Projeto inovador de notícias em SMS acontece no Afeganistão

por Melissa Ulbricht
Oct 29, 2010 em Jornalismo digital

No Afeganistão, uma produtora de documentários e uma agência de notícias independente se uniram para integrar telefonia móvel e SMS nas reportagens. De mensagens de texto no dia das eleições a matérias sobre aviões artesanais, eles estão demonstrando como a vontade de adaptar plataformas móveis podem contribuir a uma interseção bem-sucedida entre tecnologia e mídia.

A Small World News é uma produtora de documentário e nova mídia que fornece ferramentas a jornalistas e cidadãos do mundo todo para contar histórias sobre o cotidiano. A Pajhwok Afghan News é uma agência de notícias independente sediada em Cabul com oito escritórios regionais e uma rede nacional de repórteres trabalhando em dari, pashtu e inglês. Juntas, as duas empresas lançaram o site Alive in Afghanistan (em tradução livre, “Vivos no Afeganistão”), originalmente destinado a mostrar matérias sobre a eleição de 2009 no Afeganistão.

Vivos no Afeganistão

Danish Karokhel, diretor da Pajhwok Afghan News, disse que as plataformas sociais e multimídia são novidade para muitos no Afeganistão. Então ele contratou o Small World News para ajudar a treinar a equipe da Pajhwok no uso destas ferramentas e equipamentos no contexto das eleições] de 2009.

Diferente de outras iniciativas que fazem a ponte entre tecnologia e jornalismo, o projeto não promoveu ou encorajou o jornalismo cidadão em si, disse Brian Conley, fundador da Small World News. Em vez disso, cresceu de uma rudimentar [ferramenta informal de observação da eleição] (http://mobileactive.org/cutting-through-hype-why-citizen-reporting-isnt-election-monitoring) a uma plataforma mais ampla para o diálogo midiático e apoio jornalístico para repórteres capacitados.

O Alive in Afghanistan foi lançado em 2009 quando a Small News Network criou um sistema de reportagem por SMS para os repórteres da Pajhwok durante a eleição presidencial desse ano.

No lançamento, o Alive in Afghanistan recebeu atenção por ter publicado reportagens de cidadãos comuns afegãos ao lado de reportagens verificadas dos repórteres da Pajhwok. Mais de 100 reportagens foram publicadas no dia da eleição através do Twitter, SMS, e diretamente dos repórteres da Pajhwok. Estas foram mapeadas usando uma plataforma de visualização geográfica e cronológica de reportagens, a Ushahidi.

Conley disse que o site se tornou uma das únicas fontes de notícia em tempo real no dia da eleição. Mas apesar das pessoas somente poderem enviar mensagens via telefone celular, muitas não podiam ter acesso ao site porque a Internet não é comum no Afeganistão.

"Embora, como os próprios fundadores do site admitem, somente uma minoria dos afegãos sabem como usar o site e têm acesso a ele, este ainda é um ótimo recurso para as notícias em tempo real sobre a eleição no Afeganistão", segundo uma matéria de 2009 no Los Angeles Times.

O Alive in Afghanistan foi desenvolvido para ser usado para cobrir um iminente segundo turno da eleição presidencial. Quando o segundo turno foi cancelado em novembro, o site e suas funções poderiam ter sido facilmente abandonados tanto pela World News ou a Pajhwok.

Em vez disso, o site foi reprogramado e "transformado em um projeto de fortalecimento do jornalismo por apoiar uma mídia livre e justa no Afeganistão", Conley disse. 



Karokhel, que ganhou em 2008 o prêmio internacional Press Freedom Award do Comitê para a Proteção dos Jornalistas, disse que a Pajhwok recebeu comentários de usuários depois do seu lançamento sugerindo que as notícias sobre a vida diária seriam uma adição interessante.

Então fizeram exatamente isso. As reportagens de SMS no site agora são divididas em categorias diversas, incluindo segurança, eleição, governança, construção, esporte, saúde e inovação. As reportagens também aparecem na seção especial "SMS Updates" no site da Pajhwok. 



No dia 19 de outubro, por exemplo, 15 reportagens de SMS foram publicadas no site da Pajhwok. Elas vão desde comentários sobre a eleição parlamentar no mês passado a drogas para performance sexual, a um adolescente que construiu o primeiro avião artesanal do país.

As Reportagens de SMS Alertam Leitores e Mídia

Enquanto muitos projetos de jornalismo com base na telefonia móvel se utilizam de tecnologia de geo-codificação e conversações hiper-locais, Karokhel vê um potencial internacional maior para esta iniciativa. A Pajhwok publica reportagens de SMS nas matérias que são mais interessantes aos leitores. Isto acontece, em parte, porque a audiência do site vai além dos afegãos, já que muitos deles não têm acesso à Internet.

Uma outra função importante da plataforma adaptada é que as reportagens de SMS promovem um diálogo para outros canais de mídia e ajudam a Pajhwok a identificar o que é notícia e alertar outros jornalistas às notícias urgentes das províncias do país.

As reportagens de SMS da Pajhwok são lidas por 93 estações de rádio, 25 canais de TV e 14 jornais diários. As matérias são frequentemente distribuídas por muitas organizações de notícias, Karokhel disse.

Em um futuro próximo, Karokhel planeja reformular o componente de jornalismo cidadão do projeto para fornecer reportagens de SMS em múltiplas línguas aos telefones celulares. Como um todo, o projeto é um passo adiante para a Pajhwok e a mídia do país. Ao aproveitar o treinamento e equipamento da Small World News – e operando através dela -- "será de primeira linha não só como uma agência de notícias no Afeganistão mas no mundo”, Conley disse.

Este artigo foi publicado originalmente no PBS's MediaShift's IdeaLab. O IdeaLab é um blog de um grupo de inovadores que estão reinventando o jornalismo comunitário na Era Digital. Cada autor recebeu um patrocínio do Desafio Jornalístico Knight para ajudar a financiar uma ideia para um projeto ou blog sobre um tópico relacionado a transformação do jornalismo comunitário.