Como El Meme construiu uma comunidade online e está fazendo dinheiro com isso

por Ashley Nguyen
Sep 1, 2015 em Empreendedorismo de mídia

Se você quer saber o que os millennials argentinos acham engraçado, interessante ou cativante, visitar elmeme.me é um bom lugar para começar.

No site, argentinos criativos que se inscrevem para uma conta gratuita podem postar suas opiniões políticas, listas de GIF ou vídeos de música favoritos. Com mais de 6.429 usuários, El Meme é uma crescente "comunidade de produtores de conteúdo", disse o cofundador Santiago Sarceda.

Uma experiência de mídia digital criada em 2013, El Meme é uma plataforma aberta para qualquer um mostrar seu trabalho. Há um conjunto de orientações comunitárias para os usuários seguirem e, ocasionalmente, os editores do El Meme escrevem para os usuários com dicas sobre como melhorar seus artigos. Na maioria das vezes, porém, as pessoas podem postar livremente.

Alguns dos usuários são argentinos apaixonados por cinema, então eles escrevem críticas de filmes e televisão. Outros são aficcionados por comida, então postam receitas e recomendam restaurantes na Argentina. E também, há usuários que são jornalistas e blogueiros, que às vezes escrevem sobre notícias.

Então, se El Meme hospeda conteúdo escrito por jornalistas e possui editores, é um site de notícias? Sim e não.

"[El Meme é] não é apenas um site de jornalismo", disse Sarceda. "Nós apresentamos El Meme como uma plataforma de conteúdo crowdsourced."

Santiago e a cofundadora Mercedes Reina não estão fazendo reportagens investigativas ou promovendo o jornalismo cidadão. Estão construindo uma comunidade que é exatamente quem os anunciantes argentinos querem chegar: a geração do milênio que é apaixonada por arte, cinema, comida, bebida e política.

Veja como eles estão fazendo isso e como estão tentando incorporar jornalismo ao longo do caminho:

Encontrando um financiamento inicial e orientação

Mercedes passou 15 anos como designer em mídias e agências de publicidade diferentes. E antes de começar El Meme, Santiago dedicou sua carreira para a construção de sites e comunidades online. Embora ambos tivessem uma visão privilegiada do mundo da publicidade na Argentina e eram familiarizados com a forma de cultivar seguidores online, os cofundadores do El Meme sabiam pouco sobre o funcionamento de um negócio.

Eles concorreram a um lugar no primeiro programa acelerador de mídia da América Latina,  Media Factory. A iniciativa do bolsista Knight do ICFJ, Mariano Blejman, a Media Factory prometeu aos candidatos um pacote atraente: investimento de US$75.000 para as startups em troca de uma participação de 17 por cento, fornecendo escritório em Buenos Aires através do NXTP Labs por quatro meses e colocando os empreendedores face a face com uma série de mentores de mídia digital.

A Media Factory escolheu El Meme -- juntamente com o GKillCity do Equador e El Cambur da Venezuela -- entre 120 candidatos. O programa deu a Santiago e Mercedes acesso a líderes experientes em mídia digital, incluindo Michael McCutcheon, que ajudou a conduzir a estratégia de conteúdo de do Mic; Ross Settles, consultor sênior para mídia digital do Fundo de Investimento de Desenvolvimento doa Mídia (MDIF, em inglês); e o consultor de jornalismo empreendedor James Breiner.

Os três mentores deram a Mercedes e Santiago uma vasta gama de conselhos, de como promover conteúdo em mídia social a formas como poderiam rentabilizar o conteúdo. Falar com pessoas que tinham origens jornalísticas também ensinou aos cofundadores do El Meme uma lição crucial que ajuda no negócio também.

"Tente ouvir e fazer as perguntas certas", disse Mercedes. "Aprendemos com os jornalistas a fazer as perguntas certas."

Conteúdo é o principal -- e o que atrai anunciantes

A comunidade de usuários do El Meme continua sendo a espinha dorsal da plataforma. O conteúdo que eles produzem alcança uma público grande: De abril de 2015 a junho 2015 apenas, El Meme atraiu mais de 2 milhões de usuários únicos. Até agora, os anunciantes na Argentina estão interessados ​​no tamanho e demográfica da audiência do El Meme.

Santiago e Mercedes testaram as águas com conteúdo de marca no mundo da publicidade na Argentina e alcançaram sucesso de uma forma não muito experimentada por outros canais online na América Latina: El Meme colabora com os anunciantes para gerar campanhas que se misturam em seu site.

Por exemplo, Cynar Argentina, um popular licor amargo italiano feita a partir de 13 ervas e plantas, incluindo alcachofras, entrou em contato com El Meme sobre a criação de conteúdo para promover a bebida. Trabalhando com Cynar, El Meme desenvolveu artigos da marca, tais como "8 bebidas ideais para incorporar mais frutas e vegetais na sua dieta", e mostrou a sua audiência como fazer uma batida perfeita usando uma técnica de rolo interativa.

"Percebemos que as marcas precisam de conteúdo e agências de mídia muitas vezes não têm o poder de equipe para produzir conteúdo todos os dias", disse Santiago, observando que o ritmo da mídia social aumenta a demanda. "Eles precisam olhar para fora da empresa ou agência para alguém que produza este tipo de conteúdo todos os dias."

Usando o conselho de seus mentores Media Factory, Marcedes e Santiago foram capazes de construir a partir de sua experiência com  Cynar. Eles começaram a expandir sua clientela, que agora inclui marcas maiores, como 20th Century Fox, Chevrolet e o site de e-commerce Avenida.com. Dependendo da marca, o cronograma e o número de artigo produzidos, El Meme pode gerar de US$3.000 a US$30.000 por campanha.

Observando que o ecossistema de publicidade nativa na América Latina ainda está nos estágios iniciais, McCutcheon, o mentor anteriormente no Mic, disse que a iniciativa de conteúdo de marca no El Meme vai oferecer-lhes uma vantagem competitiva no futuro próximo.

"Embora possa ser difícil ser uma das primeiras empresas desse tipo [na América Latina], isso também é uma vantagem", disse McCutcheon. "Eles podem crescer a uma escala que torna a concorrência muito mais difícil para os seus [futuros] concorrentes."

Concretizando o potencial em sua plataforma pré-existente

Mercedes e Santiago estão tentando adicionar mais histórias jornalísticas para o site. Eles fornecem orientações comunitárias para seus usuários registrados e acrescentaram um editor para supervisionar o conteúdo do site e fornecer feedback aos usuários. O editor também controla quais artigos são promovidos para a página inicial e seção de frente. Uma plataforma de e-learning para pessoas interessadas em fazer crescer suas próprias comunidades online está atualmente em fase beta.

El Meme também trabalha com cerca de 10 freelancers, que são remunerados para produzir artigos de notícias. Em antecipação das eleições locais e nacionais em toda a Argentina, El Meme pediu a jornalistas freelance para focar nas campanhas políticas e as questões eleitorais.

"Tentamos equilibrar todos os tipos de conteúdo para que as pessoas não se cansem com apenas entretenimento e também tenham artigos de jornalismo de verdade", disse Santiago.

Enquanto Santiago e Mercedes se preparam para uma possível expansão do El Meme para o México, os cofundadores também estão pensando no futuro dos jornalistas na Argentina. Eles foram visitar universidades para buscar jornalistas jovens que precisam testar as águas com os leitores.

"Pensamos em El Meme como uma ferramenta", explicou Mercedes. "[Os alunos] têm conhecimento teórico e podem começar um blog, mas não podem se testar com o público", o que El Meme pode proporcionar.

Imagem principal cortesia de El Meme