Acesso móvel se torna principal motivo de pagar por notícias globalmente

porJames Breiner
Aug 8, 2017 em Empreendedorismo de mídia

Richard Fletcher, do Instituto Reuters, produziu uma análise aprofundada das principais razões pelas quais as pessoas ao redor do mundo decidem pagar por notícias online.

O Digital News Report 2017 incluiu entrevistas com mais de 70.000 adultos em 36 países.

Fletcher observou que as razões mais comuns que as pessoas deram para pagar são que queriam acesso em seus dispositivos móveis (30 por cento), gostam de consumir notícias de diversas fontes (29 por cento) ou receberam uma boa promoção ou pacote (23 por cento).

Minha opinião sobre os dados de Fletcher é que a mensagem para editores de notícias digitais deve ser clara: eles precisam se certificar de que seu conteúdo seja exibido rapidamente e se adapte bem ao design de tela pequena sensível. Além disso, devem testar vários preços e pacotes para conteúdo online para ver quais produzem os melhores retornos.

Outras razões para o pagamento de notícias digitais sugeriram que os consumidores estão dispostos a pagar por informações de alta qualidade, diferenciadas e convenientes para acessar:

  • Minha fonte de notícias favorita não permite acesso gratuito, 17 por cento
  • Era a única maneira de acessar informações especializadas, 17 por cento
  • Gosto de ter acesso a informações que a maioria das pessoas não possui, 17 por cento
  • Havia benefícios da adesão, além do acesso a notícias, 16 por cento
  • Era mais barato do que pagar pelo acesso off-line, 16 por cento
  • As notícias que você paga são melhores do que as notícias gratuitas, 16 por cento

Dada a crescente importância de usuários em vez de anunciantes como principal fonte de receita da mídia de notícias, esta pesquisa oferece muitas pistas para sustentabilidade.

Os editores devem se inspirar no modelo da Amazon: o gigante do varejo se concentra em tornar a experiência do usuário tão fácil, gratificante e personalizada quanto possível.

A profundidade e amplitude desta pesquisa dá aos editores de notícias de todo o espectro - tamanho, estágio de desenvolvimento, plataforma, região e país - muitas pistas sobre como refinar seus modelos de negócios. É uma ótima ferramenta.

Os Estados Unidos cresceram mais rápido

Entre as outras observações de Fletcher: nos EUA, a porcentagem de pagamento de notícias online saltou de 9 para 16 por cento em apenas um ano, mais do que em qualquer outro país. O motivo? Fletcher sugeriu "um choque político".

Os dados mostraram que grande parte desse crescimento nos EUA veio de jovens e aqueles que se inclinam para a esquerda no espectro político. Quando solicitados a dar as razões para pagar por notícias, os EUA apresentaram a maioria dos entrevistados (29 por cento) dos 36 países que escolheram a opção "Eu quero ajudar a financiar o jornalismo".

Uma interpretação otimista para o futuro do quarto poder poderia ser que o consumidor nos EUA reconheça a importância do jornalismo para uma democracia saudável.

Este post foi publicado originalmente no blog News Entrepreneurs de James Breiner e aparece na IJNet com permissão.

James Breiner é um ex-bolsista Knight do ICFJ que lançou e dirigiu o Centro para Jornalismo Digital na Universidade de Guadalajara. Visite seus sites News Entrepreneurs e Periodismo Emprendedor en Iberoamérica.

Imagem sob licença CC no Flickr Hamza Butt