Dicas para editar reportagens investigativas

por Jessica Weiss
Oct 2, 2014 em Jornalismo investigativo
Ignacio Rodríguez Reyna

Embora os repórteres tendam a levar todo o crédito das reportagens investigativas, a contribuição do editor é essencial para o sucesso de uma matéria. No melhor jornalismo investigativo, o trabalho de um editor começa quando um repórter apresenta uma ideia e vai até a experiência dos leitores com o produto final.

"Quando nós não nos importamos com o processo e o impacto final do texto, as matérias chegam a apenas um nível aceitável", disse o editor mexicano Ignacio Rodríguez Reyna da Revista Emeequis

Na semana passada, Rodriguez falou em Tegucigalpa, Honduras, em uma conferência regional de jornalismo investigativo, sobre o processo de edição de reportagens investigativas. A conferência, que reuniu mais de 100 jornalistas, editores e acadêmicos de 12 países da América Latina, foi organizada pelo Centro Internacional para Jornalistas e Connectas

Rodriguez compartilhou nove dicas importantes para que os editores tenham em mente quando trabalharem com jornalismo investigativo. Aqui está o nosso resumo: 

1. O trabalho começa em saber que histórias valem a pena investigar. Para responder a essa pergunta, Rodriguez recomenda cinco critérios: 

Originalidade: Se não é algo novo, por que dedicar recursos para cobrir?
Conhecimento: Para ter um impacto, a história deve trazer novas informações à luz. 
Viabilidade: Se eu não posso provar isso, não é um artigo. "Estamos procurando a verdade jornalística", disse Rodriguez. 
Revelações: Uma matéria que não revela algo pode ser um artigo perfeitamente bom ou reportagem explicativa, "mas não é uma matéria investigativa", disse ele. 
Relevância: Por que agora? Por que a história importa para os leitores? 

2. Faça perguntas-chave aos jornalistas, antes de começar a reportagem, como: 

Quanto você sabe sobre o assunto? (O ideal é que o repórter já saiba muito.) 
O que vamos revelar? 
Como podemos fazer isso de forma diferente? ("Queremos tornar a história atraente, diferente e irresistível de ler, para que as pessoas digam 'se eu não ler, eu vou perder alguma coisa'", disse Rodriguez.) 
Quem mais poderia ter informações sobre esta história? 

3. Seja claro sobre o propósito da matéria. No futuro, a profissão de jornalismo será sustentada pelo jornalismo investigativo e narrativo, disse Rodriguez. Além da questão dos recursos, é fundamental para o editor pensar sempre sobre como o trabalho dos jornalistas está "alimentando a máquina jornalística maior", disse ele. 

4. Ouça. Muitos editores não ouvem quando um repórter se aproxima deles, o que pode ser muito frustrante e ferir a moral. "É um pequeno detalhe que implica muita coisa", disse Rodriguez. 

5. Ao ler a história, preste muita atenção. Os editores devem estar cientes de como eles se sentem em toda a história. "Se na primeira leitura não estou convencido, eu passo para uma segunda leitura", disse Rodriguez, "e faço uma dissecação estrutural profunda do texto." 

6. Busque "ritmo e harmonia musical". Ler a história deve ser como ouvir uma boa música - com altos e baixos. "É impossível um texto se manter no ponto alto todo o momento", disse Rodriguez. "Mas você está procurando um texto que seduza o leitor." 

7. Escreva, escreva e escreva mais. Uma obra impactante requer escrever e escrever de novo. Ponto final. 

8. Números por si só não dizem nada. Dados são importantes no trabalho investigativo, mas Rodriguez advertiu jornalistas a não confiarem demais em números simples. Em vez disso, certifique-se que caminhem lado a lado com a história humana. 

9. Não construa barreiras para os leitores. "Nós queremos que as pessoas cheguem no final de uma história", disse Rodriguez. Mas parágrafos cheios de números ou citações textuais podem criar barreiras que tornam difícil chegar lá. "Se os leitores não chegam até o final de uma matéria, nós falhamos."