Ética básica para blogueiros

porInternational Center for Journalists
Aug 15, 2012 em Jornalismo básico

As vantagens do jornalismo online são muitas, mas os desafios também. Aqui estão algumas considerações práticas para blogueiros.

Regras éticas variam de redação para redação e de país para país, mas a maioria dos códigos de ética inclui verificação, imparcialidade, independência e responsabilidade.

Blogs e até mesmo blogs de notícias podem ou não ter as mesmas normas que meios de comunicação tradicionais. Blogueiros podem publicar informações ou especulações não confirmadas que não seriam publicadas ou transmitidas em um veículo de notícias tradicional. Entretanto, alguns jornalistas e blogueiros defendem essa prática, dizendo que os leitores entendem que os blogs têm um padrão diferente.

Gina Chen, uma jornalista veterana, tem uma lista das 10 regras do jornalismo que você pode quebrar no seu blog. Alguns blogueiros adotaram seu próprio código de ética, como este grupo de críticos gastronômicos, que citam normas sobre responsabilidade e autonomia, entre outras coisas.

Algumas organizações noticiosas tradicionais têm modificado suas diretrizes de ética ou estabelecido novas políticas para os funcionários que blogam, oficialmente ou não. A Washington política para blogs do Washinton Post, por exemplo, proíbe "opiniões pessoais... que não seriam aceitáveis no jornal". O pesquisador Martin Kuhn elaborou um código de ética simples para blogueiros que vale a pena dar uma olhada. Enquanto isso, aqui estão algumas outras questões para considerar ao blogar:

Prestação de contas: Os blogs têm ajudado as organizações de notícias a serem mais transparentes. A editora do Sacramento Bee, por exemplo, muitas vezes usa seu blog para discutir o que se passa nos bastidores do jornal e como as decisões são tomadas. Ela inclui comentários de leitores, dando ao público uma maneira de manter a organização de notícias responsável pelas suas ações.

Precisão: Porque são tão fáceis de atualizar, blogs permitem correções imediatas. E maior interatividade entre jornalistas e leitores pode significar que os erros serão corrigidos mais rapidamente.

Independência: Os repórteres devem ter cuidado ao revelar informações pessoais ou expressar opiniões no blog, até mesmo no site pessoal, que podem levantar dúvidas sobre sua independência. Durante a eleição presidencial de 2008 EUA, a CNN demitiu um produtor sênior por expressar pontos de vista sobre um dos candidatos em um blog que não o identificam como um funcionário da CNN. Gina Chen disse que "os leitores apreciam saber que os jornalistas têm sentimentos, opiniões e vidas que formam como veem o mundo", mas seu limite é dar opiniões sobre matérias que ela está cobrindo.

Tom: Blogs são tipicamente menos formais do que notícias e muitas vezes são escritos em primeira pessoa. Jornalistas que deixam suas personalidades aparecerem por meio de blogs podem ter uma melhor resposta dos leitores, que começam a vê-los como "pessoas de verdade". Mas pode ser difícil mostrar um lado humano, mantendo o distanciamento suficiente para evitar acusações de parcialidade, e muita "atitude" no blog pode afastar alguns leitores de notícias do produto principal.

Imagem: Morguefile

Este artigo faz parte de um curso online do ICFJ Anywhere, que apóia os jornalistas em todo o mundo com treinamento gratuito em uma diversidade de tópicos. Os cursos são oferecidos em uma variedade de idiomas, incluindo inglês, árabe, persa, espanhol, português, turco e francês. Para as últimas novidades sobre os cursos do ICFJ Anywhere, clique aqui.