Conselhos para jovens jornalistas: Aprenda multimídia e línguas

por James Breiner
Nov 19, 2012 em Diversos

A mídia tradicional na Espanha, como a nos Estados Unidos, obteve quedas devastadoras de rendimento e tem cortado suas equipes impiedosamente.

Em entrevista com o site espanhol LaInformacion.com, Juan Antonio Giner, co-fundador da Innovation Media Consulting, compartilhou suas opiniões duras sobre como jovens jornalistas e meios de comunicação tradicionais devem enfrentar o desafio da mídia digital. Leia alguns trechos traduzidos da entrevista.

Que conselho daria para jovens jornalistas que querem ter um ganho decente praticando seu ofício escolhido?

Giner: O mercado de trabalho é limitado e por isso nunca haverá trabalho para todos em todos os lugares e em todos os meios de comunicação. A competição hoje é feroz e isso é uma coisa boa. Os únicos que irão encontrar trabalho são aqueles que são melhor treinados, que adquiriram mais conhecimento, que dominam a narrativa multimídia, que falam mais de uma língua, e, acima de tudo, que querem ganhar o mundo. Esta é uma profissão para pessoas com paixão, força, que são destemidas, implacáveis.

Jornalistas devem contar a seus leitores sobre erros que seus patrões fizeram ou deveriam ser leais ao seu veículo de notícias?

Giner: Jornalistas estão sofrendo exageradamente em muitas empresas dirigidas por pessoas verdadeiramente incompetentes: pessoas que imaginavam ser brilhanter durante os anos de prosperidade e que agora não têm ideias diferentes além cortar e cortar, sem perceber que, durante uma crise, você tem que investir. Os jornalistas devem ser leais à sua organização, é claro, mas acima de tudo devem ser leal aos seus leitores. Eu acho que, em muitos casos, eles têm o direito e a obrigação de denunciar publicamente esses erros horríveis.

Conteúdo gratuito online e a crise de publicidade atingiram as organizações de jornal em cheio. A PRISA é o mais recente exemplo, tendo demitido 2.500 funcionários de seus meios de comunicação em todo o mundo e sofrendo com uma dívida de 3,5 bilhões de euros. Qual é a melhor estratégia para sair desse brejo?

Giner: A melhor estratégia sempre foi a de investir em talento jornalístico. Você não pode fazer chocolate sem cacau. A indústria editorial sempre teve a saúde fraca. Nós sempre estivemos em crise. Gutenberg acabou indo à falência. Mas nós somos uma raça indomável, por isso, apesar de estarmos em vias de extinção, o jornalismo verdadeiro nunca irá desaparecer. Os meios e as técnicas podem mudar, mas não o essencial. Os que sobrevivem sempre são aqueles que se adaptam às novas tendências: os inovadores.

Este artigo foi publicado originalmente no blog News Entrepreneurs e traduzido ao português para a IJNet com permissão.

James Breiner é co-diretor do Global Business Journalism Program na Universidade Tsinghua e ex-bolsista do programa Knight International Journalism Fellow, tendo lançado e dirigido o Centro de Periodismo Digital na Universidade de Guadalajara. Ele é bilíngue em espanhol e inglês e consultor em jornalismo online e liderança.

Foto usada com licença CC via Flickr por noodlepie