Como a BBC treina o repórter bilíngue para ser "super homem"

porNicole Martinelli
Mar 1, 2012 em Diversos

Aproveitando seus recursos ao máximo em uma época de orçamentos baixos, a BBC está treinando alguns dos seus jornalistas bilíngues para trabalhar em plataformas e idiomas diferentes ao mesmo tempo.

Por exemplo, a partir de março, Rami Ruhayem da BBC em árabe será o correspondente da BBC no Iraque, reportando em árabe e inglês para toda a BBC News. Esse mesmo modelo bilíngue de reportagem provavelmente será adotado primeiramente em Beirute, Colombo, e mais tarde em Lagos, Nairóbi, e Islamabad.

"Quando estava planejando o treinamento para os jornalistas bilíngues, sentia às vezes que era como tentar construir um super homem", disse a treinadora da BBC Joanne Episcopo.. "Esse jornalistas não só têm que fornecer [notícias] em tantas plataformas da BBC quanto existem, em muitos casos sem qualquer apoio na produção, mas também fazer a matéria, artigo online, pacote de TV, rádio, em ângulos diferentes, tuitar e o que mais for solicitado, em duas línguas -- e para diversos públicos."

Tendo reportado em duas línguas, sei que esta é realmente uma tarefa difícil. Em reportagem internacional, o contexto é tudo -- o que você precisa explicar para os habitantes sobre uma medida de orçamento ou protesto é muito diferente do por quê alguém no exterior deveria se preocupar. Em uma matéria de TV, as imagens e frases de efeito podem muito bem ser as mesmas, mas o roteiro provavelmente seria completamente diferente, devido tanto ao estilo de apresentar as informações na língua-alvo como à própria informação. Acrescente mídias sociais e blogs à mistura, e o jornalista definitivamente precisa ter a energia super-humana.

Em alguns casos, a reportagem com duplas funções é uma melhor utilização dos recursos: Rana Jawad estava cobrindo a Líbia para a BBC África em Inglês quando a Primavera Árabe explodiu. Fez sentido ter a Jawad, que é de origem libanesa e fala árabe, usando suas habilidades e experiência para reportar em árabe.

"Haverá situações de aperto", admitiu Episcopo, "ao menos para cumprir com demandas concorrentes em matérias grandes. E teremos que ver o que é realista esperar de um correspondente bilíngue."

Você acha razoável ter repórteres cumprindo funções diferentes em idiomas diferentes?

Via o blog do BBC College of Journalism