Relatório sobre treinamentos mostra que jornalista quer competência em tecnologia, multimídia e dados

por Howard Finberg
Aug 14, 2012 em Jornalismo básico

Um relatório recente da John S. e James L. Knight Foundation resumiu o estado do treinamento no jornalismo.

Aqui estão as principais conclusões do trabalho: "Digital Training Comes of Age:" (em tradução livre, "O treinamento digital chega à idade madura").

  • Jornalistas querem mais treinamento em ferramentas digitais, como multimídia, análise de dados e tecnologia. A maioria dá notas baixas às suas organizações de notícias em matéria de proporcionar oportunidades de formação.

  • Aulas digitais estão ganhando popularidade como uma maneira barata de alcançar mais alunos. Um terço dos jornalistas norte-americanos e oito em cada 10 jornalistas internacionais dizem que as aulas online das quais participaram foram tão boas quanto, ou melhor do que, o treinamento convencional em sala de aula.

  • As organizações de treinamento estão se adaptando à era digital. Estão fornecendo mais formação online e repensando como os seus programas podem promover a transformação do jornalismo.

O relatório foi escrito por Eric Newton, assessor do presidente da Fundação Knight, e Michele McLellan, uma consultora da fundação. Embora o estudo tenha se concentrado em programas apoiados pela Knight, os autores disseram que as ideias são relevantes para todos os que estão interessados ​​em treinamento em jornalismo.

Cerca de 660 jornalistas, alunos de programas de treinamento da Knight, foram pesquisados, com 61 por cento dos participantes fora dos Estados Unidos. A maioria dos jornalistas internacionais veio da América Latina. McLellan disse que não acredita que a composição dos participantes do estudo reduz o impacto das conclusões gerais.

"Nós pensamos que este pode ser o resultado de alguns fatores: os participantes de fora dos EUA têm menos acesso à formação em geral e apreciam mais o treinamento online", McLellan escreveu por e-mail. "O Centro Knight para o Jornalismo nas Américas desenvolveu programas eficazes de ensino [e] a grande maioria dos participantes não-americanos foram treinados pelo centro."

No entanto, existem diferenças importantes entre os jornalistas dos Estados Unidos e os participantes internacionais. Sobre a eficácia da aprendizagem online, 84 por cento dos jornalistas internacionais concordou que ensino à distância é melhor do que em sala de aula, enquanto apenas 34 por cento dos jornalistas norte-americanos tiveram a mesma opinião.

Imagem: Morguefile.

Para ler o artigo integral (em inglês), clique aqui.

O artigo foi publicado primeiramente no Poynter Online, parceiro da IJNet e site do Poynter Institute, uma escola que serve o jornalismo e a democracia há mais de 35 anos. O Poynter oferece notícias e treinamento para qualquer agenda, com orientação individual, seminários presenciais, cursos online, webinários e muito mais. O artigo é traduzido pela IJNet com permissão.