Como aproveitar o poder da telefonia móvel para o jornalismo

porBen Colmery
Oct 30, 2012 em Diversos

A tecnologia de voz tem um tremendo potencial para envolver os cidadãos na notícia.

Essa foi a ideia principal por trás do encontro "Turn Up the Volume: Bringing Voice to Mobile Citizen Journalism" (em tradução livre, "Aumentando o Volume: Dando Voz ao Jornalismo Móvel de Cidadão"), organizado na Itália pelo Centro Internacional para Jornalistas no Centro Bellagio da Fundação Rockefeller. Reunimos um grupo diversificado de jornalistas, técnicos e empresários de mídia de todo o mundo para buscar os melhores modelos de tecnologia de voz para envolver os cidadãos no jornalismo e identificar as melhorias necessárias para a tecnologia.

A ideia veio do projeto CGNet na Índia do bolsista Shubhranshu Choudhary do Knight International Journalism Fellowship. Swara mostrou como os telefones móveis podem permitir que pessoas que vivem fora dos centros populacionais compartilhem histórias e preocupações que são muitas vezes ausentes dos noticiários tradicionais. Swara usa tecnologia Interactive Voice Response (IVR), o que significa que as pessoas podem simplesmente ligar para um número de telefone, pressionar "1" para deixar reportagens e pressionar "2" para ouvir os reportagens, tornando possível duas vias de distribuição de notícias. As reportagens de voz são, então, avaliadas por moderadores e disponibilizadas para mídia e funcionários públicos através de um site.

Para essas pessoas isoladas, a tecnologia de voz muda suas vidas: Por depender da palavra falada, as pessoas não precisam saber ler ou escrever, para contribuir conteúdo. Isto é especialmente importante em lugares como a Índia, onde a mídia não produz conteúdo nas línguas rurais e tribais faladas por muitos. Diferentemente do texto, a voz é uma linguagem agnóstica. E a maioria das pessoas no mundo tem acesso a um telefone celular. Isso quer dizer que os telefones móveis dão a mais pessoas a oportunidade de contribuir conteúdo.

Para envolver as pessoas desconectadas com o jornalismo tradicional, a tecnologia móvel com base na voz é o melhor caminho. Mas, apesar de todo o seu potencial, existem obstáculos técnicos que impedem jornalistas e organizações de notícias de usar esta tecnologia com mais frequência.

Juntamos duas dúzias de especialistas para descobrir como aprimorar o engajamento da tecnologia móvel. Os participantes vieram de uma grande variedade de origens e regiões, entre eles: Soud Hyder, gerente de projeto de mídia social para Al Jazeera em Qatar; Siok Sian Pek- Dorji, diretor-executivo do Centro de Mídia e Democracia do Butão; Umar Saif, presidente do Conselho de Tecnologia de Informações Punjab no Paquistão; e Izabella Moi, coordenadora e editora do blog Mural da Folha de São Paulo.

O grupo identificou três empreendimentos que poderiam ajudar a aproveitar todo o potencial da tecnologia móvel de voz para o envolvimento dos cidadãos. Eles são:

Plataformas que se comunicam entre si são mais fáceis de usar

Já existem aplicativos de voz, como o Freedom Fone e Swara, mas muitas vezes não são fáceis de implementar (por exemplo, muitos são baseados em Linux). Além do mais, os aplicativos de voz, e muitos programas semelhantes sem recurso de voz, funcionam em silos de tecnologia que não podem se comunicar um outro. Isso é bom se você quiser usar apenas voz ou apenas SMS, mas e se sua estação de rádio quiser usar voz, SMS, mapeamento e mídias sociais em uma suíte interoperável? A solução é ajustar as plataformas existentes, não necessariamente construir novas.

Dados e análises para voz

E se você quiser categorizar uma reportagem de voz por tópico? Ou localizar geograficamente uma reportagem de voz em um mapa? Ou autotranscrever e publicar no Twitter? Ou analisar os dados demográficos ou tópicos nas reportagens agregados de voz? Pense no poder de adicionar analytics -- a habilidade de detectar padrões significativos nos dados -- para voz e do impacto que pode ter para a compreensão das populações mais dependentes da voz.

Colaboração entre pioneiros da tecnologia móvel de voz

Muitas pessoas do grupo trabalharam juntas durante anos sem um encontro em pessoa. Essa reunião as conectaram com redes de novatos na tecnologia móvel de voz. Desenvolvemos planos de ação para enfrentar alguns dos desafios identificados na reunião. Eles incluem quebrar o código para adicionar o Google Analytics a plataformas de IVR, geolocalização da voz e adição a mapas e FrontlineSMS, criar uma nova ferramenta para envolver os cidadãos em tarefas editoriais que os jornalistas muitas vezes não têm tempo para fazer, como a verificação de fotos e transcrição de entrevista por pagamento e experimentos com voz no Brasil, Butão e Mali. Fique atento.

Foi incrível reunir um seleto grupo de pioneiros e inovadores e vê-los lançar uma ampla base para envolver novas vozes no jornalismo através da tecnologia móvel. Nosso próximo objetivo é fazer essa rede crescer e ajudar outros a adotarem tecnologias de voz para envolver as pessoas que ficam na periferia da notícia.

Foto cortesia do Knight International Journalism Fellowships