Instrutora de mídia social: 'Não deixe que uma pesquisa na Internet ou Wikipedia comprometa sua credibilidade'

por Natasha Tynes
Nov 21, 2012 em Redes sociais

As redes sociais estão desempenhando um papel importante na disseminação da informação no mundo árabe. Assim, o treinamento de jornalistas na região sobre o tema é mais importante do que nunca.

Anos antes das revoluções árabes, a jornalista americana Jessica Dheere reconheceu que a mídia social deve ser uma prioridade para os jornalistas. Pouco depois de se mudar para o Líbano para uma missão de reportagem, Dheere estabeleceu-se em Beirute e criou uma organização de consultoria e treinamento, a Social Media Exchange (SMEX) com seu marido, Mohamed Najem.

Desde 2007, a organização ensina jornalistas e organizações da sociedade civil como usar as mídias sociais de forma eficaz. Um projeto recente, chamado "Shou Osstik?" (Qual é a sua história?), ensinou mulheres libanesas em todo o país sobre como disseminar suas vozes através das redes sociais.

Dheere conversou com a IJNet sobre envolvimento do usuário, a importância de verificar antes de compartilhar informações e projetos sociais inovadores de mídia no Oriente Médio e norte da África.

IJNet: Que tipo de dicas você daria para os gerentes de mídias sociais no mundo árabe?

Jessica Dheere:

  1. Faça uma tentativa honesta de verificar tudo, mesmo quando se trata de fontes confiáveis. Não deixe que uma pesquisa na Internet ou na Wikipedia comprometa a sua credibilidade. Na mesma linha, não retuite links que você mesmo não leu. Quando passamos para a frente má informação sem dar-lhe a devida atenção, somos tão responsáveis ​​quanto à fonte que deu a informação.

  2. Pratique o escutar. Online, ouvir significa seguir as vozes barulhentas, bem como as mais suaves para obter insights sobre vários pontos de vista, mesmo que você não concorde com eles. Isso significa que pensar em palavras-chave que se relacionam com as questões que você cobre, configurar alertas de notícias e criar uma rotina para vê-los todos os dias. E isso significa ouvir o que seus leitores têm a dizer sobre o seu trabalho e reconhecer suas contribuições.

  3. Use as mídias sociais para fortalecer a marca da sua organização. Suas contas na rede social devem apoiar o seu jornal ou sua programação de TV e não competir com eles. Use as mídias sociais para publicar links para notícias e direcionar tráfego para seu site, mas certifique-se de oferecer também oportunidades de interação e mídia rica que não estão disponíveis na imprensa ou transmissão. Cada canal em sua estratégia de publicação -- Twitter, YouTube, Facebook, blog ao vivo, etc -- deve ter uma função específica que se alinha com o conteúdo geral do seu veículo e os objetivos de engajamento.

IJNet: Você acha que certos veículos de mídia do mundo árabe estão usando a mídia social melhor do que os outros?

Dheere: Em geral, os canais de mídia árabes estão cada vez melhores no uso de redes sociais, mas isso está acontecendo lentamente e é difícil de quebrar a mentalidade de rádio e TV. Não surpreendentemente, a Al Jazeera é um modelo claro, tanto nos canais árabe e inglês. A rede tem um departamento de novas mídias há vários anos e não limita sua inovação a simplesmente se envolver no Twitter e Facebook, mas também experimentou com outros aplicativos sociais como o Creative Commons, crowdsourcing e ferramentas de reportagem móvel, bem como a criação de programas como The Stream, dedicado à captura de pontos de vista especificamente de redes sociais.

IJNet: Como você avalia a inovação no mundo árabe, tratando-se do uso de tecnologia e jornalismo?

Dheere: Eu acho que há um grande potencial para a inovação e acho que parte [desse potencial] está sendo realizado agora por novas empresas de notícias como a Naharnet.com (sem relação com o An Nahar, o jornal libanês), que está usando a tecnologia de forma interessante para publicar uma notícia mais automatizada e aparentemente mais objetiva para os mercados de libaneses e, eventualmente, regionais.

Clique aqui para seguir o Social Media Exchange no Twitter e aqui para curtir o SMEX no Facebook.

Foto cortesia de Mohamed Najem