Publicações online voltam ao passado com edições impressas

porNicole Martinelli
Sep 19, 2011 em Jornalismo digital

A maioria das publicações impressas luta para prosperar online, mas algumas publicações online estão voltando às máquinas de impressão para oferecer edições em papel.

Exemplos recentes incluem o site de moda Style.com, que irá imprimir uma revista bianual e The Bold Italic, um site sobre estilo de vida da cadeia de jornais Gannett em San Francisco, que vai oferecer uma edição impressa trimestral.

A IJNet conversou com Robert Reif, presidente da Media Networks, Inc. e Targeted Media, Inc., duas empresas da Time Inc. especializadas em soluções de publicidade personalizada para revistas e online, sobre este reverso e o que significa para os jornalistas.

IJNet: Então, qual é a história da publicação online ter uma versão impressa? É algo de novo?

Robert Reif: Não deveria ser uma surpresa que as publicações online desenvolvessem produtos de impressão -- sempre houve um movimento de expansão de marcas em diferentes tipos de mídia. Por exemplo, em 1998 o canal ESPN lançou a ESPN revista; nesse caso uma empresa de cabo contou com a imprensa para expandir a marca e oportunidades de renda.

Mesmo que o fluxo tenha sido geralmente de imprensa para online, faz sentido que o meio digital olhe também para a imprensa, pois há vários pontos de contato entres esses meios. Quando as pessoas se voltam à mídia para obter educação, entretenimento ou informações, elas o fazem para a mídia impressa, online, TV e etc.

A imprensa ainda é visto como mais uma atividade de lazer para os leitores. Para os anunciantes, as revistas são o meio principal para a receptividade do anúncio, confiabilidade e inspiração, de acordo com o Experian Multimedia Engagement Study.

IJNet: Os dois exemplos que vimos foram duas publicações de estilo de vida -- que tipo de publicações online funciona no papel?

RR: Não somente publicações de estilo de vida, mas em um mercado como San Francisco, e em lugares como Nova York e Boston; essas são cidades onde as pessoas compram mais livros e estão mais abertas à experiência da impressão do que outros mercados...

Pode funcionar para todos os tipos de publicações. Por exemplo, um dos melhores sites de aconselhamento médico de saúde, WebMD, tem um produto impresso que vai muito bem... Mesmo uma marca online grande como essa vê relevância na impressão.

As pessoas não desistiram de revistas, rádio e TV. A Internet é a coisa quente agora... mas quando olhamos para trás anos será apenas parte de um mix de mídia maiores...

Nós dizemos a clientes que não devem colocar todo seu dinheiro na imprensa, apesar de alguns anunciantes ainda estarem nervosos sobre a publicidade online. Múltiplos pontos de contato fazem um orçamento de marketing inteligente -- é bobagem achar que só deve usar um ou o outro.

*IJNet: O que isso significa para os jornalistas? Não é legal escrever para um site online e ver seu trabalho publicado na imprensa, sem receber pagamento extra por isso.**

RR: Meu sonho era ser jornalista... então eu simpatizo com o fato de que este é provavelmente o momento mais difícil de ser jornalista nos últimos 100 anos e que algumas pessoas não estão sendo compensados ​​de forma adequada pelo seu trabalho.

Há ainda uma certa satisfação ao ver seu trabalho no papel... Mesmo para mim, uma coisa é ser citado no New York Times online e outra coisa é na edição impressa...

Parece mais importante -- ainda hoje -- que alguém pensou que dar uma notícia era importante o suficiente para cortar árvores, usar tinta e fazer papel, imprimir, entregar o jornal, etc.