De Nova Déli a Nova Jersey: Um fluxo de trabalho indiano serve para modernizar uma redação americana

porMegan Wolf
Dec 20, 2017 em Jornalismo digital

Embora o sul de Nova Jersey esteja localizado dentro da área de mercado da Filadélfia, os residentes sofrem pela falta de acesso e cobertura de notícias locais. O SNJ Today foi construído sobre a ideia de que boas notícias sobre nossas comunidades não estavam sendo contadas. Em pouco menos de três anos, o SNJ Today se orgulha de fazer a única transmissão de notícias de televisão para o sul de Nova Jersey, além de notícias locais de rádio e TV.

A experiência da equipe é diversa. Vários de nós somos veteranos de uma filial recentemente fechada de uma pequena rede de notícias, enquanto outros eram um grupo original de editores de um pequeno jornal semanal da comunidade. Mas, como muitas salas de redação, temos vários funcionários que são novos no negócio. Nosso foco é apresentar notícias positivas sobre a nossa comunidade e analisar maneiras novas e inovadoras de fazer isso.

Nosso problema: como reunir todas as nossas diferentes especialidades jornalísticas (TV, rádio, impresso, digital) e trabalhar como uma redação e não 35 jornalistas individuais? Sabíamos que era um desafio: trabalhávamos em silos, de forma independente e ineficiente. Muitas vezes, um repórter da equipe do impresso e um da equipe de televisão apareceriam na mesma história ou evento, trabalhando individualmente ou as matérias criadas por repórteres nunca chegaram ao rádio. Sabíamos que havia uma maneira melhor e mais eficiente, mas não sabíamos como fazer essa mudança nem como fazer com que nossa equipe a abraçasse.

Aí entrou o bolsista Knight do ICFJ Nasr ul Hadi, com respostas às perguntas que nos fazíamos há meses.

Como simplificamos a nossa redação para que cada um de nossos canais --impresso, TV, rádio e digital-- compartilhe histórias relevantes e otimizadas para cada meio? Hadi nos apresentou o termo "omnimedia", o nome para o que esperávamos alcançar.

Ele também nos deu o roteiro para chegar lá.

O fluxo de notícias SPADE que Hadi está desenvolvendo leva todas as principais funções da redação, que fazíamos separadamente, e organiza em quatro etapas de trabalho ou "hubs". Cada "hub" é dividido em produtos ou "desks" (mesas).

  1. Começamos com Sourcing, a concepção e planejamento de uma matéria --avaliando, pesquisando e atribuindo uma ideia.

  2. A próxima etapa, ou "hub", como é conhecido no modelo SPADE, é Produção. Este é o lugar onde as ideias de conteúdo são trazidas à vida em várias editorias de especialidade, a fim de criar os elementos da matéria.

Com a ajuda de Nasr, adaptamos o modelo para atender nossos recursos. O SPADE é flexível e pode ser personalizado para salas de redação de todos os tamanhos. Por exemplo, pegamos a mesa de design, que é responsável pela criação de elementos visuais, gráficos, tickers e ilustrações, e combinamos com a mesa interativa, onde fica a responsabilidade pela criação de aplicativos de notícias e interativos. Já que ainda não criamos muitos desses elementos diariamente, fazia sentido combinar e agilizar.

Veja que isso significa que os designers de TV, impresso e web agora trabalharão na mesma mesa, aprendendo uns com os outros no trabalho, dando ao nosso público uma experiência mais homogênea e integrada em todas as plataformas.

  1. Os elementos criados no Hub de Produção são então levados para o Hub de Montagem. É aqui que nossos "especialistas em embalagens" para diferentes mídias captam os elementos que fazem sentido para seus respectivos meios e reorientam ou colocam todos juntos para publicação ou transmissão.

  2. O Hub de Distribuição torna o produto mais do que apenas uma outra matéria enviada para o noticiário. A equipe publica cada artigo em vários canais de mídia social e, em seguida, analisa seu compromisso para determinar se esta é uma matéria "única" ou se tem potencial para evoluir para uma campanha em torno de um tema específico.

Configurar nossa redação nesses centros e mesas tem sido um processo longo e introspectivo para a nossa empresa. Hadi e eu falamos semanalmente por meses, avaliando nossos funcionários para entender o que estão fazendo e o potencial que eles têm no futuro.

Como uma empresa mais nova, achei que definir os potenciais líderes da redação era fundamental, porque nesse ponto havia muitos trabalhadores com pouca ou nenhuma supervisão e isso fazia com que tarefas simples levassem mais tempo do que deveriam.

A partir daí, criamos um novo organograma: enviando funcionários para as mesas em que eles tinham mais habilidades ou estavam trabalhando mais.

Ao passar por esse processo, Hadi nos ajudou a definir as posições que nos faltavam. Por exemplo, pegávamos de leve no Hub de Distribuição, porque ninguém estava focado nessas tarefas, em particular os analytics. Embora sabíamos da importância dos dados de desempenho, não tínhamos uma única pessoa responsável por interpretá-los e utilizá-los. Com a ajuda de Hadi e o plano de redação SPADE, dedicamos alguém para se concentrar nos analytics da redação.

Agora que configuramos os hubs e atribuímos funcionários às suas respectivas mesas, é hora de implementar as mudanças em nossa sala de redação. Nós estabelecemos um plano de como informar a equipe. Hadi nos advertiu para estarmos preparados para o fracasso. As transições são difíceis, e alguns funcionários podem não gostar de mudar. A chave é a preparação, comunicação e garantir que os funcionários vejam as possibilidades positivas que essas mudanças podem trazer.

Megan Wolf é gerente de notícias do SNJ Today.

Nasr ul Hadi trabalha com organizações de mídia na Índia para melhorar o acesso a informações de qualidade e jornalismo, desenvolvendo e ampliando o uso de novas tecnologias e melhores práticas digitais. Saiba mais sobre seu trabalho como bolsista Knight do ICFJ aqui.

Foto cortesia do SNJ Today