Cinco dicas para controlar 'trolls'

porMargaret Looney
Aug 27, 2013 em Diversos

Moderar a seção de comentários de um artigo pode ser uma tarefa desgastante para um coordenador de comunidade.

E com redações grandes, como a NPR, CNN e The Atlantic, utilizando serviços de terceiros do tipo Disqus, a seção de comentários pode se tornar um terreno fértil para os irritantes trolls da Internet. Mas existem maneiras de aliviar a carga.

Em um recente painel da conferência da Association for Education in Journalism and Mass Communication, Ro Gupta, vice-presidente de desenvolvimento de negócios da Disqus, listou as cinco "condições principais para o trolling", e ofereceu dicas de como evitá-los:

1. Falta de diretrizes claras e normas

"Você ficaria surpreso com o número de sites, agências de notícias, especialmente organizaçeõs de notícias profissionais, que não têm uma comunicação clara de suas diretrizes e normas", disse Gupta.

Delinear claramente o tipo de discurso que pretende apresentar em seu site, como faz a NPR, pode apagar comentários de trolls, em seguida, citar as diretrizes se as pessoas ficarem chateadas que seus comentários impróprios foram removidos. "Se você pode apontar para algo que afirmou inicialmente, isso às vezes também apazigua a situação", disse ele.

2. Falta da presença do coordenador da comunidade

Gupta não está apenas referindo-se a alguém para moderar, aprovar ou excluir comentários, mas o feedback do autor, colaborador convidado ou empresas mencionadas no artigo.

"Ter essa presença de uma forma consistente...se correlaciona com comunidades bem-sucedidas". Gupta reconheceu esta etapa como um desafio, citando a aversão de jornalistas ao "que está lá embaixo nos comentários", bem como as questões de fluxo de trabalho e o tempo gasto em ficar verdadeiramente comprometido com o público, mas se o gestor da comunidade não parece se importar, os agressores online não hesitarão em atacar.

3. Falta de fortalecimento da comunidade

Obtenha alguns leitores fazendo comentários sinceros do seu lado e eles vão fazer parte da luta por você, como "ajudar a fazer cumprir as normas, dizer às pessoas quando estão fora da linha ou quando as colocações não são bem-vindas."

"Uma vez que o público vê que você se importa o suficiente para ser consistente na conversa, uma voz constante de autoridade, você vai começar a ver uma espécie de empodeiramento do cidadão acontecendo", disse ele. "Eles muitas vezes podem fazer parte do trabalho para você em termos de lutar contra trolls, e num ponto mais positivo, fazer com que [a seção de comentários] seja um ambiente mais acolhedor."

Gupta observou que gestores da comunidade, à vezes, dão direitos de moderação para contribuintes regulares que provam ser apaixonados, responsáveis e em sintonia com o tipo de conversa que o site quer encorajar.

4. Ordenar os comentários em ordem cronológica inversa, em vez de por popularidade ou qualidade

Inspirando-se um pouco no Reddit, o Disqus monitora os sinais de votação para ver que comentários devem ir para o alto da página. Manter sempre o comentário mais recente no topo oferece a trolls uma garantia de 15 minutos de fama, mesmo por um comentário de baixa qualidade "ao invés de incentivar uma contribuição realmente bem pensada que seja pertinente ao tema."

5. Tom sarcástico no conteúdo

Sarcasmo gera sarcasmo. "Se [a publicação] é escrita de uma forma muito provocante e polêmica, então, naturalmente, as pessoas vão reagir."

Gupta disse que não acha que o tom polêmico de um escritor seja uma boa desculpa para um ataque de trolls, mas isso significa que o site deve esperar e se preparar para algo correspondente. Quando um repórter no Gawker, um site conhecido pelo seu estilo sarcástico, queixou-se que comentários cruéis levaram às lágrimas alguns repórteres, Gupta respondeu: "Bem, a pergunta natural é "quantos autores fizeram pessoas chorar ao longo dos anos?"

"Às vezes você tem embarcar nessa ou pelo menos aceitar o que o seu tom de voz vai gerar em termos do as pessoas que vão responder", disse ele.

Margaret Looney, assistente editorial da IJNet, escreve sobre as últimas tendências de mídia, ferramentas de reportagem e recursos de jornalismo.

Imagem sob licença CC via Cali4beach no Flickr