Ensino de mídia nas universidades evolui para ângulo empreendedor

porJames Breiner
Jul 13, 2016 em Jornalismo básico

Professores de jornalismo estão se adaptando à realidade de um mercado de trabalho historicamente difícil. Seus formandos estão lutando para encontrar trabalho estável em uma indústria cujas empresas mais importantes estão cortando pessoal há uma década.

Então, as universidades estão ensinando novas habilidades -- produção multimídia, gestão comunitária, gerenciamento e visualização de dados, entre outras --, bem como técnicas tradicionais de reportagem, redação e produção audiovisual.

Também estão encontrando novos modelos de negócios. Enquanto as empresas tradicionais de mídia são prejudicadas por montanhas de dívida e receitas em declínio, as universidades estão intensificando seus currículos para inovar e criar novas formas de jornalismo para a era digital.

Um grupo no Facebook para interessados ​​no ensino de inovação e empreendedorismo de mídia atingiu 800 membros. E a Faculdade de Pós-Graduação da Universidade da Cidade de Nova York (CUNY) está prestes a realizar a sua terceira conferência para educadores nesse campo crescente no dia 15 de julho. Jeff Jarvis e Jeremy Caplan são líderes nessa área. Eu participei das duas primeiras conferências.

Não há um modelo único 

Uma pesquisa com professores de jornalismo conduzida por Jan Schaffer para o Tow-Knight Center for Entrepreneurial Journalism na CUNY descobriu que as universidades estão tomando muitas abordagens diferentes para a inovação do ensino e empreendedorismo. Ela escreveu:

"A maior parte de nossos 85 entrevistados enquadrou o empreendedorismo de mídia em torno das necessidades dos jornalistas: Quarenta e um por cento disse que queria ajudar o aluno a entrar no negócio por si mesmo, ganhar dinheiro fazendo jornalismo ou lançar um empreendimento que trará receita suficiente para ser sustentável.

"Apenas um punhado de entrevistados, 20 por cento, ou 17 dos 85, focou no público, alinhando o empreendedorismo de mídia com a definição de inovação disruptiva do professor Clay Christensen da Universidade Harvard: identificar um trabalho que as pessoas precisam que seja feito -- e, em seguida, construir a solução ou ser um serviço para esse público."

O resultado da pesquisa sublinhou a tensão entre o jornalismo como serviço público -- o Quarto Estado, um contrapeso ao poder -- e como um negócio que precisa ser sustentável.

Antes da interrupção digital na indústria da mídia, a maioria das universidades ensinava jornalismo e publicidade/marketing como disciplinas separadas. A ideia era proteger a integridade do jornalismo da influência política e comercial. Mas o digital está desfazendo essas barreiras.

O jornalismo empreendedor na Espanha

Na Espanha, o interesse nestes programas tem crescido rapidamente. Em junho de 2014, uma reunião de professores semelhante à da CUNY foi organizada por Juan Luis Manfredi, professor da Universidade de Castilla-La Mancha. Chamado "Jornalismo Empreendedor: Uma Nova Esperança", o evento juntou 25 professores de comunicação para discutir a importância das novas disciplinas no currículo da universidade. Isso resultou em um livro de apresentações feito pelos participantes.

A presença mais do que dobrou na sessão do ano passado e, em setembro, o grupo vai realizar uma sessão de dois dias sobre "Inovação e Jornalismo: As Novas Competências Profissionais".

Uma transição complexa

É impossível hoje para editores, redatores e produtores deixarem o desenvolvimento da audiência e a monetização para uma equipe separada. Eles têm que envolver o público, ouvir suas opiniões, adotar as suas sugestões e tirar proveito de sua experiência. Para alguns jornalistas, é difícil admitir que o público sabe mais do que eles. Como o meu colega José Luis Orihuela escreveu, "As comunidades são mais importantes que os meios de comunicação."

Então escolas de jornalismo têm uma enorme oportunidade de participar na criação do novo jornalismo digital e encontrar maneiras de financiá-lo. O processo é complicado para as universidades, cuja demora muitas vezes entra em conflito com as rápidas mudanças do mercado (ver: Universidades e empreendedorismo nem sempre se misturam).

Alguns anos atrás, eu compilei uma lista de oito programas principais sobre jornalismo empreendedor. Hoje, a lista é muito maior, mas todos nós ainda estamos lutando para encontrar novos caminhos para mídias sustentáveis ​​que sirvam melhor a nossas comunidades do que agora.

Este post foi publicado originalmente no blog News Entrepreneurs de James Breiner e é reproduzido na IJNet com permissão.

Imagem principal sob licença CC no Flickr via Alan Light