Dicas para lançar um grupo Hacks/Hackers

por Mariano Blejman
Mar 27, 2013 em Jornalismo digital

Em Buenos Aires, tudo começou com um tuite que foi compartilhado por cerca de 120 pessoas. Convidamos todos que queriam repensar o jornalismo para o primeiro evento Hacks/Hackers da nossa cidade.

Menos de dois anos depois, com 1.700 membros e crescendo a cada dia, já fizemos mais de 20 eventos e uma Media Party com palestras, oficinas e Hackathon. O Hacks/Hackers Buenos Aires se tornou um espaço vibrante para a inovação da mídia. Acreditamos que muitas pessoas na América Latina se beneficiariam de participar de Hacks/Hackers, por isso, estou ajudando a impulsionar a sua expansão na região, como parte do minha bolsa do Knight International Journalism Fellowship.

Os grupos de Hacks/Hackers por todo o mundo juntam jornalistas, designers e desenvolvidores em reuniões, workshops e hackatonas. Também atraem a comunidade de software livre, muitas ONGs de dados abertos, setores do governo, empresários e investidores.

Dirigir um grupo requer muito tempo, energia e esforço. É preciso que os organizadores estejam empolgados com a ideia de reinventar o futuro da mídia por meio da educação, inspiração e colaboração entre jornalistas, programadores e designers.

Quer começar um Hacks/Hackers na sua cidade? Primeiro, verifique se há um grupo ativo listado aqui. Se não, o próximo passo é dizer ao Hacks/Hackers aqui que você estiver interessado. Os grupos mais bem sucedidos são aqueles com pelo menos dois co-organizadores, que combinam técnicas sólidas em desenvolvimento e jornalismo, e que têm bons contatos com organizações da mídia local e mundial. Cada capítulo depende da capacidade dos organizadores para encontrar e cultivar recursos locais e construir o apoio da comunidade.

Aqui estão algumas estratégias que funcionaram bem no estabelecimento do Hacks/Hackers Buenos Aires. Achamos que essas lições podem ser úteis para outras comunidades:

Comece com a sua própria rede

Convide as pessoas que você respeita profissionalmente e que talvez possam estar interessados em passar tempo nesta comunidade. O Twitter foi o nosso canal mais eficaz para a promoção.

Surpreenda as pessoas

Tire proveito de visitas internacionais para organizar reuniões. Inicialmente, foi mais fácil para trazer programadores de software. Trouxemos mais jornalistas quando pudemos atrair convidados internacionais, como jornalistas do New York Times e The Guardian.

Esteja aberto às ideias dos outros

Pergunte à comunidade por ideias de problemas que podem ser resolvidos em conjunto. Aqueles que se manifestam com ideias são propensos a voltar.

Experimente

Nós criamos um espaço para desenvolver e inovar que não existia na mídia tradicional. Fizemos muitos protótipos. Nós tivemos mais sorte com alguns protótipos do que com outros, mas todos nós aprendemos algo ao longo do caminho.

Encontre as "estrelas" da sua comunidade

Encontramos personalidades para fortalecer nossa presença na comunidade. O Hacks/Hackers é um espaço que permite que as pessoas realizem projetos pessoais e ao mesmo tempo dediquem tempo à comunidade.

Encontre lugares interessantes para conhecer

O grupo provavelmente não terá uma sede física, portanto realize reuniões em espaços de trabalho, bares, universidades e lugares de conferências.

Construa alguma coisa juntos

Organize hackatonas -- períodos de troca produtiva durante a qual jornalistas e programadores trabalham em conjunto. Nestes eventos, os jornalistas podem aprender a lidar com conjuntos de dados e pegar um pouco de programação básica. Escolha um problema para resolver, em seguida trabalhe em direção a uma solução em conjunto durante um determinado tempo e espaço. Às vezes, uma hackatona de dois dias funciona melhor para concluir um aplicativo. Traga desenvolvedores comprometidos com os projetos e certifique-se que um gerente de projeto possa ficar até o final.

Use software gratuito e licenças abertas

Todos contribuem um pouco e todos ganham um pouco também.

Faça uma meritocracia

Aqueles que trabalham mais duro e dedicam mais tempo têm mais a dizer do que os outros.

Mariano Blejman, bolsista do Knight International Journalism Fellowship, é um editor e empreendedor de mídia especializado em jornalismo de dados.

Foto cortesia do Hacks/Hackers Buenos Aires.