Dicas para repórteres que cobrem um parlamento pela primeira vez

porBob Eggington
Aug 20, 2014 em Temas especializados

Em reportagem parlamentar, fornecer contexto e análise é essencial.

Ao contrário de reportagens de notícias gerais, a reportagem parlamentar geralmente requer conhecimento prévio suficiente para dar sentido aos procedimentos. Isso porque se espera que o repórter parlamentar forneça o contexto e análise adequada, bem como seja capaz de colocar a evolução em perspectiva.

Respeite o poder das palavras

A palavra parlamento vem de "parlement" - uma palavra em francês normando significando uma conversa ou um "falar". Em registros europeus escritos, a palavra tem sido usada há mais de 800 anos para descrever encontros para falar sobre assuntos de Estado.

O precursor dos parlamentos modernos surgiu em 1265 em Westminster, Inglaterra. Por tradição, os partidos de oposição se sentavam separados pelo comprimento duas espadas - eles tinham que resolver suas diferenças com palavras, não com armas. Parlamento, portanto, significa usar palavras, argumento, debate. O repórter parlamentar tem a responsabilidade especial de reportar esses debates para o público.

Reflita a importância do parlamento

Os parlamentos fazem e modificam as leis da terra. Na maioria dos sistemas parlamentaristas, o executivo precisa do apoio do parlamento para se manter no poder. Um voto contra do governo costuma fazer com que a lei caia. O Parlamento também é uma etapa importante para o teste de argumentos. E, como em qualquer fase, pode oferecer momentos de grande drama. Os repórteres parlamentares testemunham, resumem e passam tudo isso para o público. E se, por qualquer motivo, o parlamento torna-se impotente, é importante também refletir isso.

Conheça as leis locais

Órgãos legislativos diferentes têm regras diferentes em matéria de acesso, privilégio, uso de câmeras e gravadores e assim por diante. Parlamentos, talvez compreensivelmente, tendem a ter uma visão severa de quem não respeitar as suas regras. Familiarize-se com estas regras, caso contrário você pode encontrar-se em desrespeito ao Parlamento.

A importância de acertar

Obviamente, verifique ortografia, títulos, fidelidade partidária, etc. Mas é igualmente importante citar as pessoas corretamente e sintetizar seus argumentos de forma justa. O público vai se decidir sobre as grandes questões do dia parcialmente informados sobre o que lê, ouve e vê na mídia. Certifique-se de ter todas as informações que precisam.

Seja claro e compreensível

Seu público deve ser capaz de compreender cada palavra e cada frase que você escreve imediatamente e sem possibilidade de confusão. Isto significa, em primeiro lugar, que você deve ser claro sobre o que quer dizer. Então, deve dizer isso de forma simples e sem ambiguidade. Escolha suas palavras com cuidado e elimine qualquer possibilidade de mal-entendido. Como Cyril Connolly, escreveu no século passado: "A literatura é a arte de escrever algo que será lido duas vezes, o jornalismo é para ser apreendido de uma só vez."

Deixe de lado os seus próprios pontos de vista

Um bom repórter tem a mente aberta e é determinado a dar um tratamento equitativo a todos os argumentos que ele ou ela testemunha. Um repórter ruim deixa seus próprios pontos de vista interferir. Isto é particularmente verdade na reportagem de controvérsia política. Não é para o repórter parlamentar decidir qual argumento é o mais forte. Em vez disso, o bom repórter apresenta todos os argumentos, de forma justa e precisa, e permite que o público decida por si mesmo.

O contexto político

Os políticos sempre querem ser apresentados da melhor forma possível. Eles vão informar os jornalistas para tentar influenciar a forma como algo é reportado. Por exemplo, depois das questões semanais com o Primeiro-Ministro no Parlamento britânico, os porta-vozes de imprensa dos líderes do partido dão aos jornalistas a sua própria interpretação de quem "ganhou" e quem "perderam" nos debates. Tais briefings podem ser úteis, mas devem ser tratados com cautela. Não deixe que um lado distorce sua reportagem sobre o que realmente aconteceu.

Faça a reportagem interessante

Procedimentos parlamentares às vezes podem ser chatos. Mas são importantes. Assim, faça com que sejam interessantes. Capte a atenção do seu público. Escreva com clareza e simplicidade. Atraia o interesse a sua primeira frase e faça a reportagem fluir naturalmente a partir daí. A imprensa lutou muito, ao longo dos séculos, pelo direito de informar sobre os procedimentos parlamentares, por isso não perca seu sacrifício.

Evite pontos de exclamação!

Jornalistas da imprensa às vezes chamam pontos de exclamação "gritadores". Eles devem ser usados ​​com muita parcimônia, se usado. O ponto de exclamação sugere que algo é dramático. Mas ou o que você está descrevendo é verdadeiramente dramático, de modo que você não precisa de um ponto de exclamação; ou não é dramático, portanto, acrescentar um ponto de exclamação não vai torná-lo assim. "O primeiro-ministro demite-se!" é um título pior que "o primeiro-ministro renuncia".

Mantenha suas anotações com cuidado

Não importa quão boa seja a sua memória, tenha uma anotação exata de qualquer debate parlamentar que você está reportando. Mantenha-a em algum lugar seguro. Poderá ser necessário mais tarde se a sua matéria é contestada.

Este artigo apareceu primeiro no Media Helping Media (MHM) e é publicado no IJNet com permissão.

MHM é um site de informações sobre treinamento que fornece recursos de mídia gratuitos para jornalistas que trabalham em estados de transição, países pós-conflito e regiões onde a liberdade de expressão e a liberdade de imprensa sofre ameaças.

Bob Eggington é jornalista desde 1969 Começou em jornais antes de entrar para a BBC, onde trabalhou por quase 30 anos, incluindo um período como o chefe da unidade política e parlamentar da BBC. Ele era o diretor do projeto, responsável por lançar BBC em 1997, Bob atualmente trabalha como consultor de estratégia de mídia no Reino Unido e no exterior.

Foto sob licença CC no Flickr via dangodin