7 dicas de orçamento para jornalistas freelance

porClothilde Goujard
Mar 8, 2018 em Freelance
Cofrinho

Dinheiro pode ser um tópico incômodo para conversar com colegas jornalistas. No entanto, para jornalistas freelance, que não têm renda fixa, saber como planejar uma boa situação financeira é necessário para continuar a seguir na carreira.

A IJNet perguntou a duas freelancers sobre planejamento financeiro e suas dicas para trabalhar com um orçamento de freelancer.

Descubra suas despesas gerais para calcular seu salário mínimo

Quando Katie Jensen, produtora e jornalista canadense de podcasts, começou a fazer freelas há um ano, ela calculou suas despesas mensais para descobrir a renda mínima que precisava fazer para sobreviver.

Depois de ter em conta suas despesas fixas (como aluguel, pagamentos de empréstimos estudantis e taxas de hospedagem de site) ela calculou quantos episódios e matérias ela precisava produzir a cada mês.

Taxas de freelance nunca são padrão, e o pagamento pode ser por palavra ou uma taxa fixa. No entanto, é útil calcular o pagamento médio esperado por matéria ou episódio para planejar de acordo.

Didem Tali, jornalista freelancer internacional atualmente com sede no Camboja, também registra suas despesas fixas, como aluguel, alimentação e seguro de saúde. Ela usa esses custos para preparar seu cronograma de trabalho freelance para o mês.

Use ferramentas para registrar seus projetos e pagamentos

Muitos jornalistas confiam no Google Sheets ou Excel.

“Sou um geek do Excel!", disse Didem. "Tenho um arquivo do Excel para quase tudo, pessoal e profissional. No jornalismo freelance, estes incluem orçamentos, ganhos, lançamentos ou matérias enviadas. Quantificar algo é a maneira mais fácil de melhorar."

Katie também usa o WaveApps, um software de contabilidade gratuito, que ajuda a enviar faturas e rastrear pagamentos. Outro aplicativo de contabilidade popular é o FreshBooks.

A autora do livro "The Write Life", Alicia de Los Reyes, também disponibilizou um modelo de Google Sheet para registrar sugestões de pauta. 

Tenha uma rede de segurança para pagamentos em atraso, dias de doença e problemas inesperados

O pagamento de matérias pode chegar atrasado, o que Didem disse que agora está se tornando a norma. "É absolutamente imperativo ter algum dinheiro guardado", disse ela. "Quando eu comecei pela primeira vez em freelance, eu tinha algumas economias da minha carreira anterior. Sem isso, poderia ter sido bastante estressante construir uma carreira."

Katie é cuidadosa em registrar seus projetos e se certificar de ter sempre um trabalho alinhado.

Ter uma rede de segurança também pode ser importante em caso de doença inesperada ou outros problemas. Por exemplo, o apartamento de Didem foi roubado em 2017 e levaram seus eletrônicos.

"Não tenho ideia do que teria feito se não tivesse economias para substituí-los", disse ela. "Eu não posso nem ganhar dinheiro sem um laptop."

Não gaste demais com despesas sociais

Katie disse que é muito cuidadosa em não gastar demais com comida ou álcool quando ela socializa com outros jornalistas e amigos depois de trabalhar.

"Eu vou para menos 'happy hours' e eventos sociais para economizar", disse Katie. "Não vou gastar US$60 em uma conta de bar uma ou duas vezes por semana; gasto isso talvez uma vez por mês."

Aplicativos de orçamento como Mint e Wally podem ajudar a rastrear despesas e receitas.

Planeje viagens de reportagem cuidadosamente 

Viagens podem ser uma despesa importante para os jornalistas. Didem muitas vezes tenta garantir subsídios antes de viajar para uma matéria. Quando não tem um apoio, ela pesa os resultados financeiros da viagem.

"Se os ganhos justificarem significativamente a viagem, eu posso ir", disse ela. "Caso contrário, eu não vou."

Encontre opções gratuitas de treinamento

Com um orçamento limitado, Katie tenta encontrar opções gratuitas para continuar aprendendo e se atualizando. Ela assiste a muitos vídeos online e é uma assídua frequentadora da biblioteca local.

"Você ficaria realmente surpreso com a quantidade de informações que pode obter em uma biblioteca", disse ela.

Há também muitos recursos gratuitos online se você sabe onde procurar. O YouTube tem muitos vídeos excelentes para treinamento técnico sobre equipamentos e software, e vários meios de comunicação também possuem sites de treinamento, como o NPR training e BBC Academy.

Class Central também lista cursos online gratuitos relacionados a jornalismo. 

Encontre outras fontes de renda

Didem disse que, embora muitas pessoas passem por dificuldades financeiras como jornalistas freelance, falar sobre dinheiro é um tabu. Tanto ela quanto Katie têm empregos secundários para obter uma renda mais estável. Didem trabalha em comunicações corporativas, branding e estratégia e também faz trabalhos de edição e videografia. Katie faz anotações para universitários surdos e com deficiência auditiva em Toronto, além de já ter feito pesquisas acadêmicas e edição.

No entanto, Didem disse que ter um outro trabalho nem sempre é aceito no jornalismo. "Sempre fui bastante aberta que o jornalismo não é minha única fonte de renda e tive pessoas me menosprezando claramente", disse ela.

Mas ela afirmou que não se preocupar em como pagar o aluguel faz dela uma jornalista melhor, tirando esse peso dos seus ombros.

"[Esses trabalhos] me estimulam a pensar fora da caixa, me dão ideias, evitam o desgaste jornalístico e fornecem uma renda regular", disse ela. "Fazer trabalhos não jornalísticos não significa fracassar no jornalismo."

Se quiser saber mais, o Rory Peck Trust tem bons recursos sobre como fazer um orçamento de freelancer.


Imagem sob licença CC Pixabay via kschneider2991