Entrevista: O momento de estudar jornalismo de negócios global é agora

porSahar Majid
Aug 30, 2016 em Temas especializados

Desde o seu lançamento em setembro de 2007, o programa de jornalismo de negócios global produziu 403 graduados de 61 países. Uma parceria do Centro Internacional para Jornalistas e a Universidade de Tsinghua, na China, o programa visa preparar repórteres e editores de negócios que podem cobrir a economia da China e os mercados internacionais de uma forma mais transparente.

Em entrevista à IJNet, o codiretor e professor do programa, Rick Dunham, discutiu a importância da formação em jornalismo de negócios, as tendências econômicas da China e as ferramentas importantes para os jornalistas de negócios.

IJNet: Qual o papel que os jornalistas de negócios têm atualmente na crescente economia da China? Como isso se compara com o seu papel em uma escala econômica global? 

Dunham: O jornalismo de negócios na China pode ser mais importante do que o jornalismo de negócios na maioria dos países, porque a economia cresceu tão rapidamente ao longo das últimas três décadas e está passando por um período de incerteza e reestruturação. Há uma forte necessidade de reportagem de negócios de alta qualidade para explicar questões econômicas chinesas para os consumidores de notícias.

Historicamente, a qualidade da reportagem econômica na China era baixa, e é uma das principais metas do programa de jornalismo global melhorar as habilidades dos jornalistas de negócios para que eles possam transmitir as informações com precisão e analisá-las de forma inteligente.

Obviamente, porque o governo é proprietário ou regula os meios de comunicação, há uma relação diferente entre repórteres e seu público. Fora da China, um repórter de negócios que entende as complexidades e contradições do sistema chinês torna-se mais valoroso para as organizações de notícias internacionais.

Um diploma anterior em negócios, comércio, finanças ou economia ajuda a prosseguir facilmente em uma licenciatura em jornalismo de negócios? Os jornalistas precisam necessariamente de conhecimento de negócio para informar sobre negócios e economia?

Jornalistas não precisam de um diploma em negócios para serem jornalistas de negócios ou financeiros de sucesso, mas é um grande trunfo ter um amplo conhecimento do mundo dos negócios, economia e finanças. Eu recomendo desenvolver uma ou mais especialidades também.

Enquanto os trabalhos de jornalismo estão diminuindo em todo o mundo, trabalhos de jornalismo de negócios estão aumentando, e jovens jornalistas bem treinados que conhecem a área de negócios e sabem como contar histórias de negócios de uma forma interessante estão em grande demanda em todo o mundo.

Quais as ferramentas e habilidades que os jornalistas precisam para se destacar no ambiente de jornalismo de negócios de hoje?

Quatro conjuntos de habilidades são essenciais. Em primeiro lugar, um conhecimento básico de negócios, finanças e economia. Em segundo lugar, habilidades de pensamento crítico. Você deve ser capaz de analisar e explicar temas complexos. Em terceiro lugar, a capacidade de contar histórias de forma clara, completa e ainda de forma concisa. E em quarto lugar, a capacidade de contar histórias em várias mídias. Jovens jornalistas devem ser versáteis para ter sucesso. Isso significa ter a capacidade de criar gráficos interativos, galerias de fotos, reportagens de áudio e vídeo, e a capacidade de se adaptar às mais recentes ferramentas tecnológicas para contar histórias.

Que conselho daria para jornalistas interessados em assumir editorias de negócios e economia?

Saiba mais sobre a economia global e estude a forma de analisar balanços financeiros. Você precisa tanto de habilidades "macro" e "micro". Não precisa ser um especialista em negócios quando for contratado, mas precisa ser um aprendiz rápido e disposto. Deve ser mais do que um estenógrafo que reescreve os comunicados de empresas ou da agência do governo. Precisa desenvolver uma rede de fontes e experiência analítica no assunto da sua editoria, seja uma empresa, um setor econômico ou a economia global.

Que recursos estão disponíveis para os jornalistas que desejam se especializar em economia e negócios?

Eu recomendo muito o livro “Show Me the Money: Writing Business and Economics Stories for Mass Communication" do professor Chris Roush da Universidade da Carolina do Norte. "The Way Bloomberg", um manual criado pela agência Bloomberg, também é inestimável para aspirantes a especialistas de negócios. O blog “Talking Biz News” atualiza sobre as últimas tendências e empregos em jornalismo de negócios, também.

Negócios e economia muitas vezes cruzam com outras "editorias", como política, saúde e questões sociais. Como os jornalistas que não se especializam na cobertura de negócios podem aumentar sua compreensão de conceitos econômicos difíceis?

Você está absolutamente correto. Se você seguir o dinheiro, cada editoria é fundamentalmente de caráter econômico. Eu cobri política para a revista BusinessWeek há 15 anos, mas brinco que tenho um MBA na BusinessWeek porque fiz intensivos em economia internacional, comércio, macroeconomia, orçamentos e impostos, estratégias corporativas, economia de saúde e dinheiro-em-política.

Você não precisa de um MBA de verdade para ser um bom repórter econômico. Você só precisa de curiosidade intelectual e uma vontade de aprender com fontes diversas, que muitas vezes não concordam umas com as outras. O mundo é mais interdependente do que nunca, e negócios globais são mais importantes do que nunca para todos nós. Eu acho que é um momento emocionante para estudar jornalismo global de negócios e informar sobre o nosso mundo em rápida mudança.

Esta entrevista foi resumida.

Imagem sob licença CC no Flickr via Rafael Matsunaga