Vídeos melhores com o seu celular: passos para refinar suas produções

porGuilhermo Santos
Jul 27, 2020 em Jornalismo multimídia
Homem filmando com um smartphone na horizontal

Qualquer produção de vídeo ― desde uma modesta entrevista de corredor até uma complexa matéria documental ― pode ser notavelmente melhorada e profissionalizada com poucas aquisições e aperfeiçoamentos tecnológicos.

A produção de vídeos é um constante processo de aperfeiçoamento de linguagem e capacitação técnica. Apesar da contínua necessidade de estudo, nossa geração dispõe de dispositivos altamente potentes que, com muito pouco investimento, podem auxiliar qualquer iniciante a tornar-se um bom criador de conteúdo audiovisual.

Além de itens materiais, também são importantes nesta caminhada a adoção e prática de processos que visam uma melhor organização e planejamento do seu vídeo, divididas em três fases.

[Leia mais: Os fundamentos da gravação de vídeo para notícias]

Pré-Produção:

1- Saiba onde o seu vídeo será publicado

Parece um tanto óbvio, mas ter conhecimento de onde o seu vídeo será distribuído impacta diretamente na forma de captação e abordagem. 

Os formatos mais convencionais para plataformas digitais são: 16x9 (vídeo horizontal, comum no Youtube), 9x16 (vídeo vertical, comum nos stories do Instagram) e 1x1 (vídeo quadrado, comum para timelines como a do Instagram e Twitter). Publicar um vídeo exclusivamente na vertical, por exemplo, já lhe indica que a melhor forma de captação é nesta mesma configuração.

Quando você não está certo sobre onde o seu vídeo será publicado, ou acredita que ele pode ter mais de uma janela de distribuição, sempre priorize filmar na horizontal.

2- Sempre crie um roteiro

Por mais simples ou imprevisível que possa parecer o seu conteúdo, sempre planeje o que você espera que aconteça.

Como ele deve começar? Quais temas ou perguntas devem iniciar o vídeo? Qual o rumo que a conversa deve tomar? Quais imagens você quer que ajudem na ilustração de determinada situação? Qual o impacto que você espera gerar com a mensagem final?

Fazendo esses questionamentos a si mesmo, anote em um caderno ou até mesmo no bloco de notas do seu celular como você espera visualizar este vídeo pronto. Tendo este esqueleto formatado, você está pronto para planejar o próximo passo.

3- Faça acontecer

Uma vez com um roteiro estruturado, é hora de novamente levantar questões práticas sobre como irá filmar o seu vídeo. Ou seja: é hora de pré-produzir.

Se você está desenvolvendo, por exemplo, um compilado de depoimentos sobre o impacto do trânsito de uma grande metrópole na saúde mental dos cidadãos, duas necessidades já se destacam: entrevistar bons personagens com histórias relevantes sobre o tema e captar imagens do tráfego de veículos. A partir disso, você começa a criar perguntas explorando todas as possibilidades dentro de cada pilar:

Para os entrevistados:

Qual é o melhor dia para a entrevista de cada um? Algum horário será conflitante? Onde serão estas entrevistas? São lugares calmos e silenciosos? Precisarei ir de carro ou transporte público? Como levarei todo meu equipamento? Tenho o contato de todos os convidados para o caso de algum imprevisto? Tenho backups, no caso de algum cancelamento?

Para as cenas de trânsito:

Quais pontos da cidade são melhores para gravar estas cenas? Eles são próximos um do outro? Devo me locomover de transporte público, táxi ou carro próprio? Quais dias da semana devo tentar filmar? Quais horários são mais gráficos para o que desejo mostrar? Tenho a previsão do tempo para saber se neste dia irá chover?

A função de produzir um vídeo vale um complexo capítulo à parte, mas levantar todas as possibilidades possíveis em cima do seu roteiro já torna o seu processo de trabalho mais preparado para eventuais imprevistos.

[Leia mais: Noções básicas de fotografia para smartphone]

Filmagem:

1- Equipamentos para a gravação

Telefone celular: modelos recentes de celulares têm se tornado cada vez mais eficientes para a captação de vídeos e fotos. O primeiro passo é configurar seu aparelho dentro dos melhores ajustes que ele possa oferecer.

Em Configurações, procure por Câmera e em seguida busque a opção Qualidade de Vídeo. Se o seu aparelho possui a opção de captura em 4k/30fps, opte por esta, pois assim você ganha muitas possibilidades para a edição. Caso seu celular não disponha desta opção, selecione a qualidade 1080p/30fps.

Importante: sempre grave com a câmera traseira do seu celular, pois elas geralmente possuem qualidade superior à câmera de selfie.

Estabilização: qualquer vídeo que se proponha a ter um perfil profissional necessita de alguma de estabilização da imagem. Não confie nos seus braços para segurar seu aparelho celular por longos períodos. Além de exigir o seu esforço físico, a qualidade final das imagens irá evidenciar a falta de preparo. Ao final desta matéria, há uma relação de equipamentos de fácil acesso que podem ajudar neste quesito.

Áudio: evite ao máximo filmar com o microfone interno do próprio aparelho, pois ele tende a captar mais ruídos externos. Uma boa solução é utilizar fones de ouvido com microfones integrados, colocado sobre o colo do seu convidado ou apoiado em uma mesa com proximidade de onde a voz será emitida. Ao final da matéria, também alguns itens que podem auxiliar neste ponto.

2- Luz e enquadramento

Sempre que possível, durante a luz do dia, procure captar as imagens perto de janelas ou áreas externas, tomando sempre o cuidado de que a luz solar reflita diretamente sobre o rosto do convidado. Se a fonte de luz estiver às costas do seu entrevistado, ele gerará uma sombra sobre o rosto e você perderá informação da imagem.

Em locações com poucos pontos de luz, ou até mesmo em filmagens noturnas, o mais aconselhável é investir em pequenos dispositivos de luz artificial, presentes na lista ao final desta página.

Captando em 4k, um bom enquadramento que lhe assegura de explorar mais de um plano na edição é filmar o entrevistado da cintura para cima. Isto, claro, pode variar de acordo com a sua intenção: vídeos mais emocionais e introspectivos podem precisar de planos mais fechados no rosto e reações do convidado.

3- Direção

Não basta apenas ligar a câmera e esperar que tudo aconteça. É preciso conduzir os convidados do seu vídeo a atingirem o que você quer passar. Não tenha medo de solicitar, em algum momento da conversa, que seja repetida alguma frase que não ficou clara, ou que o entrevistado retorne a um assunto que pode ser explorado com mais atenção.

Uma dica importante para qualquer entrevista é pedir para que o convidado sempre repita a sua pergunta dentro da resposta. Como nem sempre o entrevistador irá aparecer em um conteúdo, é preciso dar ao público que assiste ao produto final as informações suficientes para que entenda o que está acontecendo. Por exemplo, ao perguntar para alguém “Qual foi o seu primeiro trabalho?”, ao invés de ter como resposta “Recepcionista”, instrua a pessoa a lhe dizer “O meu primeiro trabalho foi como recepcionista”.

Isto irá, na edição, dar mais possibilidades para você criar uma narrativa interessante.

[Leia mais: Meu kit de ferramentas de vídeo: Nilo Tabrizy]

Pós-produção:

Tanto os iniciantes quanto aqueles que já exploraram ferramentas de edição de vídeo têm à disposição plataformas acessíveis para realizarem a pós-produção dos vídeos. De todas, esta é a fase que exige um pouco mais de conhecimento técnico e prática com o programa de edição, mas com alguns tutoriais é possível começar a praticar.

  • Para uso em desktop, ferramentas gratuitas como o Movie Maker (Windows) e iMovie (Mac OS) servem como porta de entrada para a prática da edição aos iniciantes. Para usuários mais avançados, ferramentas gratuitas com bons recursos são o Movavi (também em versão mobile) e o DaVinci Resolve, este usado profissionalmente por muitos capacitados da área.

  • Já em versões mobile, boas alternativas são os aplicativos Kinemaster (gratuito por sete dias e com assinatura mensal de R$14,60) e o já citado Movavi (gratuito por três dias e assinatura mensal de R$3,99). Ambos estão disponíveis nas principais lojas de apps e são altamente intuitivos para quem precisa desenvolver pequenas edições em qualquer lugar.

Além das ferramentas de edição, é interessante sempre buscar um dinamismo entre os cortes das imagens. Depoimentos muito longos sem nenhum corte de câmera tendem a dispersar mais a audiência. Rotineiramente, explore mais cortes ilustrando o depoimento da pessoa com imagens de cobertura ou detalhes do entrevistado, como trejeitos e movimento das mãos.

Abaixo, uma rápida lista de itens que podem compor seu arsenal de equipamentos, e melhorar significativamente a qualidade dos seus conteúdos audiovisuais.
 

Bateria extra para o celular:

Equipamentos para Estabilização:

Iluminação

Áudio

Materiais gratuitos para pós-produção:

Para mais recursos sobre jornalismo multimídia, confira o kit de ferramentas da IJNet aqui.


Guillermo Santos é diretor de vídeos e produtor de conteúdo para a internet. Trabalha desenvolvendo frentes editoriais e estratégias de publicação para marcas e veículos de comunicação. Twitter: @guillermo_sntos

Imagem sob licença CC no Unsplash por Charlotte Butcher