Repórter aparece em lista de piores empregos

porNicole Martinelli
Apr 16, 2012 em Diversos

Pela primeira vez, o trabalho de repórter de jornal e TV faz parte de uma lista dos piores empregos nos Estados Unidos.

Instabilidade no trabalho, estresse, salário baixo e falta perspectiva de emprego foram os motivos da profissão de repórter ser comparada aos trabalhos da indústria de alimentação como garçonete, lavador de louça e açougueiro, de acordo com uma pesquisa realizada pelo site Career Cast sobre os melhores e piores empregos em 2012.

Embora cobrir notícias possa ser mais divertido do que lavar pratos, a instabilidade e estresse são palpáveis: o número de repórteres nas redações foi recentemente registrado como o mais baixo em 34 anos.

O relatório avaliou 200 empregos em seis conjuntos de categorias. É fácil ver onde o jornalismo bateu no fundo, olhando para o conjunto de fatores relativos ao "estresse", onde riscos ocupacionais tradicionais (prazos, competitividade, própria vida em risco) se somam a uma perspectiva sombria do mercado.

"Enquanto o mundo digital continua a ganhar espaço e fornecer informações na medida do leitor, a necessidade dos jornais impressos e noticiários diários está diminuindo," observou o Career Cast. "Com certeza, ambos os trabalhos [em jornal e TV] pareciam glamurosos, mas o estresse, oportunidades de emprego em declínio e os níveis de renda são o que os colocou na nossa lista de piores empregos."

Pelo menos um jornalista concorda com a avaliação.

"Você pode definitivamente ver um declínio na indústria. Como repórter de esportes, eu costumava ver vários repórteres em um evento e agora, às vezes, sou o único", disse David Campbell, repórter e editor de um jornal da Pensilvânia, ao Career Cast. "A geração mais jovem não parece se importar com a notícia, e, quando se interessam, é mais sobre as celebridades e Hollywood e não o que está acontecendo em seus quintais."

Há uma possível luz no fim do túnel? Nos 15 melhores trabalhos, três estão relacionados à informática. Talvez a intersecção do jornalismo e informática irá gerar alguns empregos bons para jornalistas empreendedores interessados nessa área.

Para ler o relatório completo (em inglês), clique aqui.

Foto: Licença CC, cortesia de Julian Dobson no Flickr