Ottaviani disse que é crucial encontrar uma hora e um dia da semana que funcione para toda a equipe.

Uma vez que o projeto é iniciado, o grupo deve dedicar um tempo para a análise retrospectiva para ver o que está funcionando bem e o que pode ser melhorado para projetos futuros, bem como o restante do projeto atual.

Use ferramentas colaborativas

A equipe do Code For Africa usa o Slack, Trello e Google Drive para construir um escritório virtual. A plataforma de mensagens Slack permite que os usuários criem grupos e subgrupos para comunicação dentro e entre equipes. O Trello é um painel compartilhado com listas que permitem que os usuários visualizem tarefas. Ottaviani disse que o Trello ajuda sua equipe a definir prioridades e determinar a carga de trabalho, já que os usuários podem classificar suas tarefas em listas como "Para fazer", "Em andamento" e "Concluído". Há também o recurso de criar uma lista de "revisão". Os líderes de equipe podem verificar a qualidade das tarefas concluídas. A equipe usa o Google Docs, Apresentações Google e Planilhas Google para trabalhar de forma colaborativa e compartilhar arquivos.

Construa relacionamentos de equipe

Nem toda a comunicação do grupo deve estar estritamente relacionada ao trabalho. A equipe de Ottaviani tem um canal de "bate-papo" no Slack, que é útil para a formação das equipes. Ao descrever o canal, Ottaviani explicou: “Nós basicamente nos divertimos”. Os membros da equipe compartilham emojis, música favorita e outras conversas leves que ajudam a unir mais o grupo.

Ottaviani acrescentou que as reuniões presenciais ajudam a fortalecer os relacionamentos entre os membros da equipe. Ele recomendou que os jornalistas participem de conferências para estabelecer mais conexões pessoais e encontrem as pessoas com quem gostam de trabalhar em outros países.

Saiba mais sobre a série de webinários Dow Jones do ICFJ aqui.

Imagem principal sob licença CC no Unsplash via Andrew Stutesman