Como um projeto de rádio explicou economia global e engajou o público

por Jessica Weiss
Jan 17, 2014 em Jornalismo multimídia

Cobrir a economia global parece ser uma tarefa complicada, mas um recente projeto de um programa da NPR (Rádio Pública Nacional) dos Estados Unidos, o Planet Money mostra que não precisa ser tão difícil.

"Muitas pessoas pensam: economia global é complicado demais e não consigo entender isso", disse a economista Pietra Rivoli, assessora do “Planet Money Makes a T-Shirt” (Planet Money faz uma camiseta), que leva o público por cada passo no processo de fabricar uma camiseta. "Mas se você seguir este produto muito simples, você tem uma grande ideia sobre como tudo funciona."

O projeto multimídia e multiplataforma do Planet Money mostra as pessoas que cultivam o algodão, fiam o linho, cortam e costuram o tecido. A reportagem entra nas fábricas e viaja das fábricas de camisetas em Bangladesh e na Colômbia aos portos nos Estados Unidos. O projeto mergulha profundamente na vida dos personagens e suas histórias, ensinando ao público sobre comércio, tarifas e questões trabalhistas ao longo do caminho.

E faz isso através de uma série de matérias, incluindo áudio, vídeo, texto, gráficos e ilustrações.

"O problema é: como levar as pessoas para assistir a um vídeo, ler um texto e, em seguida, assistir a outro vídeo", disse Brian Boyer, produtor -coordenador do projeto, em uma entrevista com o PBS MediaShift. "Como é que você dá às pessoas liberdade de escolha... fornecendo pontos para que entendam onde estão no processo e não se sintam perdidos?"

Desde o início, o modelo da matéria esteve enraizado no engajamento público e interatividade. Em abril, o Planet Money lançou uma campanha no site de crowdfunding Kickstarter para buscar apoio financeiro para o projeto. Quem doou US$$25 ou mais receberá camisetas do Planet Money produzidas como parte da matéria. Mais de 20.000 contribuintes deram mais de US$590.000, mais de 10 vezes do montante que o programa buscava.

Alex Blumberg, editor-colaborador do Planet Money, disse ao 10,000 Words que ele atribui o sucesso da campanha a três coisas: seguidores dedicados (o podcast do Planet Money tem cerca de 200.000 ouvintes); a plataforma de áudio, que cria uma ligação íntima entre os ouvintes e os apresentadores; e o produto, ou "recompensa", que foi oferecido como parte da campanha.

O apoio financeiro robusto permitiu ao Planet Money fazer reportagens significativas e produção em parceria com a nova equipe de aplicativos de notícias e multimídia multimedia da NPR, da qual Boyer é editor. A parte de vídeo foi sempre o que Boyer chama de "pulso" da versão online da matéria, com texto e gráficos para complementar a reportagem.

Ele diisse ao PBS MediaShift: "Queríamos usar cada meio que tivemos à nossa disposição para fazer o que ele pode melhor. Vamos usar o vídeo para contar a parte da história em que o vídeo é realmente envolvente. Não vamos encher o texto da história no vídeo. Vamos usar um gráfico para avançar a história."

Apesar dessa variedade de recursos, "a narrativa permanece linear", escreveu Sam Kirkland, bolsista de mídia digital do Poynter: "Em nenhum momento o leitor enfrenta escolhas difíceis sobre a possibilidade de continuar a leitura ou fazer uma pausa para o vídeo no meio do texto. A estrutura do documentário interativo limita propositalmente o número de opções de indução de ansiedade, enquanto ainda dá aos leitores controle sobre o ritmo, Blumberg disse ao Poynter. Vídeos não começam automaticamente, mas são colocados naturalmente no topo de cada capítulo, permitindo que os leitores se desloquem do vídeo para os texto/gráficos e de volta ao vídeo novamente."

E apesar da duração dos vídeos, até seis minutos e meio, considerada muito tempo para a Web, Blumberg disse ao Poynter que quase 60 por cento das vídeo são concluídos.

"Para quem acha que 'o vídeo na Web não pode ter mais do que dois minutos e meio', eu digo que está errado", disse Blumberg ao Poynter. "Um conteúdo bom vai gerar [bons] resultados."

No final do processo, o mesmo público que financiou a história foi aproveitado para ajudar a comercializá-a. O programa entrou em contato com seus colaboradores no Kickstarter e pediu para enviar fotos de si mesmos usando seu camiseta do Planet Money. Usando as redes sociais, os leitores compartilharam fotos de si mesmos através do Twitter e Instagram, tornando-se parte do legado da história.

"Eu acho que isso definitivamente aumentou a consciência do nosso produto ", disse Boyer ao MediaShift. "Nós tivemos uma equipe de marketing integrada. Tivemos um grupo de pessoas que estavam interessadas ​​em promover o projeto que ajudaram."

Imagem do site do vídeo no capítulo "People" (Gente) do projeto