Um aplicativo visualiza mudanças climáticas na água

porDisha Shetty
Jun 03 em Temas especializados
Chuva

Dados sobre chuvas podem conter um tesouro de matérias para jornalistas ambientais, econômicos e até políticos. Por exemplo, a notícia de uma seca pode fazer com que os mercados de ações caiam em países onde a agricultura é o principal suporte da economia. Em todo o mundo, vários governos tratam os dados sobre o clima como um segredo nacional, sejam restringindo completamente o acesso a eles ou compartilhando-os em troca de um valor alto o suficiente para fazer com que jornalistas e pesquisadores recuem.

Mas nesta época de mudanças climática sem precedentes, quando os padrões de chuvas são afetados em todo o mundo --o que, por sua vez, afetam a disponibilidade de água na superfície-- o acesso aos dados climáticos é mais necessário do que nunca.

Um aplicativo chamado NOAH visualiza dois conjuntos de dados climáticos para jornalistas e pesquisadores acessarem: um sobre mudanças na superfície da água e o outro que examina mudanças nos padrões de precipitação em todo o mundo.

Para ver o primeiro conjunto de dados, basta fazer zoom no mapa do globo no NOAH. As áreas destacadas em vermelho no mapa indicam corpos de água que secaram entre 1984 e 2015. O verde indica áreas que ficaram mais úmidas e o preto mostra corpos de água que permaneceram do mesmo tamanho.

O NOAH pode ser usado para encontrar áreas onde os corpos de água secaram e podem servir como um ponto de partida para futuras pesquisas. Os dados podem gerar reportagens para repórteres ambientais e novas linhas de pesquisa para pesquisadores.

Por exemplo, nesta matéria sobre Rajasthan, um estado da Índia, o NOAH foi usado para estabelecer como um grande número de corpos de água na área ficou seco.

 

Map of water bodies
Uma área na parte ocidental da Índia. As manchas vermelhas são os corpos de água que secaram desde 1984.

 

O segundo conjunto de dados no NOAH é sobre a anomalia da precipitação. O NOAH permite que os usuários cliquem em qualquer lugar do globo para obter dados sobre o quanto a chuva se desviou da norma naquele local específico. O gráfico que é gerado pode ser baixado em formato .PNG e usado como evidência para informar entrevistas no local.

O gráfico abaixo, por exemplo, mostrou que a chuva na cidade de Ajmer, no oeste da Índia, estava se tornando mais instável.

Graph of rainfall

Os dados ajudaram a apoiar entrevistas com os agricultores que falaram de chuvas irregulares e seu impacto nos seus meios de subsistência. O NOAH já está ajudando jornalistas na Índia, onde grandes áreas estão enfrentando uma grave crise de água, para melhor cobrir a seca.

Os dados mensais de precipitação, datados de 1978, que o NOAH utiliza provêm do Sistema de Monitoramento de Anomalias Climáticas - OPI do Centro de Previsão do Clima da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos EUA (NOAA, em inglês).

Os dados de águas superficiais globais são cortesia do Centro Comum de Pesquisa da Comissão Europeia. Usando três milhões de imagens do satélite Landsat, uma equipe de quatro pessoas no Centro quantificou as mudanças na água de superfície global entre 1984 e 2015. A equipe publicou suas descobertas e análises na revista Nature em dezembro de 2016.

Os jornalistas de dados que fazem parte da equipe do NOAH usaram esse conjunto de dados e o apresentaram em um formato fácil de entender para o público leigo.

Você pode acessar o conjunto de dados original que o NOAH usa aqui. Ou escreva para a equipe NOAH com perguntas sobre como usar melhor os dados em reportagens.


Imagem sob licençaUnsplash via JanFillem