Como financiar seu próximo projeto de jornalismo através de crowdfunding

por Clothilde Goujard
Mar 12, 2017 em Empreendedorismo de mídia

A indústria de mídia ainda está tentando encontrar um modelo de negócio sustentável em uma era de grandes mudanças. Meios de comunicação tradicionais e empreendimentos novos muitas vezes sofrem para encontrar financiamento para projetos.

Muitos empresários de mídia e jornalistas têm tentado angariar fundos através de métodos alternativos. Uma das maneiras mais populares de fazer isso é crowdfunding.

Como os jornalistas e os meios de comunicação podem lançar uma campanha de crowdfunding bem-sucedida? A IJNet conversou com alguns jornalistas que fizeram isso acontecer:

Por que crowdfunding é uma opção interessante?

Paul Salopek, bolsista da National Geographic e criador do "Out Of The Eden Walk", trabalha em um projeto jornalístico original e ambicioso: caminhar por uma das mais antigas trilhas de migração começando na África há uma década.

Como ex-correspondente estrangeiro para o Chicago Tribune, ele tinha contatos e experiência, mas muitos editores se recusaram a financiar seu projeto. Mesmo depois de encontrar subsídios e parcerias, ele ainda precisava de fundos para realizar o projeto ao máximo de sua capacidade.

Inicialmente, Salopek não ficou muito animado com a ideia de crowdfunding. No entanto, ele descobriu que suas campanhas Kickstarter nos últimos anos abriram conversas com o público existente, bem como com leitores em potencial.

"Mantém você honesto no sentido de que você tem que justificar o mérito da sua ideia", diz ele.

A Riveter Magazine usou uma campanha de crowdfunding como campanha de assinantes para expandir seus leitores.

"Estou feliz por usá-la como uma forma de criar um modelo de assinante ao invés de aumentar um número arbitrário ou quantidade de fundos", diz Kaylen Ralph, cofundadora e editora.

Os fundadores da revista The Deep também perceberam que sua campanha de crowdfunding trouxe mais do que apenas dinheiro e uma base básica de assinantes. As pessoas em sua região estavam agora esperando pela revista, de colegas jornalistas a cabeleireiros.

"É difícil, é estressante e há uma possibilidade iminente que você não vai cumprir com o seu objetivo, mas se você conseguir... tem todas essas pessoas que sabem o que você está fazendo agora e estão esperando pelo seu produto", diz Chelsea Murray, cofundadora.

Dicas para fazer crowdfunding para seu projeto jornalístico:

Peça ajuda a organizações de mídia estabelecidas

"Eu tive a ideia [do projeto "Out Of The Eden Walk"], mas busco ajuda de meus parceiros de mídia como o meu principal, a National Geographic", diz Salopek.

Para sua campanha de crowdfunding este ano, ele também entrou em contato com a Fundação Knight, que concordou em doações por um determinado período de tempo. A Fundação Abundância mais tarde se ofereceu para fazer o mesmo.

A revista The Deep fez parceria com o Coast Weekly, um jornal semanal em Halifax, Nova Escócia. Murray e o cofundador Matthew Halliday falaram com o editor e publisher um ano antes de iniciar sua campanha. O Coast Weekly ajudou com recompensas para apoiadores, por exemplo.

Descubra quem é seu público-alvo

A revista The Deep se concentra em contar histórias da região atlântica canadense, de modo que seus fundadores se esforçam para chegar a pessoas dessas províncias e cidades, de acordo com Murray.

Depois de várias campanhas, Salopek diz ter aprendido muito com seu público.

"Para um projeto de uma década, apenas algumas centenas de pessoas contribuíram, mas usamos esses leitores que amam o jornalismo para incentivá-los a conversar com seus amigos e vizinhos que gostam de jornalismo literário", diz ele.

Mantenha sua campanha curta para dar um senso de urgência

The Deep decidiu fazer uma campanha de 60 dias, mas achou que era muito estressante. Se eles pudessem mudar algo, eles "teriam feito 30 dias em vez de 60", diz Murray. Em seu site, o próprio Kickstarter sugere campanhas de 30 dias.

Prepare-se

"Estas coisas levam muito planejamento prévio", diz Salopek. "Você não pode simplesmente decidir em um fim de semana que você vai ter um crowdfunder e então dá a largada na próxima semana; isso provavelmente não vai dar certo."

Entre configurar sua página, visão e modelo de negócios, finalizar recompensas para os apoiadores, preparar um vídeo e outras tarefas, campanhas mais bem sucedidas levam semanas ou meses de preparação.

A mídia social é fundamental

Salopek sugere o apoio de amplificadores de mídia social -- pessoas com muitos seguidores que possam estar interessados ​​em seu projeto -- e pedir-lhes para ajudá-lo com tuites uma vez que sua campanha seja lançada.

Criar uma lista de pessoas que estariam interessadas em seu projeto e pedir-lhes por qualquer apoio, se é dinheiro de doação ou tuites de compartilhamento, diz Murray. Mas não espere que seus amigos e familiares compartilhem automaticamente suas postagens.

"Não confie que as pessoas só compartilhame seus tuites por conta própria", diz Murray. "Tenha-os alinhados com [mensagens tipo:] 'hoje eu estou fazendo esta sequência de tuites, você pode, por favor, compartilhá-los?'"

Não subestime o Facebook

Jornalistas tendem a usar predominantemente o Twitter, mas o Facebook pode direcionar muito mais tráfego e permitir que você alcance mais comunidades.

"Temos menos curtidas no Facebook do que seguidores no Twitter, mas muito mais dinheiro veio do Facebook", diz Halliday.

The Deep descobriu que, a grosso modo, para cada seguidor do Twitter que se comprometeu de doar, dois seguidores no Facebook se comprometeram -- e as doações eram maiores.

Imagem principal sob licença CC no Flickr via marcmo. Segunda imagem do bolsista Paul Salopek da National Geographic por John Stanmeyer para a National Geographic.