Dicas básicas para colaborar com desenvolvedores e designers

por Jessica Weiss
May 16, 2013 em Jornalismo de dados

Jornalistas que não estão familiarizados com o uso e exibição de dados podem ficar nervosos quando trabalham numa matéria com desenvolvedores de Web ou cientistas de dados pela primeira vez.

Mas o jornalista argentino Martiniano Nemirovsci, diretor de projetos especiais e editor da seção de tecnologia da agência Télam, disse que os jornalistas não devem se sentir intimidados.

Nos últimos dois anos, Nemirovsci colaborou na criação de matérias baseadas em dados sobre temas como as eleições presidenciais da Argentina, a nacionalização da petrolífera YPF e a controversa lei de mídia argentina.

A IJNet conversou recentemente com Nemirovsci sobre como os jornalistas podem fazer a ponte entre repórter-desenvolvedor. Aqui estão suas ideias principais:

Você não tem que aprender tudo

Para ser bem sucedido no trabalho com dados, você não tem que aprender a ser um programador, Nemirovsci disse. Se há palavras ou conceitos que você não entende, basta perguntar, ou tentar pesquisá-los online. Em pouco tempo, termos como script (roteiro) e scrape (raspar) vão se tornar parte do seu vocabulário. "É como aprender uma nova língua, mas muito mais fácil", disse ele.

Aprenda a reconhecer quando uma matéria funcionará bem com dados

Quando você estiver fazendo uma reportagem, mantenha sempre um possível elemento de dados em mente. Nemirovsci disse que visualizações com base em dados abundantes e difíceis são melhores com dados objetivos e indiscutíveis, como lugares, datas, números e nomes. Além disso, informações históricas precisas podem ser usadas para fazer linhas do tempo, que são uma forma fácil de enriquecer uma matéria impressa. Se você acha que pode funcionar, mas não tem certeza, pergunte a um desenvolvedor.

Sua tarefa: Mantenha o foco no jornalismo

O objetivo mais importante de uma matéria com visualização de dados ou interativa é mostrar algo que está acontecendo ou o que aconteceu no passado. Designers e programadores nem sempre sabem a melhor maneira de ver e contar essa história, mas os jornalistas podem ajudá-los a entender isso.

"Quando é hora de falar com o programador, o jornalista tem que saber onde eles querem ir com os dados e o que gostariam de mostrar", disse ele. "Isso ajuda a economizar tempo, o que é fundamental hoje em dia."

Ajude o desenvolvedor

Há coisas simples que um jornalista pode fazer para facilitar o trabalho do desenvolvedor. Como regra geral, aprenda habilidades básicas de planilhas e seja capaz de organizar seus dados usando o Excel ou uma planilha do Google. Por exemplo, sua planilha pode ter colunas contendo nomes, quantidades, locais e imagens. Se você quiser que um programador ou designer crie um gráfico mostrando políticos e suas datas de mandato, classifique os dados nas colunas relevantes.

"Apesar de depender do projeto a ser realizado, é sempre mais fácil para um programador trabalhar com dados estruturados do que com o texto", disse Nemirovsci.

Busque ferramentas e práticas melhores

Em Buenos Aires, Nemirovsci é membro do grupo Hacks/Hackers local, que reúne jornalistas e tecnólogos traçando o futuro do jornalismo. Os jornalistas devem buscar seu grupo local ou iniciar um caso ainda não exista.

Há também uma série de ferramentas gratuitas online, como recursos para fazer mapas, cronologias e gráficos. Nemirovsci observou que uma simples pesquisa no YouTube rende um monte de vídeos de treinamento. Para quem está começando, veja estas boas ferramentas: Google Mapas, Google Fusion Tables, Tableau Public e Vérité.

E dê uma olhada no que as melhores equipes de dados estão fazendo no mundo. "Isso ajuda você a ver o que é possível", disse Nemirovsci.

Leia mais sobre os projetos de Nemirovsci na Télam.

Foto cortesia de Sybren A. Stüvel no Flickr sob licença Creative Commons