Use de tecnologia para desviar de assessores de imprensa pouco prestativos

porSilver Siwei Wang
Apr 9, 2012 em Jornalismo básico

Jornalistas e assessores de imprensa frequentemente desenvolvem uma relação de amor e ódio.

A jornalista e executiva de relações públicas Dottie Li conhece os dois lados da história. Membro da Asian American Journalists Association, Li trabalhou com a China Trade News na China, seu país natal, e depois como produtora de um C-SPAN. Ela também trabalhou na Casa Branca com o presidente Bill Clinton. Há mais de uma década, Li tem se dedicado o mundo da assessoria de imprensa.

Aqui está o que Li nos contou sobre como criar um relacionamento construtivo com o povo das relações públicas.

IJNet: Jornalistas concorrem a entrevistas exclusivas. Como os assessores de imprensa podem ajudar?

Dottie Li: Deve haver negociação. Os profissionais da assessoria geralmente negociam com o meio de comunicação desejado antes. Eu vou escolher você em vez de outros três ou quatro canais, mas você tem que me dar isso e aquilo.

Se acontecer de você trabalhar em um veículo respeitável, então tem uma vantagem adicional em ser escolhido na opinião dos assessores de relações públicas. Além disso, ter uma equipe competente para apoiá-lo é essencial. Uma grande entrevista é o resultado de telefonemas e todos os outros esforços de negociação por parte do produtor e da equipe nos bastidores, além da própria entrevista.

IJNet: O que os jornalistas devem fazer se os assessores funcionam como um obstáculo para descobrir a verdade?

DL: Quando um cliente não quer necessariamente contar tudo, o assessor irá certamente fazer o que puder para proteger o interesse do cliente, assim como os advogados das empresas.

Você não pode dizer a agentes de relações públicas para sair do seu caminho; você tem que ser criativo se quiser saber mais informações. É uma situação difícil de desviar. Mas estes dias, você tem todas essas tecnologias eletrônicas que tornam possível -- talvez você deva usar uma conta de e-mail alternativo para chegar às pessoas que estão dispostas a falar.

IJNet: Qual é seu conselho para os jornalistas internacionais trabalhando com assessores de imprensa da China?

DL: As barreiras linguísticas e culturais existentem entre jornalistas norte-americanos e relações públicas da China. Um comunicado de imprensa escrito em inglês por um assessor chinês pode estar correto gramaticalmente, mas pode conter informações adicionais não explicitamente expressas pelo texto. As normas culturais também variam de um país para outro, o que pode levar à falta de comunicação entre jornalistas ocidentais e assessores chineses.

Jornalistas inteligentes sabem que não podem forçar os outros a mudar seus hábitos e consultam aqueles com fluência intercultural para ajudar a ler entre as linhas e decifrar mitos culturais. Não se ofenda facilmente, se os outros não trabalham de acordo com a 'norma' que você está acostumado.

Siga Dottie Li no Twitter.

Silver Siwei Wang colaborou no artigo.

Foto: Dottie Li