Content supported by

12 ideias de geração de receitas para organizações de notícias digitais

porJames Breiner
Nov 21, 2016 em Empreendedorismo de mídia

Tanta inovação está ocorrendo no lado da receita de novas mídias digitais que é hora de rever, atualizar e agregar.

Vamos começar com o básico.

1. Criar comunidade

Uma audiência é apenas um grupo de observadores. Uma comunidade compartilha valores e um profundo interesse em um tópico ou área geográfica. Muitas vezes tem um viés para a ação. É aí que entra o valor.

Como Michael Skoler sugeriu há alguns anos no Nieman Reports, quando o pensamento de paywall dá o lugar para o pensamento de membros, o modelo de negócios foca em comunidade e não audiência.

2. Membros, não paywalls

O Texas Tribune, uma organização de notícias digital que cobre governo e educação, encarna essa maneira de pensar. Oferece seis níveis de adesão e uma escala de benefícios, de US$10 a US$500 por ano.

Pense nisso. Ao oferecer não apenas um produto, mas acesso, privilégios e oportunidades para interagir com a comunidade, o Texas Tribune é capaz de cobrar muito mais por uma adesão do que poderia receber por uma assinatura.

3. Patrocínios, não propagandas

O Texas Tribune oferece três níveis de patrocínio que variam de US$1.000 a US$5.000 por ano. Benefícios de patrocínio incluem mais do que apenas a oportunidade de colocar uma mensagem no site. Incluem um relacionamento mais íntimo com a marca nos eventos.

Leo Prieto, cofundador da BetaZeta no Chile, que tem uma audiência mensal de 10 milhões de usuários, está se afastando da publicidade tradicional para patrocínios, que agora representam 40 por cento de suas receitas.

4. Marketing de conteúdo e serviços editoriais

A BetaZeta, mencionada acima, está gerando cerca de 10 por cento de sua receita com o marketing de conteúdo, o que significa criar conteúdo editorial para marcas usarem em seus próprios sites. É como o serviço de uma agência de publicidade ou relações públicas.

5. Serviços de consultoria

Uma das mídias mais inovadoras nesta área é Mi Voz do Chile, uma rede de 16 sites de notícias locais com dezenas de clientes. Gera mais de US$2 milhões por ano e é impulsionada pelo conteúdo gerado por cerca de 10.000 repórteres cidadãos.

6. Venda direta de produtos 

Muitos editores da web estão percebendo que podem oferecer produtos, em vez de ser apenas um veículo de publicidade.

El Faro, um site de jornalismo investigativo em El Salvador, produziu vários livros baseados em suas investigações e os oferece para venda em seu site, junto com outros livros, música e produtos artísticos.

Serviços de pagamento online como PayPal, Google Wallet e Amazon podem simplificar o processo de aceitação de pagamento por cartão de crédito.

7. Eventos

Mesmo que a comunidade que você constrói esteja online, seus membros ainda anseiam por contato presencial. As pessoas querem se conectar e conhecer outras pessoas que compartilham os mesmos interesses e valores. Os patrocinadores que compartilham esses valores e querem se conectar com essa comunidade estão dispostos a pagar pelo direito de serem visíveis nesses eventos.

Há pelo menos quatro maneiras de ganhar dinheiro com eventos:

  • Patrocínios
  • Bilhetes
  • Estandes (display)
  • Vendas de produtos (publicações, assinaturas, produtos de marca)

8. Repacotar e vender dados

Os usuários da internet estão dispostos a pagar um valor para dados organizados para eles em um formato conveniente e pesquisável.

O Texas Tribune tem sido um inovador em dados. Gera a maior parte de seu tráfego não de seu jornalismo de investigação, mas de suas bases de dados sobre questões como salários de funcionários do estado, gastos com educação pública, uso de água, presos e outros.

9. Fundações e ONGs

Muitas startups de mídia estão recebendo a maioria de suas receitas de doações, o que não é uma posição sustentável. Se um grande doador sofre uma desvalorização série de seus ativos ou decide mudar de direção, a organização de mídia que não se diversificou pode sofrer grandes dificuldades.

10. Empreendedores emergentes

Sabemos sobre os US$250 milhões que o fundador da Amazon, Jeff Bezos, gastou para comprar o Washington Post. E sabemos sobre o lançamento de US$50 milhões da First Look Media do fundador da eBay, Pierre Omidyar.

Mas abaixo desse nível de doação, há também muito dinheiro procurando maneiras de contrabalancear a perda do jornalismo investigativo em sites de notícias regionais e locais.

11. Anúncios em tempo real 

O Mashable reportou recentemente sobre como as organizações de notícias estão gerando receita de mídias sociais, incluindo anúncios em tempo real. Widgets de anúncios em tempo real permitem que um anunciante atualize as informações em um site de suas contas de Twitter ou do e-mail para promover promoções e cupons.

12. Vídeo

Chumel Torres é um blogueiro de vídeo cuja visão satírica sobre política e jornalismo conseguiu atrair 483.000 assinantes para o seu canal no YouTube em apenas um ano.

Ele fez um negócio dos patrocinadores que atrai para seu programa semanal, El Pulso de la República. O YouTube tem várias maneiras de gerar dinheiro para seus parceiros de vídeo, descritos aqui.

Este artigo é uma versão resumida de um post no blog News Entrepreneurs de James Breiner e aparece na IJNet com permissão. 

Imagem sob licença CC no Flickr via VasenkaPhotography