Quatro dicas de tradução online para jornalistas

por Lindsay Kalter
Aug 13, 2012 em Jornalismo básico

Na era da informação digital em que a distância física não importa mais, a língua é uma das últimas barreiras práticas no consumo de notícias.

Mas mesmo esse obstáculo está quase obsoleto, graças a funções como a barra de tradução do Google Chrome, o Google Translate, FreeTranslation.com, Bing Translator e inúmeras outras ferramentas online.

Em um post de Mike Sefanov no Storyful, o editor sênior da plataforma de notícias oferece dicas para o jornalista garantir que a informação seja distribuída -- e recebida -- com precisão.

Cuidado com as traduções literais

A maioria das ferramentas online tem a tendência de traduzir certas palavras e nomes de lugares muito literalmente, Sefanov disse. Por exemplo, em um tuite em árabe o bairro "Hajar Aswad" em Damasco, capital da Síria é convertido em inglês pelo Google Translate, como "a cidade da Pedra Negra". "A maioria tem pelo menos algumas dificuldades em traduzir adequadamente gírias, emoção e nuances", disse Sefanov sobre os recursos de tradução online.

Tenha uma abordagem bilateral

Porque é difícil conseguir uma tradução online precisa, usar mais de um site pode ajudar a evitar confusões. No caso de "Hajar Aswad", colocando os termos em árabe para "pedra negra" seguidos de "Síria" no Google Mapas confirma o resultado para o bairro em questão. Além disso, traduzir uma palavra, utilizando pelo menos duas ferramentas separadas pode evitar a confusão causada pelas múltiplas definições. Por exemplo, a palavra árabe "الصحافة" é traduzida ao inglês por FreeTranslation.com como "A Imprensa", conotando os meios de comunicação coletiva, enquanto o Google Translate sugere "imprensa", que pode referir-se à máquina de transferência de tinta.

Cuidado com variação de áudio

Embora os sites de tradução muitas vezes forneçam uma pronúncia em áudio, geralmente não são uma fonte confiável, Sefanov disse. "O Google Translate não leva em conta sotaques regionais, então a prática geralmente serve apenas como um guia para informações adicionais", escreveu. "E, claro, o valor de ter fontes poliglotas verdadeiras que podem ajudar a verificar o significado de um texto ou o áudio de um vídeo no YouTube não pode ser suplantado por uma ferramenta de tradução online."

Desenvolva fontes confiáveis usando as mídias sociais

Os jornalistas trabalhando com um idioma estrangeiro podem contatar fontes multilíngües em sites de mídia social para obter uma revisão precisa e eficiente da tradução, Sefanov disse. Embora os repórteres devam tomar cuidado com as fontes que podem torcer o significado do conteúdo por interesse próprio", engajar-se em várias frentes e experimentar com tradutores por crowdsource também podem ser adicionados ao arsenal de ferramentas sociais que podem ajudar o jornalista a chegar mais perto da verdade."

Via Storify

Imagem cortesia do Morguefile