App #12 da Suíça cria diálogo aberto com leitores

porValérie Arnould
May 9, 2016 em Jornalismo móvel

“Acho que com o app #12 criamos um diálogo aberto sobre 'qualidade' que pode aumentar a satisfação dos leitores. Estamos pensando sobre como fazer coisas semelhantes em outras plataformas de notícias", disse Michael Marti da Tamedia, uma firma suíça, aos participantes da conferência Digital Media Europe da WAN-IFRA em Viena.

O aplicativo #12 segue um conceito popular nos dias de hoje, que é fazer a curadoria das notícias mais importantes para os leitores e divulgar histórias uma vez por dia em uma edição visualmente atraente.

Isso é algo que outros editores estão explorando nos últimos dois anos, com outros exemplos, como o Economist com Espresso, o New York Times com o NYT Now  e o La Matinale do Le Monde, para citar apenas alguns.

Mas a Tamedia está dando seu próprio toque a este tipo de oferta de notícias.

A primeira adição é a variedade de conteúdo, pois a pequena equipe editorial (1,5 funcionários a tempo integral) no comando do aplicativo escolhe 12 artigos por dia de mais de 20 marcas de jornais e revistas da Tamedia.

Artigos de revistas femininas, jornais regionais ou a notícias do carro-chefe do grupo Tages-Anzeiger são reembalados com um design móvel elegante.

A segunda adição é que o aplicativo # 12 segue dois objetivos de negócio paralelos: está tentando converter os usuários em assinantes do aplicativo e premiar os leitores que já estão pagando por um dos títulos do grupo, oferecendo-lhes o aplicativo gratuitamente.

"Consideramos o aplicativo como um valor acrescentado para algumas publicações da Tamedia. As outras pessoas pagam CHF6 por mês, o que chamamos de preços Spotify", diz Michael Marti, chefe de digital do jornal Tages-Anzeiger de Zurique (foto).

O aplicativo de notícias # 12 foi lançado em outubro de 2015 em iOS (após um ano de incubação) e em fevereiro desse ano no Android.

"O aplicativo atingiu cerca de 35.000 downloads e temos 15.000 usuários diários. Dez por cento se convertem em assinantes pagos. Precisamos de cerca de 2.400 assinantes para conseguir um equilíbrio financeiro", acrescenta Marti.

O aplicativo não está aberto à publicidade móvel, mas pode considerar um modelo de patrocínio no futuro.

'Um laboratório de jornalismo'

Dentro da Tamedia, o aplicativo # 12 é considerado "um laboratório de jornalismo". Uma das razões é que o sistema de classificação incorporado no aplicativo pergunta aos leitores se eles gostam ou não de um artigo. Este feedback diário é então processado e usado para refinar os artigos e a seleção dos temas.

"Estamos recebendo entre 2.000 e 3.000 classificações para cada edição diária, e isso nos ajudou a melhorar o componente de aplicativo", diz Marti. "Até agora, o nível de satisfação é muito alto, em torno de 80 a 90 por cento."

O sistema de medição utiliza um simples botão de "sim/não" no final do artigo, e esta classificação é combinada com a medida de visualizações de tela.

A Tamedia também está considerando a possibilidade de expandir esse conceito para verticais (por exemplo, de esportes). Mas, como diz Marti, deve ser temas que são suficientemente amplos, porque o mercado suíço é pequeno.

Este post apareceu originalmente no blog do World Editors Forum e é reproduzido na IJNet com permissão. Valérie Arnould está na equipe de consultoria da World Association of Newspapers and News Publishers (WAN-IFRA).

Imagem principal sob licença CC no Flickr via CAFNR. Imagem secundária cortesia da WAN-IFRA.