Deutsche Welle trabalha para alcançar uma audiência global

porإسماعيل عزام
Nov 18, 2014 em Jornalismo digital

Embora seja baseada na Alemanha, a emissora internacional Deutsche Welle (DW) tem como alvo outros países ao redor do globo. A DW tem uma equipe diversificada de jornalistas internacionais que produzem conteúdo em 30 idiomas.

A IJNet encontrou com Naser Shrouf, o chefe de distribuição para a África e o Oriente Médio, para falar sobre sua experiência dirigindo o site árabe da DW, lançado em 2005. (Veja aqui o site em português do Brasil).

Shrouf explicou as principais diferenças entre a DW árabe e outros sites de notícias da DW enquanto destacou os esforços da organização de notícias para treinar jornalistas de todo o mundo.

IJNet: O que você pode nos contar sobre a DW?

Naser Shrouf: A sigla DW significa "Deutsche Welle", que quer dizer "Onda Alemã". O nome explica que a DW originalmente começou como uma estação de rádio em 1952. Era transmitida em inglês e holandês usando rádio de ondas curtas, e seu público-alvo eram os alemães que viviam no exterior.

Com o tempo, a DW desenvolveu seus serviços e passou a incluir televisão, que agora é transmitida em quatro idiomas: inglês, espanhol, árabe e holandês.

Mais tarde, a DW começou a trabalhar com conteúdo eletrônico, como áudio e vídeo, em meados dos anos 1980. Os sites independentes da DW só surgiram em meados dos anos noventa, mas havia poucas línguas.

Agora, a DW é uma das poucas organizações que publica conteúdo em mais de 30 idiomas em seu site e cada uma tem seu próprio departamento de edição.

IJNet: Quem financia a DW?

NS: A DW é uma entidade semi-governamental, o que significa que o seu orçamento é alocado pelo governo alemão, mas o governo não controla ou monitora o que é publicado ou transmitido. O conteúdo da DW também não é para publicidade do governo.

Nosso público-alvo são cidadãos de outros países. Também vale a pena mencionar que a DW não é transmitida na Alemanha.

IJNet: Isso significa que os contribuintes alemães estão pagando por uma instituição de mídia mesmo sem poder assistir o canal?

NS: Sim, eles certamente estão. Os alemães estão cientes de que esta instituição auxilia a política externa de seu país e isso ajuda a Alemanha a apresentar sua cultura a outras nações. A DW nos ajuda a construir pontes culturais internacionalmente.

No entanto, o objetivo primordial da DW é fornecer notícias para indivíduos ao redor do globo, mesmo em áreas de conflito. A DW também ajuda outras redes de mídia nos países em desenvolvimento a melhorar e crescer.

IJNet: Como foi o início da DW árabe?

NS: Em 2005, a Internet não era amplamente utilizada em países árabes, especialmente porque não havia conexões rápidas à Internet ou smartphones.

No entanto, gradualmente, o número de leitores árabes aumentou. Agora estima-se que há cerca de 6 milhões de leitores mensais constantes do mundo árabe, especialmente do Egito, Arábia Saudita e Marrocos. Esse número é considerado bom para um site que não é muito público e só chega à elite de uma sociedade. Vale ressaltar que também não se trata  do número. É importante que existe uma consciência do site e as notícias que vêm com ele.

IJNet: Você não tem, como outras instituições de mídia, o desejo de se espalhar?

NS: Nosso objetivo não é afetar a opinião pública como outros fazem e nós não temos nenhuma agenda. Não adotamos a estratégia de crescer a qualquer custo. Os nossos programas são adaptados para analisar e apresentar novidades em uma perspectiva diferente e evitar o jornalismo monótono.

No entanto, a conscientização global é o nosso objetivo, mas de uma forma que esteja em harmonia com o nosso produto. Nosso jornalismo é livre de notícias sensuais e nos concentramos no espírito central do jornalismo.

IJNet: Vocês não são criticados por não permitir que leitores comentem na DW Árabe?

NS: Sim, somos. A razão de ter parado o serviço de comentários, que tínhamos antes, é porque não queremos que o nosso site torne-se um lugar para pessoas contra os direitos humanos insultarem as crenças das pessoas.

Houve uma guerra de palavras acompanhada de agressões verbais agressivas e insultos contra grupos étnicos e religiões. Assim, nós achamos que é muito melhor desativar o recurso de comentário, pois entrou em conflito com os nossos princípios e valores.

No entanto, agora estamos trabalhando no desenvolvimento de uma nova tecnologia que nos permitirá filtrar comentários. Também vamos aumentar o número de pessoas em nossa equipe de controle de comentários. O recurso de comentário será ativado em breve para os sites em inglês e árabe da DW.

Tirar os comentários não deve ser interpretado como se estivéssemos oprimindo a voz dos leitores. Os leitores têm o direito de criticar objetivamente, mas devem estar dentro dos limites da liberdade local e internacional das leis de expressão.

IJNet: A DW é reconhecida por seus programas especiais de treinamento para jornalistas ou para pessoas que querem se tornar jornalistas. Poderia nos contar mais sobre isso?

NS: Em associação com universidades alemãs, a DW Akademie é a única academia que concede títulos de mestrado em jornalismo. Seus alunos são meticulosamente selecionados a partir de uma lista de estudantes selecionados de todo o mundo. Os cursos são principalmente em inglês.

Além disso, a DW Akademie oferece oficinas especiais de treinamento de 18 meses para jornalistas internacionais previamente selecionados. Durante esse período, os participantes, que recebem pagamentos mensais durante o período de treinamento, aprendem em todos os departamentos e seções na DW.

A Akademie também oferece um terceiro programa de curto prazo, que é para a formação de jornalistas que trabalham com organizações ou como freelancers.

Imagem principal de Ismail Azzam