Como abordar fontes no Twitter em cobertura de tragédias como a chacina no Colorado

por Mallary Jean Tenore
Jul 23, 2012 em Redes sociais

Vários jornalistas estão usando o Twitter para entrevistar testemunhas e outros que conhecem vítimas do massacre em um cinema no Colorado, Estados Unidos.

Embora seja comum para jornalistas chegarem às fontes no Twitter, é mais desafiador quando as fontes são afetadas por uma tragédia. Quando você fala com as pessoas na cena de um crime ou desastre, ou por telefone, pode mostrar sua sinceridade pelo olhar no seu rosto ou o tom de sua voz. No Twitter, você não pode fazer isso e está limitado a 140 caracteres.

Existem algumas maneiras, contudo, para contatar fontes de maneira delicada através de mídias sociais. Aqui estão seis dicas:

Seja empático

Entenda que aqueles que perderam entes queridos e amigos em uma tragédia ou foram testemunhas estão em uma posição vulnerável. Ao invés de apenas dizer, "Você pode me ligar ou enviar um e-mail?", reconheça o quão difícil isso deve ser para eles.

Aqui está um tuite como exemplo: "Sei que isso deve ser um momento muito difícil para você e gostaria de ouvir a sua parte da história. Você pode entrar em contato comigo pelo X? "Evite frases como "eu sei o que você está passando". Essas frases podem soar falsas e sugerir que você sabe exatamente o que a pessoa está passando.

Evite os pontos de exclamação

Eu vi alguns repórteres usando pontos de exclamação nos seus tuites quando escreveram para fontes que estavam no teatro. Incluir pontos de exclamação pode ser visto como insensível, na sequência de uma tragédia. É melhor manter o tom do seu tuite bastante neutro.

Um sinal de pontuação que é bom de usar é o ponto de interrogação. Melhor ainda que dizer a uma fonte "entre em contato comigo", faça um pedido na forma de uma pergunta, pois assim parece menos como uma ordem.

Verifique se você está seguindo as pessoas que tentou alcançar

Algumas fontes podem se sentir mais seguras enviando mensagens diretas a jornalistas em vez de ligar ou responder publicamente no Twitter. Para tornar mais fácil para as fontes, siga estas pessoas para que tenham esta opção.

Também é importante se certificar que você está seguindo as fontes quando pedir para que lhe enviem uma mensagem direta; elas não pode enviar uma mensagem direta se você não as está seguindo.

Respeite a decisão das fontes de não compartilhar informações

Se as fontes tornaram claro que não querem falar, não insista. Uma maneira de responder seria dizer: "Eu entendo e respeito a sua decisão de não falar. Se você mudar de idéia, por favor me avise". Daí, você pode tentar chegar a outras fontes que podem estar mais dispostos a falar.

Algumas pessoas afetadas pelo massacre no cinema indicaram que não querem falar com a imprensa. Adam Williams, que perdeu dois amigos no ataque no Colorado, tuitou: "Tipo 3 emissoras querem falar comigo. Ouça: Eu só tenho amigos que eu amo e levaria uma bala por eles. Isso é tudo."

O programa "Morning Edition" da emissora de rádio NPR, que tuitou sobre o massacre ao longo do dia, fez um bom trabalho ao escrever para as fontes: "@AWWillie, obrigado por considerar. Sabemos que é pedir muito. Não conseguimos nem imaginar."

Para ler o artigo integral (em inglês), clique aqui.

O artigo foi publicado pela primeira vez no Poynter Online, parceiro da IJNet e o site do Poynter Institute, uma escola que serve o jornalismo e a democracia há mais de 35 anos. O Poynter oferece notícias e treinamento para qualquer agenda, com orientação individual, seminários presenciais, cursos online, webinários e muito mais. O artigo é traduzido pela IJNet com permissão.