Quatro ferramentas de dados para jornalistas que preferem trabalhar com palavras

porNicole Martinelli
Sep 2, 2011 em Jornalismo básico

Tasneem Raja, editora interativa digital da revista Mother Jones, ofereceu ótimas dicas para organizar dados em um recente encontro do Hacks Hackers em San Francisco.

Cerca de 150 pessoas compareceram ao evento "Riding the Data Wave: Tools to Make Open Data Relevant," (em tradução livre, "Aproveitando a onda de dados: ferramentas para tornar dados abertos relevantes") na sede do Storify.

Com jornalistas americanos pesquisando dados em sites do governo de três a quatro vezes por semana, agora é a hora de aprender a trabalhar com esse vasto repositório de informações.

Raja, que também trabalhou para o Bay Citizen, não tem ilusões sobre como a maioria dos jornalistas vê dados na redação. "Muitas pessoas tornam-se jornalistas porque querem evitar a matemática", disse ela. Quando lidam com dados, encontram-se mergulhados em números e softwares confusos.

Aqui estão suas três escolhas para os jornalistas que ainda não se converteram ao mundo dos dados -- estas ferramentas gratuitas ajudarão a organizar e apresentar dados, tornando mais fácil para seu uso na redação.

1. Google Refine Promovido pela companhia como uma ferramenta forte para "trabalhar com dados desorganizados,"o Google Refine é simplesmente "incrível", segundo Raja. A maioria dos jornalistas são coletores de informação por natureza, mas um novato em dados pode se deparar com pilhas de arquivos que não fazem muito sentido.

Para isso é que serve o Google Refine. Se você conhece o Python ótimo, se não pode arrastar e largar, Raja disse. A equipe do Bay Citizen o usou para desenvolver um premiado registro de acidentes de bicicleta, que reuniu dados de fontes diferentes.

2. Tablesorter "É super simples", Raja afirmou. Esta é uma outra maneira de ter seus dados em um formato utilizável, por exemplo, converte rapidamente arquivos de Excel que a prefeitura enviou em um arquivo de CSV para um tabela de dados.

3. Mr. Data Converter pode se tornar seu "novo melhor amigo", disse Raja. O aplicativo gratuito converte dados de Excel em um dos vários formatos fáceis de navegar na Internet, incluindo HTML, XML e JSON.

4. Geocommons Um conversor rápido e gratuito de arquivo acessível para dados geográficos e mapas. Este é um salva-vidas, segundo Raja, quando o departamento de planejamento envia um Shapefile e você precisa convertê-lo em um KML, um formato de arquivo usado para exibir dados geográficos em um navegador, como o Google Earth e Google Maps.