Iniciativa de comunicação rural na Índia ajuda a compensar perdas com pandemia

porKritika Narula
Oct 17, 2020 em Notícias locais
Uma mulher alimenta uma vaca com cevada, crédito: Rekha Rautela

Quando a pandemia de COVID-19 e o subsequente bloqueio atingiram o mundo, as pessoas que dependem da indústria do turismo sofreram um impacto em seus meios de subsistência. O efeito foi mais profundo para as pessoas que vivem na Índia rural, onde as ferramentas de comunicação digital são escassas.

Para abordar esse problema, a plataforma de mídia sem fins lucrativos Voices of Rural India encontrou uma maneira de transformar a crise de COVID-19 em uma oportunidade, atualizando as habilidades digitais entre os comunicadores rurais para criar meios de subsistência alternativos.

“As tecnologias digitais tornaram mais fácil para nós sobreviver durante o confinamento em áreas urbanas, mas o mesmo privilégio não estava sendo estendido às áreas rurais”, diz a cofundadora e jornalista de viagens Shivya Nath. “Mesmo com o acesso recente aos smartphones, as pessoas são mais consumidoras de conteúdo do que criadoras. Para tanto, não existem oportunidades ou ferramentas reais para desenvolver essas habilidades. Essa divisão digital tornou-se muito aberta.”

Foi assim que nasceu o Voices of Rural India. A organização visa apoiar e capacitar as vozes autênticas de comunicadores rurais por meio da mídia digital. Atualmente, trabalha com comunidades rurais em Ladakh, Himachal Pradesh, Uttarakhand, Kerala, Maharashtra e Gujarat.

 

Voices of Rural India logo

Por meio de parcerias com organizações locais de turismo baseadas na comunidade, o Voices of Rural India treina comunidades locais em habilidades de reportagem digital. Qualquer pessoa que tenha uma história para contar -- de guias de viagem a sherpas e residentes de longa data -- é treinada nas melhores práticas narrativas e incentivada a gravar a história em áudio ou vídeo. Essas histórias são então traduzidas e publicadas no site, tanto no idioma regional quanto em inglês. Ao fazer isso, podem criar uma espécie de ecossistema de viagem virtual, onde a tradição oral de compartilhar o folclore local encontra uma nova vida.

A outra cofundadora, Malika Virdi, faz parte de uma comunidade rural. Ela mora em uma aldeia chamada Sarmoli em Uttarakhand e dirige uma organização de turismo responsável chamada Himalayan Ark na aldeia vizinha de Munsiari. Na realidade, Voices of Munsiari foi a primeira iniciativa conjunta de treinamento e criação de conteúdo, criada por Virdi e Nath em 2016. Naquela época, Nath conduziu um workshop básico de Instagram e fotografia e, desde então, a comunidade tem aproveitado ativamente as ferramentas digitais para mostrar mais da cultura local.

“O poder de contar histórias é muito intrínseco à nossa cultura e comunidade”, diz Virdi. “Nós nos perguntamos, por que não aproveitamos o poder da narrativa e compartilhamos com o resto do mundo?”

Ishita Khanna, a fundadora da Spiti Ecopshere, uma das organizações parceiras que trabalham no Spiti Valley em Himachal Pradesh, concorda com Virdi: "Narrativas e viagens de turismo estão interligados. Os guias de viagem são excelentes narrativas e oferecem uma visão incrível da cultura local.”

Essas iniciativas ajudam a comunidade local a ser proprietária de seu folclore e a recontar essas histórias com orgulho. “Recontar histórias é uma perspectiva empolgante porque quanto mais fundo você se aprofunda nas histórias, mais você se familiariza com sua própria herança”, diz Virdi.

[Leia mais: Jornal rural voltado para mulheres na Índia é fenômeno nacional]

Documentando histórias de comunidades rurais da Índia

Para dar o pontapé inicial na iniciativa, o Voices of Rural India recebeu fundos da Digital Empowerment Foundation (DEF), uma organização sem fins lucrativos que trabalha com soluções para eliminar a exclusão digital no país.

No futuro, Virdi e Nath têm planos de financiar a iniciativa por meio de doadores e crowdfunding. Toda a receita vai para pagamentos para contadores de histórias da comunidade. Começa com o pagamento de INR1.000 pela primeira história que um membro da comunidade produz. Para a história seguinte, o criador é encorajado a criar uma história mais rica usando elementos visuais e auditivos, e recebe INR1.500. A partir da terceira história, espera-se que os criadores atendam a padrões mais elevados, a INR2.000 por história.

O Voices of Rural India compartilhou 19 histórias até agora, de acordo com sua meta de publicar dez histórias por mês. O site encontrou um público constante entre os entusiastas de viagens, com 12.900 visualizações, 112 assinantes de e-mail, mais de 1.800 seguidores no Instagram. Os leitores têm dado muito apoio aos contadores de histórias, ampliando suas vozes nas redes sociais e estendendo a mão para se juntarem como voluntários.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A post shared by Voices of Rural India (@voicesofruralindia) on

O objetivo de curto prazo do Voices to Rural India é criar um fluxo de receita alternativo para as pessoas afetadas pelo bloqueio, especialmente aquelas que tradicionalmente recebem a renda do turismo.

O segundo objetivo da plataforma é manter o contato com os viajantes. O público-alvo dessas histórias é o grupo de viajantes que se interessará por essas histórias e viajará para esses lugares assim que for seguro. No processo, o Voices of Rural India também salvaguarda a autenticidade das histórias e preserva as tradições orais, folclore local e a cultura da Índia rural, documentando-os nas vozes dos membros da comunidade.

Mais importante ainda, a visão dos fundadores é usar esse tempo e plataforma para treinar a comunidade em habilidades de narrativa digital.

[Leia mais: Bluetooth para o jornalismo cidadão na Índia]

Transmitindo habilidades de reportagem digital

“As pessoas têm muitas histórias, informações e conhecimento para compartilhar”, diz Khanna, “O desafio está em colocar essas histórias de uma maneira específica: estruturando a narrativa, fornecendo contexto de fundo, capturando tal contexto e paisagens visualmente.”

Para equipá-los com essas habilidades, a equipe do Voices of Rural India está compartilhando módulos de treinamento virtuais com os contadores de histórias rurais, que lhes ensinam os fundamentos da narrativa, como brainstorming de ideias, seleção de um gancho para a história, escolha do melhor meio, gravação o áudio e vídeo e usando fotografia básica de smartphone.

Conforme a iniciativa avança, os contadores de histórias também serão treinados para usar as mídias sociais e aproveitar as ferramentas online.

Em todos esses esforços, a equipe do Voices of Rural India é auxiliada por uma rede de voluntários virtuais baseados em todo o mundo -- da Índia aos Estados Unidos -- que ajudam na edição, tradução, revisão, limpeza, mídia social e otimização de mecanismo de busca. Se os voluntários tiverem um conjunto de habilidades altamente específico e especializado, eles podem considerar a criação ou planejamento de módulos de treinamento para a comunidade. Por exemplo, um fotógrafo autodidata compartilhou um módulo para fotografia móvel fácil e um cineasta profissional se ofereceu para criar um módulo de treinamento sobre como gravar vídeos.

Para Rekha Rautela, filha de uma família de agricultores de Munsiari, Uttarakhand, os grãos de cevada sempre foram uma questão de orgulho cultural — tanto que ela decidiu compartilhar sua perspectiva por meio da plataforma. “Contar essa história [e] editá-la ... foi um desafio”, diz ela. “Mas estou feliz por ter a oportunidade de compartilhar esse orgulho com o mundo.”


Imagem principal por Rekha Rautela, de sua matéria "A Culture in a Grain". 

Kritika Narula é jornalista, estrategista de mídia digital e consultora de comunicação.