Aquisições revelam corrida para dominar a Internet e criar sinergias digitais

porJames Breiner
Sep 5, 2013 em Diversos

Jeff Bezos da Amazon não é o único bilionário digital fazendo notícia com suas aquisições. Jack Ma, presidente do site líder em comércio eletrônico na China, Alibaba, investiu centenas de milhões de dólares em um serviço de microblog semelhante ao Twitter e um serviço de mapeamento.

Ambos gigantes estão apostando em empresas que podem ajudá-los a criar sinergias na combinação de conteúdo, redes sociais, varejo online, mapeamento (venda e serviços baseados em localização), plataformas móveis, dispositivos e sistemas operacionais.

Seu modelo e principal concorrente é o Google, líder mundial em publicidade online. O Google tem penetrado em todos esses negócios. A fim de competir globalmente, as grandes companhias online --como Facebook, Amazon, Yahoo, Twitter e , na China, Alibaba e Tencent-- estão vendo a necessidade de desenvolver todas as partes do negócio online.

A tendência tem implicações para provedores de conteúdo, como as organizações de notícias e para a liberdade de expressão. Primeiro, porém, veja as tendências de negócios:

Móvel é o próximo campo de batalha

Alibaba e seus similares estão vendo a oportunidade na tecnologia móvel. Alibaba já tem cerca de 700 milhões de usuários em seu leilão online e serviços de varejo, mas com o investimento no Weibo e o compromisso em a anunciar nessa rede social, o site está se tornando mais móvel e mais social, de acordo com o Wall Street Journal.

A principal razão do Alibaba comprar 18 por cento do Weibo é fornecer uma plataforma móvel para suas ofertas de varejo, de acordo com uma análise do The Street. Weibo tem 50 milhões de usuários ativos por dia. Eles dão a Alibaba uma ferramenta para enfrentar o desafio à sua posição dominante de varejo de outro gigante da Internet chinesa , a Tencent, que tem 300 milhões de usuários de um serviço de mensagens instantâneas móveis chamado WeChat.

O dispositivo móvel está se tornando o novo campo de batalha da Internet, não apenas na China, mas globalmente. O Facebook apresentou um crescimento de receita de 53 por cento em seu mais recente trimestre, impulsionado por seu foco agressivo em publicidade em dispositivos móveis. Analistas citados pela Bloomberg viram um enorme potencial de crescimento para a empresa na publicidade móvel.

Localidade ligada ao varejo

Outro aspecto da concorrência Internet é ligar dispositivos móveis a serviços de localização e compras na Internet. Cada vez mais, os usuários de dispositivos móveis estão usando serviços de localização para fazer escolhas sobre compras em locais reais. Ou combinam serviços sociais, móveis e de localização para encontrar amigos próximos e se encontrarem em restaurantes ou lugares de entretenimento.

Alibaba recentemente reforçou sua posição em serviços de localização através da aquisição de 28 por cento da AutoNavi Investimentos por US$294 milhões, o que lhe permitirá ligar o serviço de localização a suas ofertas de varejo. O Wall Street Journal ofereceu esta análise do negócio:

"As duas empresas também vão cooperar e combinar os seus dados para o desenvolvimento de produtos de e-commerce que utilizam a localização real de smartphones dos usuários. A parceria é mais um passo nos esforços do Alibaba de juntar controle sobre os serviços oferecidos em smartphones. Provavelmente vai apresentar um desafio à rival Tencent Holdings Ltd., que, segundo analistas, é provável que faça uso de seu aplicativo de mensagens popular, WeChat, para gerar receita de marketing e e-commerce também com base na localização física dos usuários."

Estamos vendo uma corrida vertiginosa para consolidar o domínio da Internet por um punhado de gigantes --Google , Amazon, Twitter, Facebook, Alibaba, Tencent e outros-- que estão adquirindo empresas que irão ajudá-los em sua missão. A compra do Instagram pelo Facebook em 2012 por US$1 bilhão é um exemplo dessa tendência.

Este post foi publicado originalmente no blog News Entrepreneurs e reproduzido na IJNet com permissão.

James Breiner é consultor em jornalismo online e liderança. Foi co-diretor do Global Business Journalism Program na Universidade Tsinghua e bolsista do programa Knight International Journalism Fellow, tendo lançado e dirigido o Centro de Periodismo Digital na Universidade de Guadalajara. Visite seus sites News Entrepreneurs e Periodismo Emprendedor en Iberoamérica e siga-o no Twitter.

Imagem sob licença CC no Flickr via World Economic Forum