Lições para o jornalismo de uma campanha de engajamento social do terceiro setor

porJessica Weiss
Aug 13, 2013 em Diversos

A plataforma World Pulse construiu uma comunidade robusta de 18.000 membros ativos, mas não queria que a conversa parasse por aí. Queria dar aos membros a oportunidade de falar para um público mais amplo sobre questões fundamentais --e fazer suas vozes serem ouvidas pelos políticos.

A bem-sucedida campanha desta organização sem fins lucrativos reuniu histórias de mulheres para criar um comunicado aos líderes mundiais na cúpula do G20 em Moscou. Esse trabalho foi mais justiça social do que jornalismo, mas oferece lições a redações que querem envolver os usuários em formas que vão além de retuites e "curtidas" no Facebook.

A campanha Girls Transform the World (Meninas Transformam o Mundo) convidou meninas e mulheres para identificar, compartilhar e refletir sobre os obstáculos à educação das meninas e propor soluções. A World Pulse recebeu centenas de respostas de cerca de 60 países, incluindo de sociedades repressivas, onde histórias de meninas muitas vezes passam ignoradas.

A comunidade compartilhado histórias sobre os efeitos das políticas de educação infantil, casamento e gravidez, segurança e escolas. Além de criar uma discussão ativa dentro da comunidade, a World Pulse reuniu 350 histórias e as entregou aos delegados do G(irls) 20 Summit, que depois passou o comunicado para a cúpula do G20.

A IJNet conversou recentemente com Leana Mayzlina, coordenadora da campanha de ação digital da World Pulse, e Kim Crane, coordenadora de conteúdo, e chegou a essas dicas para engajar uma comunidade:

Cultivar a comunidade deve ser uma atividade contínua

Uma comunidade ativa está sempre pronta para participar. As pessoas que fazem parte da comunidade PulseWire da World Pulse não participa durante a noite ou apenas nos fins de campanha. Em vez disso, a organização sem fins lucrativos constantemente se envolve com os membros e mantém um olho nos temas urgentes enfrentados pelas mulheres em suas sociedades. Dessa forma, os temas de campanha são baseadas em questões que saem organicamente da comunidade.

Compartilhe seu objetivo

Ao lançar a campanha, a World Pulse compartilhou seu objetivo fundamental: Levar histórias de meninas e mulheres nas mãos dos líderes do G20 para afetar mudanças políticas. Esse objetivo motivou o público a participar e fazer suas vozes serem ouvidas. "Nós mostramos que suas histórias podem criar mudança", disse Mayzlina. "Caso contrário, muitas vezes não iriam passar pelo trauma de revivê-los."

Seja claro nas instruções

"Em um certo momento, tivemos várias oportunidades de engajamento diferentes acontecendo", disse Crane. "Isso confundiu as pessoas, porque não entendiam sobre o que escrever". A World Pulse aprendeu a manter em mente a perspectiva de uma pessoa de fora quando explica ao participar e indicar claramente as instruções.

Ajude as pessoas a se sentirem seguras e apoiadas

Porque as histórias mais interessantes são muitas vezes as mais difíceis de contar, a World Pulse se esforça para cultivar um espaço comunitário compreensivo e positivo. Uma coordenadora de comunidade online mantém a área da comunidade do site, e voluntárias "ouvintes" de uma campanha específica trabalham com o conteúdo produzido pela comunidade. Escritores recebem o feedback de outros escritores e membros também. Porque o idioma pode ser uma barreira, a campanha também ofereceu tradução francesa-inglês para mulheres na África. E porque muitas mulheres vivem em regimes ou ambientes domésticos repressivos, a World Pulse lhes permite participar de forma anônima.

"As mulheres dizem 'eu preciso disso, eu preciso de um espaço, eu preciso compartilhar a minha história'", disse Mayzlina. "Elas sabem que serão ouvidas por mulheres de apoio, e isso as fortalece para escreverem livremente."

Ofereça as redes sociais como uma forma alternativa de participar

A World Pulse usou as mídias sociais para que as pessoas soubessem que a campanha estava chegando, para compartilhar histórias quando surgiram e compartilhar impacto quando a campanha fechava.

As pessoas que não queriam escrever a história inteira no site tinham outras oportunidades de se envolverem através da mídia social. Por exemplo, a World Pulse postou uma foto relacionada com a educação de meninas e desafiou as pessoas a escrevere uma legenda poderosa. Centenas de pessoas responderam. Dessa forma, toda a comunidade fez parte da campanha, mesmo se não apresentaram uma história pessoalmente.

Comunique o impacto

A World Pulse mantém a comunidade informada sobre o impacto de suas histórias. Durante a campanha, a organização escreveu atualizações no blog e mídias sociais para compartilhar detalhes sobre como o conteúdo estava sendo usado. Eles constantemente atualizaram a página da campanha com histórias. Enviaram detalhes da campanha para os membros e deram ao público maneiras concretas para usar e compartilhar informação.

"Estamos continuamente reforçando o ponto e do que se trata", disse Crane. "Essa é a chave."

Jessica Weiss, ex-editora-chefe da IJNet, é uma jornalista freelancer com base em Buenos Aires.

Imagem cortesia de SummerRain812 no Flickr sob licença Creative Commons License