Dicas de organização para jornalistas freelancers

نوشته Jade Drummond
Apr 26, 2022 در Freelance
Anotação num calendário

O Fórum Pamela Howard para Cobertura de Crises Globais convidou o jornalista Alexandre Aragão para participar de um workshop gratuito e online sobre “Organização para jornalistas freelancers”. Aragão tornou-se freelancer em momentos distintos da carreira e hoje entende que é necessário tratar o próprio trabalho como o de uma microempresa. Ele se organiza usando métodos de gestão de projetos e compartilhou diversas dicas no webinar que você pode assistir na íntegra aqui. Além do papo, Aragão disponibilizou um guia completo de organização para jornalistas freelancers

 

Veja alguns destaques da conversa:

 

  • Defina a rotina e priorize atividades: começar o dia sempre igual, incluindo atividades diárias como responder e-mails é uma estratégia interessante. Às vezes, ações que poderiam ser resolvidas reservando 30min por dia são postergadas demais.
     
  • Lembre que todo o seu trabalho leva tempo: isso inclui leituras, pré-apuração, vender pautas, relacionamento, contabilidade, trâmites de pagamentos etc. O jornalista freelancer é uma microempresa de uma pessoa só e isso envolve diversos tipos de atividades. 

 

  • Documente e mensure tudo o que você faz: ao registrar os detalhes do dia-a-dia, por menores que sejam, é possível avaliar o desempenho do próprio trabalho e ajustar o que for preciso. Registrar permite ter mais clareza do tempo gasto em cada atividade e a quantidade de dinheiro recebida, facilitando o planejamento para próximas oportunidades.

 

  • Use ferramentas online de gestão de projetos: para manter esse registro das atividades, fazer um checklist de cada freela, arquivar documentos, ativar alertas para prazos de entrega e de cobrança de pagamento etc. Esse tipo de ferramenta é essencial para equilibrar grandes projetos com trabalhos pontuais, mantendo uma previsibilidade financeira e sem perder de vista nenhuma atividade. Um exemplo de ferramenta é o Trello, que tem versão gratuita ou paga. 

 

  • Metodologia de OKR, com objetivos e resultados-chave: pode ajudar a alcançar o que você mais precisa no momento. A metodologia de OKR consiste em estabelecer um objetivo principal e destrinchar o caminho até ele com alguns resultados-chave a serem alcançados, que devem ser objetivos e mensuráveis. Por exemplo, se o objetivo é aumentar a carteira de clientes, os primeiros resultados-chave podem ser entrar em contato com cinco editores que já conhece e conhecer outros três ao longo de um mês. (Dica de livro: “Avalie o que importa”, do John Doerr)

 

  • Não tenha vergonha de se apresentar para as pessoas: use a sua rede de contatos para conhecer novos editores, seja via professores da universidade, colegas de trabalho, outros jornalistas freelancers ou amigos. Neste trabalho é preciso ter cara de pau e saber comunicar de forma clara os seus objetivos. Guarde as melhores pautas para causar boa primeira impressão em trabalhos novos.

 

  • Publieditorial paga mais que reportagem: por mais que alguns jornalistas não gostem de fazer esse tipo de conteúdo, é um trabalho que pode ajudar a fechar as contas do mês. Para quem estiver disposto, vale a pena manter no radar. 

 

  • Busque editais e projetos grandes: os trabalhos maiores, de longo prazo, ajudam a vida do jornalista freelancer. Manter o ritmo de produzir muitas reportagens pequenas é difícil para quem é autônomo. Os projetos grandes permitem trabalhar com mais calma e ganhar valores mais altos.  

 

  • Encontre o lugar da sua pauta das discussões que já estão rolando: identificar uma boa pauta, irrecusável, depende muito do que você publica, do que interessa para os editores/veículos e da conversa que já está acontecendo na imprensa e nas redes sociais. Venda a pauta de um jeito incontornável, de um assunto que já está quente, todo mundo está falando e que você tem uma informação nova.

 

  • Estabeleça prazos claros de follow up com editores: ninguém vai ficar ofendido com prazos de retorno se você explicar as razões. Uma pauta urgente pode deixar de existir se você demorar dois dias para publicar, então a comunicação clara é o mais importante nessa relação. 


Um ponto positivo do trabalho freelancer é a flexibilidade: o volume de trabalho nem sempre diminui ao sair de um emprego fixo como repórter, mas ser freelancer permite muita flexibilidade. Com uma boa organização, é possível postergar tarefas sempre que achar necessário e fazer outras coisas. Além disso, não estar tão emocionalmente ligado aos veículos em que publica torna o trabalho menos estressante.


Foto: Pixabay art