Dia Mundial da Liberdade de Imprensa chega ao fim honrando jornalista iraniano preso

porPriya Kumar
May 4, 2011 em Jornalismo básico

Ahmad Zeidabadi não tem autorização para escrever.

Mas o jornalista iraniano preso, recebeu o prêmio Unesco/Guillermo Cano de Liberdade de Imprensa Mundial numa cerimônia nessa terça-feira no Clube Nacional de Imprensa, pela sua dedicação à democracia, direitos humanos e liberdade de expressão.

O prêmio dado a Zeidabadi marca o encerramento de três dias de uma conferência realizada em Washington, D.C., comemorando o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa.

O caso de Zeidabadi serve como uma advertência austera de que milhões de cidadãos e jornalistas em todo o mundo correm o risco de retaliação por falarem o que bem entendem.

Em 2009, o governo iraniano prendeu e julgou Zeidabadi sob a alegação de tentar derrubar o estado. Após cumprir seis anos de sua sentença de prisão, Zeidabadi terá que enfrentar cinco anos de exílio interno e uma proibição por toda a sua vida de engajamento em atividades políticas, civis e jornalísticas.

Zeidabadi não pode comparecer à cerimônia, mas emitiu uma declaração através da Unesco, Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e a Cultura.

No desempenho da minha profissão eu não tinha nenhum outro meio que não fosse a minha caneta e o meu discurso,” Zeidabadi escreveu em sua declaração lida em voz alta durante a cerimônia. “Ao utilizar esses meios eu nunca fui além dos estreitos limites confinados pelas leis regulamentos do governo iraniano Mas, em violação de suas próprias leis e regulamentos, eles impuseram dor e sofrimento além da minha resistência – dor e sofrimento similares a de uma pessoa que é crucificada ou enterrada viva.”

A diretora geral da Unesco, Irina Bokova, disse que Zeidabadi “personifica o mesmo espírito de liberdade de Expressão."

Zeidabadi, que possui um doutorado em relações internacionais pela Universidade de Teerã, trabalhou para várias publicações iranianas e lecionou na área de ciências políticas. Ele foi detido e encarcerado inúmeras vezes.

Fundado em 1997 e nomeado em homenagem ao jornalista colombiano assassinado, o prêmio Guillermo Cano, honra o indivíduo, organização ou instituição por notável contribuição à liberdade de imprensa, em particular em situações hostis. A Cano and Ottoway family foundations assim como o JP/Politiken Newspaper LTD financiam o prêmio de US$25.000. Uma banca de jurados independentes formados por 12 jornalistas de todo o mundo selecionam o ganhador.

Continuando com o foco da conferência na mídia social, mensagens no YouTube para Zeidabadi de quatro ex-ganhadores do prêmio Cano intercalaram a apresentação. Em uma mensagem gravada, a secretária de Estado norte-americano Hillary Clinton, parabenizou Zeidabadi e comemorou os jornalistas.

“A sua ausência nos dá uma ocasião propícia para refletirmos sobre os princípios que ele representa”, disse ela. “Através das exposições de abusos de poder, desafiando pressupostos e fornecendo saídas construtivas para novas ideas e para dissidentes, jornalistas salvaguardas das nossas liberdades.”

Cerca de 700 pessoas se reuniram em Washington para a conferência, que contou com oradores de 28 países. Mais de uma dúzia de painéis debateram e exploraram a evolução do casamento entre as ferramentas da Internet e os princípios da imprensa.

Bokova, da Unesco resumiu os pontos principais da conferência:

  • Liberdade de expressão na era digital não pode florescer sem que haja uma estrutura jurídica forte e também por parte da sociedade.
  • Informação não é a mesma coisa que sabedoria. Alfabetização digital, educação e treinamento são vitais para uma qualidade de jornalismo imparcial e cidadãos habilitados.
  • Liberdade de expressão necessita de qualidade e diversidade e seus princípios devem ser respeitados fora e dentro da Internet.

Você pode saber mais sobre a cobertura continua do IJNet sobre o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa aqui.

A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco) organiza as comemorações pelo Dia Mundial da Liberdade de Imprensa para celebrar os princípios fundamentais da liberdade de imprensa; defender a imprensa dos ataques à sua independência e pagar tributo aos jornalistas que perderam suas vidas no cumprimento do dever. Para maiores informações sobre a conferência global de 2011 do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa em Washington, D.C., acesse www.wpfd2011.org (em inglês).