Quando jornalistas devem trabalhar de graça?

porLindsay Kalter
Mar 12, 2013 em Freelance

Às vezes uma matéria assinada vale mais do que um cheque.

Pelo menos, é isso que os editores da Atlantic argumentaram quando pediram a um jornalista freelance para fornecer conteúdo para seu site gratuitamente. O incidente levou observadores da mídia a reclamarem sobre trabalhos não remunerados.

Jeff Sonderman examina a polêmica e oferece alguns pontos para ter em mente ao decidir se deve ou não escrever de graça:

Seja seletivo

Sonderman cita o escritor Jason C. Fry, que diz que uma análise de custo-benefício cuidadosa deve ser realizada cada vez que um escritor considera um trabalho não remunerado. De acordo com Fry, freelancers só devem aderir a esse acordo se algo significativo pode ser adquirido, como uma adição impressionante para seu currículo ou um conselho de edição valoroso. "Seja implacável ao perguntar a si mesmo se realmente compensa", Fry escreve. "É para uma plataforma realmente de prestígio? A troca com os leitores seria realmente atraente? A relação com o editor vai ser realmente próxima?"

Você se daria melhor escrevendo num blog para você mesmo?

Pessoas que criam conteúdo de graça tornam a internet mais valiosa para todos nós, mas escrever para uma publicação específica pode não ser o melhor caminho, de acordo com Mateus Yglesias da Slate. Sonderman diz que Yglesias aconselha o jornalista a decidir se quer ter artigos assinados em veículos de mídia, ou tomar a iniciativa pessoal de usar as mídias sociais e blogosfera. "Devemos todos ser felizes que graças à internet já há muitas pessoas que escrevem de graça", diz Yglesias. "Alguns deles estão publicando gratuitamente sob a marca de uma mídia estabelecida. Alguns deles estão publicando gratuitamente no Twitter. Alguns deles estão escrevendo Tumblrs ou blogs."

Não descarte o trabalho em tempo integral

Escrever de graça pode servir como um trampolim na busca de trabalhos freelancers pagos, mas é importante garantir que é o caminho certo antes de fazer esse sacrifício. De acordo com Sonderman, o colunista da Reuters Felix Salmon diz que o jornalista precisa estar preparado para a imprevisibilidade e a frustração resultante que pode vir com o trabalho freelancer na era digital. "Ainda há dinheiro real em matérias de revista e há um punhado de sites que pagam algo como US$1.000 ou US$1.500 por artigo", Salmon escreve. "Mas, em geral, é muito, muito mais fácil conseguir um emprego que pague US$60.000 por ano trabalhando para um site do que fazer US$60.000 por ano com trabalho freelance para uma variedade de sites diferentes."

Para ler o post do Poynter na íntegra (em inglês), clique aqui.

O Poynter Online, parceiro da IJNet e site do Poynter Institute, é uma escola que serve o jornalismo e a democracia há mais de 35 anos. O Poynter oferece notícias e treinamento para qualquer agenda, com orientação individual, seminários presenciais, cursos online, webinários e muito mais.

Foto usada com licença Creative Commons, cortesia de EpSos.de