Melhores práticas para transição de TV analógica a digital

porLindsay Kalter
Nov 14, 2012 em Jornalismo multimídia

Emissoras de televisão em todo o mundo continuam a migrar da tecnologia analógica à digital, uma mudança que deve aumentar a eficiência, liberar a largura da banda e oferece uma qualidade melhor.

Quase todos os países estão planejando fazer a mudança para transmissão digital até junho de 2015, de acordo com um acordo da União Internacional de Telecomunicações citado em um relatório do Centro Internacional para Jornalistas (ICFJ) e da African Media Initiative (AMI).

O relatório, escrito por Meredith Beal, bolsista do Knight International Journalism Fellowship, oferece conselhos para uma transição tranquila à transmissão digital:

Comunique-se com os telespectadores

De acordo com o guia, é importante informar o público sobre suas três opções: comprar um conversor, assinar um serviço com um provedor de cabo ou satélite, ou comprar uma televisão pronta para o serviço digital. Eduque os telespectadores usando anúncios de serviço público, outdoors, rede social e matérias jornalísticas. "Não é possível comunicar demais com seus telespectadores sobre a conscientização da mudança e o que precisam fazer", disse Beal.

Planeje um período de transmissão dupla

É importante oferecer os dois tipos de transmissão, enquanto problemas dentro do sistema digital são resolvidos. "A radiodifusão simultânea em analógico e digital por algum período de tempo é imperativo", afirmou o relatório. "Você tem que garantir que os telespectadores continuam a ter acesso à programação, enquanto está testando a qualidade e a cobertura da transmissão digital."

Configure uma linha telefônica

De acordo com o relatório, uma linha direta para os telespectadores deve ser lançada meses antes da transição ser feita e deve ser mantida até o fluxo de ligações decrescer. "Não importa o quanto você e outras partes interessadas têm promovido a conscientização, sempre haverá alguns que esperam até o último minuto ou mais tarde", disse o relatório. "Verifique se o centro de chamadas tem linhas e equipe suficientes para o tempo de transição."

Forneça treinamento de pessoal

As emissoras devem ter certeza que a equipe técnica é bem versada em programação digital, disse o relatório. "Se a emissora de televisão também será um distribuidor de sinal, será necessário investimento em treinamento de pessoal", segundo o guia. "Se a estação terceiriza sua área de engenharia, é necessário ter diligência para determinar o estado de prontidão por parte da empresa de engenharia ou do fornecedor de serviços técnicos."

Faça pesquisas com os telespectadores

Use pesquisas para avaliar a disponibilidade da audiência, sugeriu o guia. Os telespectadores devem ser solicitados a informar se estão totalmente prontos, parcialmente prontos ou não estão prontos. As emissoras devem prestar mais atenção ao grupo que "não está pronto", porque uma das principais preocupações durante a transição é os cidadãos poderem acessar informações de emergência transmitidas pela televisão", disse o relatório.

Imagem cortesia do Centro Internacional para Jornalistas

Você pode ler mais dicas do relatório (em inglês) aqui.