Série destaca organizações de jornalismo: RTDNA, ASNE e NPPA

por Terrance Smith
May 10, 2018 em Jornalismo básico

 A IJNet apresenta uma nova série sobre organizações de jornalismo para mostrar as metas, projetos e benefícios de cada organização para pessoas interessadas em se envolver com a indústria da mídia.

Neste artigo, examinamos o apoio e as oportunidades da Associação de Notícias Digitais da Rádio Televisão (RTDNA, em inglês), a Sociedade Americana de Editores de Notícias (ASNE, em inglês) e a Associação Americana de Fotógrafos da Imprensa (NPPA, em inglês).

Desafios da indústria

Redações em todo o país enfrentam vários problemas, incluindo o cenário de negócios em mudança e o declínio na confiança do público. Essas organizações ajudam jornalistas a enfrentar esses problemas.

Para muitos jornalistas, manter uma percepção positiva na sociedade hoje é um desafio por si só. O conceito de “fake news” e a falta de confiança em jornalistas e cidadãos é uma preocupação para o presidente da NPPA, Michael King.

"Estamos preocupados com o nível de desconfiança do público em relação ao jornalismo... é aí que nossos esforços de defesa realmente entram em ação", disse King. "Se não defendemos [os jornalistas], quem vai defender?"

Recentemente, a NPPA divulgou uma declaração em resposta à mensagem coordenada que âncoras do Sinclair Broadcast Group foram instruídos a ler. A declaração reiterou os principais componentes de seu código de ética. A declaração condena o uso da credibilidade de um funcionário para mensagens políticas e considera uma afronta a padrões jornalísticos amplamente aceitos.

A RTDNA formou a Força-Tarefa da Voz da Primeira Emenda  em 2017. A força-tarefa é um esforço colaborativo entre empresas de radiodifusão e jornalismo digital, como Tegna, Hearst e Scripps, para fornecer uma defesa vigorosa da Primeira Emenda da Constituição Americana.

As duas missões da força-tarefa são defender contra todos os ataques à liberdade de imprensa nos Estados Unidos e ajudar o público a entender por que o jornalismo é essencial para a vida diária.

Durante a agitação civil em Charlottesville, no estado da Virgínia, em 2017, por meio de sua força-tarefa, a RTDNA disponibilizou seus recursos para jornalistas que precisassem de assistência jurídica de emergência para suas reportagens.

Reconhecimento, divulgação e educação

Embora muitas pessoas pensem apenas nos prêmios Pulitzer, jornalistas podem ganhar uma infinidade de prêmios.

Por exemplo, todos os anos desde 1971, a RTDNA apresenta os Prêmios Edward R. Murrow para mostrar os notáveis esforços do jornalismo digital, rádio e TV.

Essas organizações também realizam treinamento e extensão na comunidade de jornalismo.

A ASNE oferece programas, treinamentos e workshops para ajudar a aprimorar as habilidades de jornalismo de seus membros, segundo o presidente Alfredo Carbajal. Um desses programas é o Sunshine Week. Os jornalistas passam uma semana participando de almoços de premiação, painéis de discussão, workshops e outros eventos sobre os últimos desenvolvimentos em ferramentas de jornalismo e recursos de liberdade de informação. Os eventos ocorrem em todo o território dos EUA.

A NPPA também realiza diversos eventos e workshops em todo o país para que seus membros sejam capacitados e instruídos sobre as mais recentes tecnologias e tendências em jornalismo.

Em abril, a NPPA conduziu um workshop de storytelling avançado no Texas para ajudar comunicadores a se tornarem mais eficientes. Scott Jensen, membro da NPPA no workshop, disse: “Membros e contadores de histórias em jornalismo e outras áreas de comunicação recebem instruções e críticas ao trabalho que produzem durante o workshop.”

Os membros saem com uma compreensão de técnicas específicas, como adicionar elementos de antecipação. “Permitir que o espectador descubra por si mesmo uma revelação é uma ferramenta poderosa para contar histórias”, disse Jensen. "O elemento de surpresa leva a um espectador mais envolvido."

Inclusão e proteção

Juntar-se a uma organização profissional como as mencionadas acima proporciona aos jornalistas uma comunidade profissional, o que os ajuda a se sentirem incluídos em uma indústria que pode ser muito isoladora.

“A ASNE oferece um lugar onde líderes de notícias ou líderes de redações de todo o país podem se reunir para discutir as questões maiores que afetam o jornalismo”, disse Carbajal.

Essas organizações também trabalham para incentivar uma maior diversidade no jornalismo. O Instituto de Líderes Emergentes da ASNE ajuda jornalistas de grupos minoritários a se tornarem líderes na redação. Eles são treinados no estabelecimento de metas, finanças, estratégia, estilo de liderança, diversidade, tecnologia e inovação.

A NPPA também se dedica a garantir que qualquer pessoa que se junte a sua organização seja bem-vinda e valorizada, disse King.

"Isso significa prevenir e chamar atenção para o assédio e melhorar a diversidade em nossos eventos", disse King. "Acho que fizemos um bom trabalho, mas há espaço para melhorias. Nossa voz só fica mais poderosa se pudermos representar mais pessoas."

A RTDNA também está trabalhando para proteger jornalistas de obstáculos que dificultam sua reportagem. Várias forças internas e externas podem impedir o trabalho de um jornalista.

"A RTDNA trabalha todos os dias para garantir que jornalistas estejam protegidos contra ameaças, assédio, obstruções e outros esforços que os impeçam de informar e servir o país", disse o presidente da RTDNA, Dan Shelley.

A RTDNA é parceira do Comitê de Repórteres pela Liberdade de Imprensa. O comitê oferece uma linha direta de defesa 24 horas por dia para assuntos jurídicos pequenos ou grandes.

Todas essas organizações visam melhorar a qualidade do jornalismo e os ambientes onde os jornalistas trabalham. Para obter informações sobre como se tornar um membro, participar de eventos futuros e como se inscrever em futuras conferências, visite os sites da RTDNA, ASNE e NPPA.

Imagem sob licença CC Pixabay via TeroVesalainen