Como liderar e apoiar uma equipe em tempos de crise

porMijal Iastrebner
May 7, 2020 em Reportagem sobre COVID-19
Trabalhando de casa

Ser um líder de equipe é um desafio em qualquer contexto — mais ainda em tempos de crise e isolamento global, como durante a atual pandemia de COVID-19. Além de precisar lidar com novas limitações, líderes também precisam tomar precauções, como trabalhar remotamente.

Espaço para sua equipe se sentir apoiada

Para poder adotar novos processos e gerenciar crises internas em uma equipe, é vital reconhecer o que todos os membros da equipe estão passando.

“Não podemos deixar de ter medo da situação em que estamos todos vivendo. O medo é uma emoção humana básica. A falta de informação alimenta esse sentimento de medo. Quando adultos, tentamos esconder nosso medo, que é um comportamento que pode ter consequências quando precisamos enfrentá-lo”, explicou a psicóloga Hebe Maguire.

Ao reconhecer que o medo afeta os membros da equipe, os líderes podem criar espaços em que as pessoas possam se sentir validadas emocionalmente em tempos de crise, como a atual pandemia.

Escutar

Em circunstâncias como a que nos encontramos agora, onde há isolamento físico, é fundamental aprimorar a capacidade de ouvir e empatizar com a equipe, a fim de evitar mal-entendidos, hostilidades ou riscos desnecessários. Pode ser útil ligar para os membros da equipe por telefone ou por videochamada com mais frequência, mesmo que seja breve. A checagem consistente dos membros da equipe pode ter um grande impacto no seu bem-estar e, por extensão, pode afetar positivamente o seu trabalho.

[Leia mais: Dicas da Chicas Poderosas para gerenciar equipes remotas]

Priorizar

Na Argentina, à luz da pandemia, a equipe da agência Chequeado de fact-checking, avaliou suas projeções financeiras anuais. "Fizemos um exercício em que eliminamos tudo o que era bom de ter mas não era essencial, assumindo que não conseguiremos pagar por essas coisas, dadas as atuais circunstâncias globais", disse Laura Zommer, diretora executiva do Chequeado.

Uma semana depois, eles repetiram o exercício. "Acreditamos que é um exercício útil fazer pelo menos uma vez a cada 15 dias, para que possamos levar em consideração o quanto as coisas estão evoluindo em todo o mundo", disse ela.

Chequeado
A redação do Chequeado, vazia após o anúncio da quarentena nacional na Argentina.

 

Além de pensar nas prioridades de todo o grupo, também é uma boa ideia reservar um tempo para revisar os processos com pessoas que lideram diferentes áreas da sua organização ou lideram projetos específicos. Em tempos como agora, o jornalismo é ainda mais exigente do que em circunstâncias normais, por isso é importante reconhecer essa nova realidade com sua equipe.

Se surgir uma nova tarefa para alguém da sua equipe, pode ser útil adiar, delegar ou eliminar outra das tarefas desse membro da equipe. Distribuir a responsabilidade dessa maneira ajudará os membros da sua equipe a se comprometerem com o trabalho deles e a melhorar ainda mais a qualidade desse trabalho.

“O compromisso é baseado na confiança. Se queremos que as pessoas respondam com comprometimento, precisamos saber fazer solicitações claras”, explicou Mariel Graupen, fundadora do Powered Box, uma firma de consultoria de recursos humanos e coaching executivo.

[Leia mais: Dicas de proteção para jornalistas durante a cobertura sobre COVID-19]

Organizar

Para aqueles em sua equipe que podem se sentir sobrecarregados com a atual situação global e ficar paralisados em seu trabalho, dividir listas de tarefas em sub-tarefas pode ajudá-los a se concentrar e sentir um senso de progresso. A adição de sub-tarefas fará com que a lista possa parecer mais longa, mas ajudará seus colegas de equipe a focar sua atenção nas responsabilidades diárias: no que eles podem realizar e não no que não podem.

Comunicar

“Os líderes têm a responsabilidade de garantir a segurança de sua equipe. Seus colegas de equipe que dependem de você como líder estão te observando o tempo todo”, disse Graupen.

Se seus colegas de equipe perguntarem a você como líder, como serão os projetos deles daqui para frente e você não puder dar uma resposta concreta, tudo bem. O que é importante e o mais eficaz é que você tenha uma resposta comprometida. Como exemplo, Graupen diz que você pode dizer algo como: “É isso que eu sei. Um componente específico do projeto depende de outros fatores, e eu informarei sobre essa maneira específica quando tiver uma resposta para você”. Ela acrescentou: "A equipe aprende com o que seus líderes fazem, mais do que com o que esses líderes dizem."

A equipe de liderança do El Pitazo,, uma organização independente de mídia venezuelana que cobre notícias nacionais e uma das vencedoras do programa Velocidad, tomou medidas no início da pandemia para enviar comunicações a sua equipe. "Enviamos mensagens diferentes: uma para os correspondentes do El Pitazo e outra para a equipe administrativa de Caracas", explicou Yelitza Linares, coordenadora de negócios e parcerias do El Pitazo.

As mensagens explicavam claramente as ações que o El Pitazo estava tomando com base nas preocupações levantadas pela equipe. A direção explicou uma redução da cobertura em campo, procedimentos para trabalho remoto e as medidas de higiene que seriam tomadas pela equipe do El Pitazo, entre outros pontos.

El Pitazo
A correspondente do El Pitazo, Ruth Lara Castillo, posa com outros jornalistas em Carabobo, Venezuela.

Limitar a exposição

“Decidimos limitar nossas reportagens em campo a apenas uma equipe. Fornecemos equipamentos de proteção, incluindo transporte seguro, luvas, máscaras faciais e instruções detalhadas de higiene”, explicou Linares. "Como não temos como enviar esses recursos a nossos correspondentes, decidimos limitar a cobertura deles ao que eles podem produzir em casa, online e por telefone", disse ela.

Pedro Vaca, diretor executivo da Fundación para la Libertad de Prensa (FLIP), uma organização de liberdade de imprensa na Colômbia, apoiou as medidas tomadas por organizações de mídia como El Pitazo. "Fornecer recursos de proteção básicos para jornalistas que trabalham no campo é um enorme desafio, às vezes é difícil encontrar algum", disse ele.

Vaca explicou que a FLIP está fabricando kits de equipamentos de proteção para ajudar a atender às necessidades de jornalistas que não têm recursos suficientes. "Vejo jornalistas na América Latina imitando as medidas de proteção que veem sendo tomadas em outras partes do mundo, como colocar plástico sobre o microfone, mas não seguem as medidas necessárias para limpar ou manter adequadamente esse equipamento de proteção."

“O ecossistema da mídia latino-americana é muito informal. Muitos jornalistas trabalham como freelancers, e é importante que os veículos de comunicação que contratam esses freelancers perguntem se eles têm seguro de saúde ", disse Vaca. Ele acrescentou que a Organização dos Estados Americanos declarou que as notícias são um "bem essencial".

Outro fator que acrescenta complexidade ao trabalho como jornalista durante a pandemia: "No momento, ninguém quer perder o emprego", disse ele. "Pode haver jornalistas que não querem continuar reportando em campo, mas estão presos em uma encruzilhada onde se sentem forçados a continuar se expondo."

 

El Pitazo
Johandry Andrea, correspondente de El Pitazo com outros repórteres em Machiques, Venezuela.

Tranquilizar

Transformando suas palavras em ação, algumas empresas de mídia estão decidindo fornecer adiantamentos ou bônus a jornalistas que trabalham na rua e ficam expostos. A equipe do El Pitazo decidiu conceder bônus agora planejados para abril para ajudar sua equipe a lidar com a escassez iminente de suprimentos.

"Estamos em um momento crítico neste momento que vai agravar a crise econômica em que já estamos", explicou Linares. "Além da escassez de eletricidade, internet e fornecimento, agora também há uma escassez de gasolina, o que poderia atrasar ainda mais a entrega de alimentos às lojas", disse Linares.

Fornecer perspectiva

Identificar os pontos fortes e fracos de sua organização de notícias durante a pandemia e compartilhá-los com sua equipe pode permitir que todos entendem sua circunstância. Mesmo que possa haver situações que você ou sua equipe não consigam consertar ou alterar, essa base pode ajudar a fornecer a todos uma sensação de controle.

Fornecer perspectiva também pode ter um impacto direto, pois pode diminuir a ansiedade dos membros da equipe e ajudá-los a evitar desperdiçar energia, o que ajuda o ambiente geral de trabalho.

Comemorar

Toda pequena vitória vale a pena dar uma volta olímpica (na sala, é claro). Em meio ao caos do trabalho e da vida, pode ser difícil parar e comemorar. Na realidade de hoje, onde as tarefas diárias podem ser difíceis de realizar, o reconhecimento de sucessos ajuda a manter o moral elevado e fortalece o relacionamento da equipe.

"Em meio a trabalhar em tantos projetos, é fácil ir de um para o outro sem parar para comemorar as realizações", disse Janine Warner, cofundadora da SembraMedia e bolsista do ICFJ Knight. "Para ajudar a garantir que nossos sucessos não fiquem longe de nós, anos atrás, inventei uma dança para comemorar quando minha equipe terminou algo que exigia muito esforço."

Líderes também são humanos

“É importante que os líderes pratiquem autocuidado e sejam os primeiros a pedir ajuda. Em algum momento, os efeitos do burnout são como uma pandemia: se começar com o líder, é altamente provável que toda a equipe o pegue”, disse Graupen. Ela alertou: "É legítimo ter medo, ter um dia ruim ou não saber o que fazer. É por isso que é fundamental manter seu espaço pessoal, criando um horário de trabalho separado de suas outras funções."

Graupen apontou que, se os líderes tentarem fingir, seus colegas de trabalho perceberão imediatamente, não importa quanto se esforcem para "fingir".

“Um conceito-chave para os líderes entenderem é que eles são humanos primeiro, antes de qualquer função que possam ter”, ela disse “Os líderes também terão medo, assim como as pessoas com quem trabalham. É verdade que os líderes são responsáveis ​​pelos resultados de sua equipe e sua função é apoiar os membros da equipe, mas nem tudo o que acontece está sob seu controle."


Este artigo foi publicado pela SembraMedia e reproduzido na IJNet com permissão. 

Todas as imagens cortesia da SembraMedia