Content supported by

Segredos por trás da mídia digital nativa de sucesso

porMaite Fernandez
Jul 07 em Jornalismo digital

Na América Latina há uma oportunidade real de criar negócios rentáveis em torno de conteúdo e há lições valiosas a serem aprendidas com veículos digitais que  alcançaram sucesso online.

Mariano Blejman, bolsista Knight do ICFJ, comandou um Google Hangout, patrocinado pela Fundação Dow Jones, sobre as melhores práticas para a mídia digital e as chaves do sucesso por trás de publicações como BuzzFeed, Mic, Vox, Upworthy e Quartz. Blejman é também o criador da Media Factory, o primeiro acelerador de mídia na América Latina.

Desde a explosão do digital e o colapso do modelo de negócio tradicional da mídia latino-americana com base em anúncios classificados e outras formas de publicidade, o valor da mídia digital hoje reside na reputação da publicação e como consegue captar a atenção do público.

Para atingir esses objetivos, veículos digitais precisam inovar em áreas como fluxo de trabalho interno, produção de conteúdos, canais de distribuição e geração de audiência.

Blejman deu algumas dicas sobre como conseguir ter sucesso online:

Para melhorar a produção de conteúdo é preciso melhorar fluxos de trabalho internos

"Há uma forte tradição na mídia latino-americana de dissociar a produção de conteúdos de impacto e análise de tráfego", disse Blejman.

Por essa razão, é importante que as publicações façam uma análise exaustiva das métricas por artigo e qual ação foi desencadeada depois de cada artigo: foi compartilhado em mídia social? Os usuários retornam ao site? Qual foi o tempo de leitura?

"Isso não tem sido parte do fluxo de trabalho diário em publicações de notícias [na América Latina]", disse ele. "Normalmente, os jornalistas escrevem a história, o editor edita, o artigo é publicado no site ou impresso no jornal e, em seguida, todos vão para casa."

Inovação na produção de conteúdo significa também incorporar jornalismo de dados e fazer com que jornalistas, programadores e designers que trabalhavam anteriormente um em cada canto trabalhem juntos em projetos.

Um exemplo desse tipo de trabalho colaborativo é "La Ruta Electoral", um projeto da equipe de dados do jornal La Nación e um time de programadores e cientistas políticos. Com base em dados públicos, o projeto fez georreferências de contribuições de campanha de doadores privados e individuais para as eleições nacionais de 2007, 2009, 2011 e 2013, na Argentina.

Algumas dessas publicações também estão incorporando design de experiência do usuário em seu fluxo de trabalho interno e geração de conteúdo. Quando um repórter escreve uma matéria, muitas vezes é publicado em uma estrutura clássica rígida, disse Blejman. Mas publicações digitais devem levar em conta a forma como as pessoas vão ler essa matéria, seja em um tablet ou um telefone celular, à noite ou durante o dia.

"Integrar a experiência do usuário ao pensar como o conteúdo vai ser consumido pelo usuário é fundamental para agregar valor", disse ele.

A importância da geração de audiência

A geração de audiência tornou-se um elemento-chave da mídia digital nativa bem sucedida.

Blejman deu o exemplo da série de vídeos "Flip the Script", criado pelo Mic e apresentado pela jornalista Elizabeth Plank. A série trata de questões culturais e de gênero em vídeos de 3 a 7 minutos para serem vistos no Facebook. Em apenas dois meses, a série recebeu 33 milhões de acesso através da plataforma.

"Esta não é uma ideia maluca que algum editor teve do nada", disse Blejman. "É o resultado de análise de dados e audiência que mostraram potencial em uma ideia como esta."

Outra técnica utilizada por meios digitais é o conceito de testes A/B, que envolve a criação de um website com várias páginas de destino para testar o desempenho de cada uma. A ideia é ver o que funciona melhor para a audiência do site, que manchetes são mais envolventes e como o usuário interage com o conteúdo.

Mudanças na distribuição: Onde está a banca de jornal?

No mundo digital de hoje, os novos canais de distribuição são Facebook, Twitter e Google. "A banca de jornal está na mão do usuário. Nós vivemos com os canais de distribuição ligados a nossas mãos, olhando para os nossos smartphones", disse ele.

Outro canal de distribuição antigo, que está voltando, é o e-mail. Com a saturação das mídias sociais e o surgimento de newsletters, o e-mail torna-se um importante canal de distribuição. "A caixa de entrada está se tornando a nova primeira página de notícias", disse Blejman.

Entre as lições aprendidas com a mídia digital lucrativa nos EUA, Blejman enfatizou que publicações de sucesso investem mais em tecnologia e na distribuição, e se preocupam com a criação de um público de leitores fiéis.

Você pode assistir ao Hangout do Google na íntegra abaixo (em espanhol).

Media Factory é um programa de aceleração de mídia que dá financiamento e orientação para novas empresas de mídia digital na América Latina​.

Media Factory está aceitando candidaturas de equipes de jornalistas que trabalham em mídias digitais. As inscrições vão até 2 de agosto.

Blejman também está organizando "bootcamps da Media Factory" sobre inovação de mídia em várias cidades latino-americanas: 9 de julho em Buenos Aires, Argentina; 11 de julho em Santiago, Chile; 18 de julho em Lima, Peru; 25 de julho em São Paulo, Brazil; 1° de agosto na Cidade do México., e 8 de agosto em Bogotá, Colômbia.

Image principal sob licença CC no Flickr via Ramiro Chanes