Fact-checking ao redor do mundo: Faktograf da Croácia

por Sherry Ricchiardi
Apr 5, 2018 em Fact-checking e verificação

Esta é a terceira parte da nossa série, "Fact-Checking ao redor do mundo", que destaca organizações que lutam contra a desinformação em todo o mundo. Clique aqui para ler a primeira parte e a segunda parte

O veterano jornalista Petar Vidov estava cobrindo corrupção política e crime organizado para o Index, o portal de notícias mais visitado da Croácia, quando uma operação incipiente de checagem de fatos chamou sua atenção. Ele deixou seu trabalho de destaque para ajudar a tornar a startup uma realidade.

Hoje, o Faktograf faz parte da International Fact-Checking Network e é signatário do código de princípios dos verificadores de fatos, que enfatiza o compromisso com a não-partidarização, justiça e transparência das fontes em todo o mundo. O Faktograf, lançado em outubro de 2015, tornou-se conhecido na cena da mídia balcânica.

Segundo Vidov, o site recebe entre 30.000 e 40.000 visitantes únicos por mês e tem uma forte presença no Facebook e no Twitter. As descobertas do Faktograf são televisionadas como parte de um noticiário da manhã de domingo na rede N1, uma afiliada à CNN na região, e publicadas por meios de comunicação croatas.

“O Faktograf tem sido muito bem-sucedido em criar uma marca própria como uma fonte de informação que pode ser sempre confiável. Estamos muito orgulhosos disso”, disse Vidov. “Estamos gradualmente atraindo mais e mais leitores que regularmente nos contatam, principalmente via Twitter, com sugestões sobre tópicos para checar ou investigar.”

Stjepan Malovic, célebre estudioso e autor de mídia croata, exaltece o Faktograf e organizações similares em todo o mundo. Ele vê o “jornalismo de prestação de contas” como a linha de frente na guerra contra notícias falsas e desinformação e chama o Faktograf de “um site excelente” que mantém os políticos responsáveis.

"As pessoas em todos os lugares estão cansadas de notícias falsas e outras invenções de empresas de mídia corporativa e gurus das redes sociais", disse Malovic, co-autor de um livro sobre ética na mídia. “Projetos como o Faktograf estão tentando conter a maré, mas é um processo lento e doloroso. É por isso que eles merecem nosso apoio.”

Desde o início, o Faktograf é um esforço colaborativo com outras iniciativas de verificação de fatos na região que fornecem aconselhamento e treinamento.

A iniciativa é um projeto conjunto da Associação de Jornalistas da Croácia e a GONG, uma organização da sociedade civil que se concentra na prestação de contas e boa governança. Vidov dá crédito a Jelena Berković, diretora executiva da GONG, pelo início da operação inspirada em organizações semelhantes em países vizinhos.

Colegas do outro lado da fronteira na Bósnia-Herzegovina realizam uma operação de checagem de fatos chamada Istinomjer que ajudou Vidov a criar um modelo de trabalho para a Croácia. Seu departamento de tecnologia da informação ajudou no design e lançamento do site Faktograf.

O Faktograf é financiado por doações do National Endowment for Democracy e Digital News Initiative Innovation Fund do Google.

"Nós sentimos que o impacto que tivemos é significativo, mas também limitado", disse Vidov. “Significativo porque o Faktograf teve uma influência positiva no panorama geral da mídia na Croácia e foi muito bem recebido pelos leitores.

“Limitado porque somos uma redação pequena. Nós só podemos nos dar ao luxo de contratar três jornalistas, mas a máquina de notícias falsas funciona 24 horas por dia. Muitas vezes é difícil acompanhar todas as mentiras e desinformações que se infiltram na discussão pública.”

Ele destaca três realidades para os verificadores de fatos:

  • Notícias falsas e propaganda são muito mais fáceis e baratas de produzir do que reportagens honestas e precisas.

  • Desinformação se espalha muito mais rápido e é mais difícil de refutar.

  • Jornalistas e fact-checkers têm sido os únicos na vanguarda dessa batalha.

"A única maneira de enfrentar a onipresente propaganda digital é responder com fatos concretos e indiscutíveis", disse Vidov.

Enquanto o parlamento da Croácia debateu a ratificação da convenção do Conselho da Europa sobre a violência de gênero, os oponentes espalharam falsidades sobre como a ratificação iria minar os valores de família no país. O Faktograf desmascarou a campanha de desinformação.

Houve casos em que os políticos emitiram correções após o Faktograf checar suas declarações e prová-las incorretas. Recentemente, o Faktograf expôs um alegação falsa de um parlamentar sobre alimentos geneticamente modificados. Seu partido político pediu desculpas e mudou sua posição. Vidov está em contato regular com outros verificadores de fatos em sua área e espera "uma colaboração ainda mais estreita em projetos comuns, se e quando a oportunidade surgir".

Logo após o lançamento do Faktograf, o Instituto Poynter de Estudos de Mídia publicou uma reportagem: “Nos Bálcãs, a checagem de fatos não tem fronteiras”.

O autor, Alexios Mantzarlis, diretor da International Fact-Checking Network, observou: "Os verificadores de fatos tendem a ser tipos colaborativos, executando iniciativas conjuntas e apoiando sites de notícias que lançam em todo o mundo." Ele apontou para o Faktograf como um exemplo .

No futuro, Vidov prevê uma redação maior com jornalistas profissionais dedicados, trabalhando em tempo integral. "Infelizmente, essa expansão não é tão fácil de planejar, já que somos uma empresa sem fins lucrativos, financiada exclusivamente por doações internacionais", disse ele. “Neste momento, estamos trabalhando para cobrir as despesas de ano para ano.”

Imagem sob licença CC no Unsplash via Toa Heftiba