Um olhar dentro da Annahar Web TV no Líbano

por Ingrid Ab
Jun 21, 2012 em Diversos

O jornal libanês Annahar lançou uma Web TV em 2009, tornando-se uma das primeiras organizações de mídia tradicional a investir na criação de notícias originais online no Oriente Médio.

Ostentando o logo de galo da versão impressa, a Annahar Web TV foi um alerta para outros meios de comunicação na região que seguiram a iniciativa, incluindo a AmmanNet na Jordânia, Gulf News no Emirados Árabes Unidos e o jornal libanês de língua francesa L'Orient Le Jour. (O jornalismo da Al Jazeera YouTube, em contraste, era inicialmente clips tirados diretamente das transmissões e não produzidos especificamente para a Web.)

A IJNet conversou com a fotojornalista Tinia Nassif sobre alcançar as casas e os corações de espectadores no exterior.

IJNet: Qual é o diferencial da Annahar TV Web?

Tinea Nassif: É um novo tipo de jornalismo de vídeo, com base em um único jornalista a fazer as entrevistas. Este conceito é novo no mundo árabe, onde as pessoas costumam esperar por uma equipe completa. Eles se surpreendem com a chegada de apenas uma pessoa com uma câmera.

IJNet: Que equipamento usa para filmar?

TN: Eu uso uma Sony AVCHD DVD Handycam, que grava em alta definição, e um tripé.

IJNet: Qual tem sido a reação à Annahar TV Web?

TN: Vou começar com os comentários positivos. Libaneses no exterior ficaram muito contentes que lançamos o nosso canal de TV na Web, especialmente porque mostramos cidades e vilas libanesas; muitos são nostálgicos sobre suas cidades de origem. Este foi um dos fatores decisivos para o sucesso da ideia, pois podemos chegar à população libanesa no exterior que apoiaram o canal e gostaram, porque os fazem se sentir mais perto de casa. Em contraste, houve comentários negativos sobre a qualidade do vídeo e do som.

IJNet: Quais são os prós e contras da TV de vídeo?

TN: O impacto do vídeo sobre os espectadores é muito mais forte do que as palavras. Quanto aos contras, pode ser difícil cobrir temas como saúde sexual. Texto funciona melhor do que vídeo [para esses tópicos], porque mais pode ser expressado por escrito, especialmente quando você sente que o vídeo parece ser chato de assistir para os telespectadores.

IJNet: Que conselho você daria para um aspirante a jornalista de vídeo?

TN: Primeiro, verifique se você tem as ferramentas para transferir o áudio e vídeo sem perda de qualidade profissional. Em segundo lugar, adote um pensamento visual. Não basta usar o ponto de vista do jornalista; você tem que mostrar a cena com filmagens de longa distância e close-ups.

IJNet: Você acha que a TV na Web é uma tendência no mundo árabe?

TN: Claro ... Eu acho que vai ser mais do que uma tendência, que vai rapidamente tornar-se um dos pilares da mídia no mundo árabe.

A entrevista foi publicada originalmente na versão árabe da IJNet.

Foto: Tinea Nassif @Hatem Nour